Casagrande revela que terminou namoro com Baby do Brasil após sete meses sem sexo: “Não deu mais pra segurar”; saiba os detalhes!

Um romance à moda antiga?! Quase isso… O ex-jogador de futebol e comentarista esportista Walter Casagrande entregou que seu namoro com Baby do Brasil, em 2017, chegou ao fim por causa da falta de sexo. A revelação foi feita em sua biografia “Travessia – As recaídas, os amigos, os amores e as ideias que fizeram parte da trajetória da minha vida”, que será lançado nesta terça-feira (30).

O site Uol teve acesso exclusivo à obra, e divulgou o trecho no qual o ex-atleta fala sobre o relacionamento, que durou apenas 7 meses. “A Baby era a minha musa na juventude (…). Sempre fui louco por ela, pela voz, sensualidade e atitude transgressora”, confessou com carinho.

Os caminhos dos dois já tinham se cruzado em 1990, em uma festa em Nova York, mas Casão perdeu a oportunidade por causa do vício em cocaína. Baby viu o ex-jogador cheirando e disse: “Casão, eu vim aqui te entregar a palavra de Jesus”. Ao que ele rebateu: “Pô, Baby, Jesus a essa hora?”. O reencontro só aconteceu em 2016. Quando os dois iniciaram o relacionamento, a cantora já era evangélica e estava há 18 anos sem beijar na boca e ter relações sexuais.

Continua depois da Publicidade

Casagrande descreveu na obra que existia muita sintonia entre os dois, e eles se divertiam um bocado. “A gente saía muito em São Paulo. Ela gosta de dançar pra c*ralho, entrava na pista às dez da noite e saía às cinco da manhã. Era legal pra c*ralho! Eu me divertia, só tomando água”, falou o comentarista. Baby, que também deu seus relatos para a obra, explicou que os dois ficaram três meses “só no bate-papo”. O contato físico era restrito às mãos dadas e os “beijinhos na bochecha”.

Durante participação no “Fantástico”, o ex-casal chegou a revelar que só fariam sexo após o casamento. Foto: Reprodução/TV Globo

No entanto, a estrela só iria transar com o homem que ela tivesse certeza que era o seu “escolhido” pra vida toda. “Cara, ela não fazia sexo, ela não faz sexo. Namorei por sete meses sem sexo. Respeitei isso o tempo todo, até que não deu mais pra segurar. E, pô, eu não tava a fim de me casar”, falou com sinceridade. Ele também acrescentou que os hábitos noturnos e a novidade de ser perseguido por paparazzi influenciaram no fim do romance.

O ex-jogador de futebol também se abriu sobre como o vício em drogas teve um forte impacto em sua vida. Fascinado pela figura de Lucifer, o anjo caído por desafiar Deus, ele passou a ter alucinações em que realmente via o diabo. “Comecei a ter visões de demônios na minha casa. Eu ia pra sala, tinha a cara do demônio no sofá. Isso acordado, sem droga nenhuma. Eles começavam a aparecer às seis da tarde em ponto, antes de eu beber. Sentia algo me pegando, me arranhando as costas”, relembrou.

Continua depois da Publicidade

“Um dia, um demônio passou andando na minha frente; com cara de gente, cabelo amarelo, de calça jeans e tudo. Eu tava muito assustado. Corri pra internet e coloquei a Bíblia falada pelo Cid Moreira. Deu uma apaziguada no ambiente”, disse. A situação chegou a um ponto que seus filhos precisaram se revezar para vigiar o pai. Casagrande garantiu que, nesta época, só bebia e fazia uso do remédio Rivotril. “Eu chamava meus filhos, mas eles não viam nada”, explicou.