Fotojet (27)

Emocionante! Dona Déa canta para Paulo Gustavo em momento LINDO, e ator recebe homenagens de marido, irmã e amiga em Missa de Sétimo Dia; assista!

Nesta terça-feira (11), os familiares e amigos de Paulo Gustavo tiveram a oportunidade de prestar suas homenagens ao ator, que morreu no dia 4 de maio, aos 42 anos, por conta de complicações da Covid-19. A missa de sétimo dia aconteceu aos pés do Cristo Redentor, com a presença de pouquíssimas pessoas e transmissão para todo o Brasil pelo canal Multishow, dando oportunidade aos fãs de acompanharem. Entre os momentos mais emocionantes da noite, os discursos de Susana Garcia, Thales Bretas e Juliana Amaral, amiga, marido e irmã do artista, respectivamente, deixaram um verdadeiro nó garganta com essa partida tão precoce. Ainda, Dona Déa Lúcia, mãe do humorista, provou o tamanho da sua força — mesmo a negando — ao cantar para o filho e ainda descontrair a todos com seu jeito espontâneo.

As homenagens começaram pela amiga e diretora Susana Garcia, que tem formação em medicina e teve a oportunidade de estar perto de Paulo Gustavo em seus últimos dias. Em seu depoimento, ela fez questão de lamentar a vacinação tardia, que o ator não pôde usufruir. “E pensar que você e muitas pessoas morreram porque não tiveram duas doses, apenas duas doses de uma vacina que já existe! Essa dor não pode ser em vão. Por isso, nosso amigo querido, por você, em sua honra, seremos cada vez mais um mar de força, determinação e coragem contra tudo que nega a vida”, garantiu.

Em seguida, Juliana Amaral não conseguiu conter a emoção para ler o texto “A morte”, de Santo Agostinho. Ao final, ela beijou a tatuagem que o homenageia e gritou: “Tatau, eu te amo”, referindo-se ao apelido de Paulo. O médico Thales relembrou os sete anos que passou junto do marido, e falou da dor da ausência. “Um casamento tão mágico, um encontro de almas. Tua presença marcante deu lugar para uma ausência sem fim. Uma angústia enorme de não ter mais a sua alegria no meu dia a dia. Suas dicas sensatas, suas opiniões sinceras, suas decisões incisivas que não deixavam brechas para muitas opções. Espero que o tempo permita que essa angústia seja cada vez menor […] O céu tem uma grande estrela de volta. E eu espero ter a honra de cruzar com essa luz na eternidade”.

Continua depois da Publicidade

Dona Déa Lúcia seguiu sendo uma grande inspiração para todos. Apesar de dizer que “não é tão forte como todo diz”, ela se manteve de pé mais uma vez para homenagear o filho e cantar “Fascinação”, clássico de Elis Regina. Mas antes, a matriarca ainda conseguiu arrancar risos de todos os presentes ao comentar que conheceu o coral “canarinhos”, mas que agora todos estavam “velhinhos”. Só mesmo uma grande mulher para ter tanta sensibilidade!

Ela ainda agradeceu as orações de todos, e se dirigiu emocionada para as famílias que estão enfrentando a mesma dor que ela. “Ele tá lá em cima olhando por nós. Minha prece, minha oração, eu me coloco de joelhos para todas as mães que perderam seus filhos para essa maldita doença. Cada morte eu sofro. É muito triste, gente! Um filho não deveria ir embora antes da mãe nunca, gente. Enfim, são os desígnios de Deus, não é mesmo?! Obrigada por vocês estarem aqui comigo, com Juju, Thales, Julio, nos ajudando a superar isso tudo. Obrigada, amigos!”, encerrou.

Confira os depoimentos na íntegra:

Susana Garcia

“Eu tô aqui pra falar em nome de todos os amigos de Paulo Gustavo. Paulo Gustavo, todos que estão aqui experimentaram seu amor. Hoje não existe outro nome, é dor o que sentimos. Uma dor que rasga a alma, o peito. Tudo dói! Como viver sem você?! Nosso amigo, nosso irmão tão amado. Você, Paulo Gustavo, transformou a vida das pessoas que você amou, incentivando e potencializando o melhor de cada um. O espaço que você ocupava no dia a dia da vida da gente era enorme. Você quando chegava era explosão de alegria, de generosidade, de inteligência. E você chegava todo dia! Toda hora! Você era o agora. Você era presença. Como lidar com esse imenso vazio, meu amor? Como viver sem aquela sua gargalhada gostosa? Eu li que os antigos chineses diziam que um lago com o tempo evapora. Mas que dois lagos unidos alimentam um ao outro. Lagos que repousam um sobre o outro são os amigos. Hoje, somos muitos lagos formando esse imenso mar de amor. Você, Paulo Gustavo, uniu todos seus amigos. Nós aprendemos com você que amizade é amor em ação. Você está vivo em nós. A sua voz está dentro da gente.

Continua depois da Publicidade

Quantas das nossas palavras, expressões de todos os dias, quanto do nosso jeito de rir, de falar, não vieram de você? Você foi a pessoa mais coerente que já conheci. Você agia exatamente conforme você pensava. A gente sempre queria sua opinião, porque a gente sabia que vinha verdade. E pensar que você e muitas pessoas morreram porque não tiveram duas doses, apenas duas doses de uma vacina que já existe! Essa dor não pode ser em vão. Por isso, nosso amigo querido, por você, em sua honra, seremos cada vez mais um mar de força, determinação e coragem contra tudo que nega a vida. Você lutou contra o preconceito, o racismo, a homofobia. Você fazia esse país se curar através do riso. Você, Paulo Gustavo, é o nosso melhor! Você é a cara do melhor Brasil! E a gente quer ser você! A gente quer ser o melhor Brasil! Estamos todos devastados, mas essa dor que sentimos agora não vai ser maior que a alegria que você nos proporcionou. Repito: essa dor, Paulo Gustavo, que sentimos agora, não vai ser maior que a alegria que você sempre nos proporcionou. A gente te ama pra sempre!”.

Juliana Amaral

“A morte não é nada. Eu somente passei para o outro lado do Caminho. Eu sou eu, vocês são vocês. O que eu era para vocês, eu continuarei sendo. Me deem o nome que vocês sempre me deram, falem comigo como vocês sempre fizeram. Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas, eu estou vivendo no mundo do Criador. Não utilizem um tom solene ou triste, continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos. Rezem, sorriam, pensem em mim. Rezem por mim. Que meu nome seja pronunciado como sempre foi, sem ênfase de nenhum tipo. Sem nenhum traço de sombra ou tristeza. A vida significa tudo o que ela sempre significou, o fio não foi cortado. Porque eu estaria fora de seus pensamentos, agora que estou apenas fora de suas vistas? Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do Caminho… Você que aí ficou, siga em frente, a vida continua, linda e bela como sempre foi”.

Thales Bretas

“Paulo Gustavo, meu amor. Durante esses últimos sete dias revisitei inúmeras vezes os sete anos que vivemos juntos. Vários flashes dos melhores dias da minha vida coloriram meu luto. Dias intensos, repletos de sensações e sentimentos, como tinha que ser com você. Com sua potência e velocidade avassaladoras. O amor é transformador e o nosso não só me evoluiu para sempre, como alcançou milhares de famílias como exemplo de tolerância, respeito e união. Que sorte a minha viver um amor tão lindo, verdadeiro, correspondido, mesmo que por tão pouco tempo. Tínhamos tantos planos para tantos anos, que acho que é para além dessa nossa encarnação. Realizamos muitos sonhos juntos, você despertou em mim uma pulsão de viver que eu desconhecia e me incentivou em cada dificuldade que eu tive. Você aumentou minha firmeza, minha autoestima, me fez sentir o cara mais especial do planeta. Essa era mais uma das suas inúmeras virtudes. Você enaltecia a todos que amava, colocava todo mundo nas alturas. Quantas vezes eu vi você fazer isso com amigos e colegas de trabalho.

As nossas diferenças eram muitas, o que me fez pensar que nosso namoro era improvável. Ele Beyoncé, eu Marisa Monte. Ele barulho, eu silêncio. Ele fala, eu escuto. Ele agito, eu serenidade. Mas com o tempo vi que essas diferenças só somavam. E com isso, cada um de nós dois nos tornávamos pessoas melhores. Depois da soma, veio a matemática da multiplicação com as duas maiores alegrias de nossas vidas: Gael e Romeu, que prometo cuidar para sempre e transmitir tudo que aprendi com o papai Paulo. Generosidade, caráter, respeito, compaixão, justiça, amizade, valores que são o seu maior legado e se eternizarão nos frutos do nosso amor. Você não devia nada a vida, falava o que pensava, fazia o que queria, tinha pressa em viver. O que achávamos que era ansiedade, era mesmo o desejo de não perder tempo de ser feliz.

Continua depois da Publicidade

Talvez pressentindo que seu caminho aqui na Terra seria mais curto do que deveria. Você sentia tudo, sabia de tudo, era impressionante. Que orgulho eu tenho de ter sido especial o suficiente para conviver com uma pessoa da sua grandeza da forma mais linda possível. Um casamento tão mágico, um encontro de almas. Tua presença marcante deu lugar para uma ausência sem fim. Uma angústia enorme de não ter mais a sua alegria no meu dia a dia. Suas dicas sensatas, suas opiniões sinceras, suas decisões incisivas que não deixavam brechas para muitas opções. Espero que o tempo permita que essa angústia seja cada vez menor e que a gratidão pelo muito que vivemos juntos em tão pouco tempo [cresça]. Te amei demais, te amo e te amarei para sempre. Seu brilho, que tanto iluminou meus dias, agora nos ilumina lá de cima. O céu tem uma grande estrela de volta. E eu espero ter a honra de cruzar com essa luz na eternidade”.

Déa Lúcia

“Todo mundo sabe que Paulo Gustavo fez o último show pra mim. Por que toda a vida eu cantava na noite, nas serestas, eu levava eles [os filhos] pequenininhos. Paulo Gustavo cantava ‘Camisa Amarela’, aquelas coisas todas que o Brasil já sabe. E ele então quis realizar esse desejo [de se apresentarem juntos], porque eu tenho esse temperamento, eu gosto, sou parecida com ele. E ele parecido comigo. Graças a Deus, ele fez tudo. Eu tava ouvindo o padre Jorjão, que ele falou sobre amor ao próximo. Meu filho passou no ‘ENEM’ do teste da vida! Ele amou, ele passou nesse teste. Eu não sou forte como todo mundo diz, minha força está em Deus. Para ele eu peço todo dia: ‘Me ajuda! Eu creio e aceito na partida do meu filho, mas me ajuda a ficar aqui! Me dê forças no coração!’. A fé me ajuda. Como ele gostava de me ver cantar, eu falei ‘vou cantar para ele’. Brinquei com o padre Jorjão, mas agora não tô conseguindo cantar. Mas esses canarinhos, que eram pequenininhos que eu conheci, aqui tá tudo velhinho agora, vão me ajudar a cantar lindamente! Tudo de cabelinho branco, uma graça!”.

“Obrigada aos amigos que estão aqui, que fizeram isso tudo. Foram 54 dias de sofrimento, mas vocês me ajudaram. Um beijo no coração de cada um de vocês. Queria deixar um beijo para todos os fãs do Brasil, que rezaram, oraram, cada um na sua religião para que ele ficasse curado. Ele se curou! Ele foi embora, ele curou totalmente! Ele tá lá em cima olhando por nós. Minha prece, minha oração, eu me coloco de joelhos para todas as mães que perderam seus filhos para essa maldita doença. Cada morte eu sofro. É muito triste, gente! Um filho não deveria ir embora antes da mãe nunca, gente. Enfim, são os desígnios de Deus, não é mesmo?! Obrigada por vocês estarem aqui comigo, com Juju, Thales, Julio, nos ajudando a superar isso tudo. Obrigada, amigos!”.