Diana (1)

Príncipe Harry desabafa sobre descaso do pai, Charles, e revela que se afundou em álcool e drogas após morte da mãe

Abriu o coração! O príncipe Harry abordou questões bastante íntimas e difíceis de sua vida durante a série documental “The Me You Can’t See”, em parceria com Oprah Winfrey. Focada na importância do cuidado com a saúde mental, a produção joga luz em traumas do filho de Diana, como quando sua esposa Meghan Markle teve pensamentos suicidas, e os vícios do ruivo em drogas e álcool, após a perda da mãe.

Harry deu detalhes sobre o momento complicado pelo qual passou ao lado da mulher, quando ambos sofriam uma pressão enorme vinda da mídia britânica. Na entrevista bombástica concedida pelos dois à Oprah, em março, a atriz confessou pela primeira vez que, em certo momento sentia que “não queria mais viver” e que esses pensamentos eram constantes, “muito claros, reais e assustadores“.

Agora, o príncipe explicou o principal motivo para que a Duquesa de Sussex não fosse em frente com isso. “A coisa que a impediu de ir até o fim foi o quanto seria injusto comigo depois de tudo que aconteceu com a minha mãe e então ser colocado na posição de perder outra mulher na minha vida, com um bebê dentro dela, nosso bebê“, afirmou ele.

A coisa mais assustadora para ela foi sua clareza de pensamento. Ela não tinha ‘pirado’. Ela não estava louca. Ela não estava se automedicando, seja através de remédios ou de álcool. Ela estava absolutamente sóbria. Ela estava completamente sã. Mesmo assim, no silêncio da noite, esses pensamentos a acordavam“, revelou o príncipe na série.

Harry e Meghan no Royal Albert Hall, em 2020. (Foto: Getty)

Eu tenho, de certa forma, vergonha de como eu lidei com isso. E, é claro, por causa do sistema em que estávamos e as responsabilidades e papéis que tínhamos, nós nos abraçamos rapidamente e logo tivemos que nos trocar e pular para um comboio com escolta policial, e dirigir até o Royal Albert Hall para um evento de caridade e então passar por uma parede de câmeras e ter que fingir que tudo estava bem. Não existia uma opção de dizer: ‘Quer saber? Hoje nós não vamos’. Porque apenas imagine as histórias que viriam disso“, relembrou.

Durante o evento, segundo Harry, as coisas continuaram muito ruins. “Enquanto minha esposa e eu estávamos naquelas cadeiras, segurando as mãos um do outro, no momento em que as luzes se apagaram, Meghan começou a chorar. Eu sentia muito por ela, mas também estava muito bravo comigo mesmo por estarmos presos nessa situação. Eu estava envergonhado por isso ter ficado tão ruim. Eu estava envergonhado de procurar minha família. Porque, para ser honesto com você, como muitas pessoas da minha idade podem se identificar, eu sei que não vou receber da minha família o que preciso“, disse ele, em relação aos membros da Família Real.

Continua depois da Publicidade

Uso de drogas e bebidas

Harry sofreu um trauma terrível aos 12 anos de idade, quando perdeu sua mãe para um acidente de carro fatal. Na produção da Apple, ele contou que recorreu a drogas e bebidas para lidar com a ansiedade e o estresse, vindos dessa tragédia. “Eu estava disposto a fazer e experimentar essas coisas que me fariam ter a sensação de não sentir nada“, afirmou o britânico.

Mas eu comecei a perceber: ok, não estou bebendo de segunda a sexta, mas eu provavelmente estou bebendo o equivalente de uma semana em uma noite de sexta ou sábado. Eu bebia sozinho não porque apreciava aquilo, mas porque estava tentando mascarar algo“, contou. Segundo ele, foi Meghan quem o incentivou a procurar ajuda profissional. “Eu sabia que se eu não fizesse terapia e cuidasse de mim, eu iria perder a mulher com quem eu me via passando o resto da minha vida“, disse.

Continua depois da Publicidade

Durante uma briga do casal, o rapaz teve uma atitude infantil que preocupou a esposa. “Nessa discussão, sem querer, eu acabei voltando a ser o Harry de 12 anos. Eu me senti de alguma forma envergonhado e na defensiva, tipo,’ como você ousa me chamar de criança?’. E ela disse, ‘não, não estou te chamando de criança, estou expressando simpatia e empatia pelo que aconteceu quando você era uma criança. Você nunca processou e nunca pôde falar sobre isso e agora você está projetando isso tudo de diferentes formas’“, explicou ele.

Esse foi o começo da minha jornada de aprendizado. Compreendi que estava vivendo em uma bolha com a minha família. Eu estava praticamente preso dentro de uma forma de pensar e de uma mentalidade“, continuou o neto da Rainha Elizabeth II. Foi durante o tratamento que o príncipe entendeu que nunca havia realmente processado o falecimento de Diana. “Rapidamente, eu estabeleci que, para o nosso relacionamento dar certo, eu teria que lidar com o meu passado, porque tinha muita raiva ali. E não era raiva dela. Era apenas raiva, e ela entendeu isso“, pontuou.

Harry aponta que seu pai, Charles, não foi empático com seus problemas após a morte de Diana. (Fotos: Getty)

O Duque de Sussex revelou ainda uma falta de empatia da Família Real, principalmente do pai de Harry, príncipe Charles. Para o ruivo, se afastar de suas obrigações com a coroa foi um passo importante para evitar que seu filho Archie sofra com os mesmos problemas que ele enfrentou.

Meu pai costumava dizer para mim e para (o príncipe) William quando eu era mais novo: ‘Bem, foi assim comigo, então é assim que será com você’. Isso não faz sentido. Só porque você sofreu, não significa que seus filhos precisam sofrer. Pelo contrário“, destacou Harry.

Continua depois da Publicidade

Produção de série documental

Na segunda-feira (17), a Apple TV+ divulgou o trailer oficial da série documental “The Me You Can’t See”, criada e produzida por Oprah Winfrey e príncipe Harry. O projeto, que estreou nesta sexta (21), traz discussões sobre o tema “saúde mental” e conta com participações de artistas como Lady Gaga, Glenn Close e o jogador de basquete DeMar DeRozan. Todos os convidados compartilharão experiências pessoais, com intuito de desestigmatizar o assunto, mostrando também diferentes caminhos de tratamento ao telespectador.

A prévia começa exibindo Oprah e Harry frente a frente, numa conversa honesta sobre os grandes males dessa geração. “Em todo o mundo, há pessoas passando por algum tipo de problema emocional, mental ou psicológico. Ser capaz de dizer: ‘Foi isso que aconteceu comigo’ é crucial”, enfatiza a apresentadora. O duque de Sussex, por sua vez, também fala sobre as dificuldades que enfrentou ao longo dos anos que fez parte da realeza: “Decidir receber ajuda não é um sinal de fraqueza. No mundo de hoje, mais do que nunca, é um sinal de força”.

Image
Série também conta com depoimento forte de Lady Gaga (Foto: Divulgaçã0/Apple TV+)

No decorrer do clipe, vemos uma cena de Harry, ainda jovem, ao lado da família durante o funeral de sua mãe. “Tratar as pessoas com dignidade é o primeiro ato”, diz a narração, ao fundo. Meghan Markle também faz uma participação especial no trailer, sorrindo e olhando por cima do ombro de Harry enquanto ele trabalha em seu laptop. Mais tarde, a duquesa aparece segurando o filho do casal, Archie, no colo.

Vislumbres de outros entrevistados da série, como Glenn Close e Lady Gaga, também são revelados. “Eu não conto essa história para meu próprio autoatendimento. Já passei por isso e as pessoas precisam de ajuda”, diz a popstar, às lágrimas. “Se for para enfrentarmos a dor, que nós a enfrentemos juntos”, declara um último entrevistado, por fim. Confira:

“The Me You Can’t See” é co-produzido por Terry Wood, Catherine Cyr, Jen Isaacson e Nell Constantinople. Jon Kamen, Dave Sirulnick e Alex Browne atuam como showrunners. A direção fica por conta do indicado ao Emmy e Oscar, Dawn Porter, e Asif Kapadia, quatro vezes vencedor do prêmio BAFTA.