Artista da vez, Lizzo dá a MELHOR resposta pra quem lhe chama de corajosa por ‘body positivity’: ‘Não, eu não sou’

Desde que Lizzo surgiu sob os holofotes é assim. Basta a estrela subir ao palco com trajes decotados e que deixam à mostra suas coxas grossas para que elogios à sua ‘coragem’ passem a pipocar nas redes sociais. Mas ela tem sérias ressalvas a esse tipo de manifestação e um ótimo motivo para tal.

Em entrevista ao site da ‘Glamour’ norte-americana, a dona dos hits ‘Truth Hurts’ e ‘Good as Hell’ explicou: “Quando as pessoas olham para o meu corpo e dizem: ‘Oh meu Deus, ela é tão corajosa’, eu penso ‘Não, eu não sou’. Eu estou bem. Eu sou apenas eu. Eu sou apenas sexy. Se você visse Anne Hathaway de biquíni em um outdoor, você não a chamaria de corajosa. Eu só acho que há um padrão duplo quando se trata de mulheres“.

Continua depois da Publicidade

Resposta perfeita, né?! Em ascensão meteórica, Lizzo se tornou um dos principais rostos do movimento ‘body positivity’ nos EUA. Ela abraça a causa, mas espera que as pessoas parem de pensar que seria uma missão árdua para uma mulher de corpo maior ter autoconfiança. “Eu não gosto quando as pessoas pensam que é difícil para mim me ver como bonita. Eu não gosto quando as pessoas ficam chocadas que eu esteja me achando linda”, pontuou.

Ainda na mesma conversa, Lizzo apontou para as portas abertas pela Internet para mostrar a diversidade do belo. “No passado, tudo o que você realmente tinha eram as agências de modelos. Ficava tudo tão limitado para o que era considerado bonito. Foi controlado a partir deste espaço. Mas agora temos a Internet. Então, se você quiser ver alguém que é bonito e se parece com você, vá na Internet e basta digitar alguma coisa. Digite “cabelo azul”. Digite “coxas grossas”. Digite “gordura nas costas”. Você se verá refletida. Foi o que eu fiz para ajudar a encontrar a beleza em mim mesma“, revelou.

Continua depois da Publicidade

Por fim, a diva multi-talentosa reforçou a importância de que outras mídias e lugares dêem espaço para a diversidade. “Vamos apenas dar espaço para essas mulheres. Arranje espaço para mim. Crie espaço para esta geração de artistas. Eles estão aqui fora. Eles querem ser livres. Acho que permitir que esse espaço seja criado é realmente o que vai mudar a narrativa no futuro”, refletiu.