Gabby Petito

Caso Gabby Petito: FBI confirma que corpo encontrado em parque nacional é de youtuber; legista aponta homicídio

Nesta terça-feira (21), a filial de Denver do FBI confirmou que os restos mortais encontrados na Floresta Nacional Bridger-Teton, em Wyoming, são de Gabrielle “Gabby” Petito. O local foi um dos destinos visitados pela jovem durante sua viagem de van cross-country com o noivo, Brian Laundrie. As informações são da CNN norte-americana.

Segundo o FBI, em suas descobertas preliminares, o médico legista do condado de Teton, doutor Brent Blue, considerou a morte um homicídio, mas que “a causa permanece pendente dos resultados finais da autópsia”. Brian Laundrie continua “desaparecido”, mas ainda é uma “pessoa de interesse” no caso, já que pode ter sido a última pessoa a ver Gabby com vida. “Qualquer pessoa com informações sobre o papel do Sr. Laundrie neste assunto ou seu paradeiro atual deve entrar em contato com o FBI“, disse o agente especial Michael Schneider.

Agora há pouco, o TMZ disse que um homem que “se encaixa na descrição de Laundrie” foi flagrado por uma câmera de segurança, próximo a um deserto em Baker. Entretanto, o xerife da Oskaloosa divulgou um comunicado dizendo que o local foi “extensivamente vasculhado”, inclusive com o apoio de drones, e nada foi encontrado. “Não há possíveis conexões passadas ou atuais entre Laundrie e qualquer pessoa nesta área neste momento para fazer o acompanhamento”, disse a nota.

Antes do desaparecimento, a mãe da jovem, Nicole Schmidt, recebeu “mensagens estranhas” do celular da vítima. Logo no início das investigações, Schmidt informou que conversou com Gabby pela última vez no dia 24 de agosto, através do FaceTime. A mulher também afirmou ter recebido mensagens de texto do número da jovem até o dia 30 do mesmo mês, mas confessou que não tinha certeza se as mensagens teriam sido enviadas, realmente, pela youtuber.

Continua depois da Publicidade

O conteúdo de tais mensagens não havia sido revelado. No entanto, depois que o corpo foi descoberto, as autoridades retiraram o lacre de um mandado de busca na Flórida, que havia sido usado para vasculhar o disco rígido da van de viagem de Petito. O detetive Daniel Alix, que redigiu o documento, apontou que estava procurando informações, incluindo e-mails, mensagens de texto, todo o histórico de navegação na Internet e fotos no disco, para ajudar na investigação.

Gabby Petito desapareceu após viagem de van cross-country com o noivo, Brian Laundrie. (Foto: Reprodução / Instagram)

De acordo com o tal mandado de polícia, divulgado pelo E!News, a mãe de Petito recebeu uma mensagem da filha no dia 27 de agosto. “Você pode ajudar Stan, continuo recebendo mensagens de voz e chamadas perdidas”, dizia o texto. O avô da influencer se chama Stan, contudo, Nicole afirmou que Gabby nunca o chamou pelo nome. “A mãe estava preocupada que algo estivesse errado com sua filha”, afirmou o policial. “Esta é a última comunicação que alguém teve com a jovem”, esclareceu ele. O documento pontuou, ainda, que o celular de Petito ficou desligado por cerca de 15 dias antes do início das investigações.

Também de acordo com o mandado, Gabby havia enviado “várias mensagens de texto” e “mantido muitas conversas” com a mãe durante sua viagem com o noivo. No conteúdo das comunicações, a jovem expressou preocupação sobre seu relacionamento com Brian. “Durante essas conversas, parecia haver cada vez mais tensão entre ela e Laundrie”, escreveu o detetive.

Brian Laundrie e Gabby teriam discutido durante a viagem. O casal chegou até a pedir ajuda policial, após um suposto episódio de “violência doméstico” durante o trajeto. (Foto: Reprodução / Instagram)

Petito foi dada como desaparecida no dia 11 de setembro, cerca de três meses depois que ela deixou Nova York para o passeio de van documentado no YouTube. De acordo com o FBI, Laundrie voltou para casa, em North Port, na Flórida, sem a garota, em 1º de setembro. No dia em que os pais da jovem reportaram seu desaparecimento, a van Ford Transit usada pelo casal foi localizada no endereço de Laundrie em North Port. Entretanto, o mandado de polícia esclareceu que um leitor de placas registrou o veículo entrando na cidade em 1º de setembro, por volta das 10h.

Desde o início das buscas por Petito e após ser aconselhado por seu advogado, o ex-noivo da jovem se recusou a cooperar com as investigações, mesmo sendo considerado como “pessoa de interesse” pelo FBI. Sua recusa em auxiliar os trabalhos das autoridades ficou ainda mais chocante quando foi revelado, na última sexta-feira (17), que Laundrie “desapareceu” no dia 14 de setembro.

Continua depois da Publicidade

Segundo a família, ele teria ido ao Parque Nacional Bridger-Teton, em Wyoming, para “tentar encontrar a namorada”. Porém, a afirmação foi rebatida pelo advogado da família Petito, Richard Stafford, que se pronunciou sobre o assunto em entrevista com a CNN. “Toda a família de Gabby quer que o mundo saiba que Brian não está desaparecido, ele está se escondendo. Gabby é quem está desaparecida”, pontuou.

O sumiço do rapaz então levou o FBI a fazer uma busca de cerca de 8 horas em sua casa em North Port, local em que ele morava com seus pais. No entanto, nenhum dado do que teria sido ou não encontrado na residência de Laundrie foi fornecido pelas autoridades.

Embora o mandado de busca divulgado pelo E! afirme que a mensagem de texto de Petito sobre “Stan” tenha sido sua “última comunicação”, Stafford disse à revista Insider que Nicole recebeu uma mensagem final, no dia 30 de agosto. “Nenhum serviço em Yosemite”, escreveu, supostamente, a jovem. “Ela não acredita que foi de sua filha”, afirmou o advogado. “Olhando para trás, agora com todos os fatos … ela acredita que não é sua filha”, insistiu.

Nesta segunda-feira (20), o advogado voltou a se pronunciar. Horas após anúncio do FBI sobre o corpo encontrado, Stafford emitiu nota à FOX News, pedindo que a mídia desse espaço à família para que pudessem sofrer o luto em particular. No texto, ele também agradeceu às autoridades por seus “esforços incansáveis” para encontrar Petito.