Caso Madeleine McCann: Ex-advogado de Christian Brueckner acredita que o alemão é responsável pelo sumiço da menina; saiba os detalhes

A revelação de que Christian Brueckner é o principal suspeito no desaparecimento de Madeleine McCann, ocorrido em 2007, trouxe à tona novas informações sobre o passado do homem. Em entrevista para o site The Mirror, o advogado Serafim Vieira, que já representou o alemão no julgamento de um outro crime, revelou que existem grandes chances dele ter sido o responsável pelo sumiço da garotinha.

“Acredito que ele esteja por trás do desaparecimento de Madeleine”, confirmou. O advogado explicou para a publicação que trabalhou para Brueckner em 2006, quando ele foi preso por roubar diesel de veículos pesados na região de Algarve, em Portugal. Durante uma das audiências, Christian assumiu que tinha um passado pedófilo, tendo cumprido uma pena de 18 meses na prisão por um ataque sexual contra um adolescente de 17 anos.

Na época, o alemão não forneceu o endereço do lugar onde morava, e por isso, ficou em prisão preventiva por oito meses. Ele vivia em uma cabana de fazenda alugada nos arredores da Praia da Luz — mesmo local onde Madeleine desapareceu —, mas disse ao tribunal que se abrigava em uma van de acampamento, em um depósito de sucata no povoado de Barrocal.

Madeleine McCann e o principal suspeito do caso, Christian Brückner. (Fotos: Reprodução)

Em entrevista para o canal de TV RTP, de Portugal, Serafim Vieira ainda disse que não estava surpreso com a possibilidade de Christian estar envolvido no caso de McCann. Questionado se seu ex-cliente tinha traços de psicopatia, o advogado disse: “Não posso dizer que não. Pelo contrário”.

Christian Brueckner já foi condenado por estuprar uma idosa norte-americana. Agora, autoridades estão investigando se, além de Madeleine McCann, ele pode ser o responsável pelo desaparecimento de outras cinco crianças no ano de 1996, na Alemanha, Bélgica e Portugal. Duas delas foram encontradas assassinadas, as outras três seguem desaparecidas. Uma mulher que foi estuprada em um hotel próximo à Praia da Luz por um homem mascarado pediu que o crime fosse investigado novamente, já que acredita ter sido atacada pelo alemão.

Relembre o caso de Madeleine McCann

A pequena Madeleine McCann desapareceu aos três anos de idade, enquanto passava as férias com a família na Praia da Luz, em Portugal. Ela completaria quatro anos em 10 dias. A menina estava com os irmãos gêmeos Sean e Amelie, então com dois anos, no quarto de hotel. Seus pais, Kate e Gerry McCann, tinham saído para jantar com amigos em um restaurante próximo, dentro do complexo turístico, deixando as crianças desacompanhadas. Assim que eles voltaram, descobriram que Madeleine tinha sumido.

De acordo com o G1, os próprios pais de Madeleine foram considerados suspeitos pela polícia portuguesa, após a descoberta de vestígios biológicos da menina em seus objetos pessoais, e em um automóvel alugado após o desaparecimento. A suspeita era de que Kate e Gerry tivessem ocultado o corpo da filha, após ela ter morrido acidentalmente. Porém, a Justiça portuguesa largou esta linha de investigação quando as análises das amostras que os incriminavam, realizadas no Reino Unido, foram consideradas inconclusivas. Outro suspeito foi o britânico-português Robert Murat, que morava perto do hotel.

Kate e Gerry McCann em 2007. (Foto: Reprodução/YouTube)

O caso é um grande mistério até hoje, que desperta o interesse do público; Madeleine já foi avistada cerca de 9 mil vezes, em mais de 100 países — todas as pistas eram falsas. Na Netflix, está disponível o documentário “O Desaparecimento de Madeleine McCann”, com entrevistas dos principais envolvidos na história.