Explosão abala cidade de Beirute, no Líbano, e deixa mortos e milhares de feridos; Vídeos dos estragos impressionam — confira as últimas atualizações

Meu Deus, que horror! Na tarde desta terça-feira (04), a cidade de Beirute, capital do Líbano, foi abalada por uma assustadora explosão. Os vídeos dos estragos rapidamente circularam pela web, deixando o mundo todo preocupado com a tragédia – ainda sem grandes explicações.

A explosão aconteceu na zona portuária de Beirute, que é repleta de armazéns. Nas imagens, é possível ver que, mesmo antes do estouro, muita fumaça saía do local. Até que a explosão rapidamente propulsionou uma nuvem em formato de cogumelo. A massa de ar movida com o episódio se alastrou em alta velocidade, destruindo vidraças e impactando estruturas das construções ao redor do epicentro.

Continua depois da Publicidade

Nas últimas atualizações sobre o caso, de acordo com a agência Reuters, o Ministro da Saúde do Líbano, Hamad Hasan, afirmou que 78 pessoas morreram após o incidente, e o número de feridos ultrapassa a casa de 4.000 – estatísticas que ainda podem aumentar, enquanto as informações continuam a chegar às autoridades.

Assista a alguns dos vídeos impressionantes do momento aqui:

Continua depois da Publicidade

Possíveis causas da explosão

Não se sabe ao certo qual foi a razão exata para o incidente no porto. Entretanto, o ministro libanês Mohamed Fehmi afirmou que a explosão parece ter sido causada por “enormes quantidades de nitrato de amônio”, que estavam armazenadas no local, segundo o The Guardian. Emissoras locais também informaram que as redondezas do porto abrigam armazéns de fogos de artifício, onde haveria materiais altamente explosivos, como nitrato de sódio.

O diretor geral da Segurança Geral do Líbano, Abbas Ibrahim, também comentou sobre essa questão com a imprensa. “Parece que há um armazém contendo materiais confiscados há anos, e parece que eram materiais muito explosivos”, disse ele. “Os serviços responsáveis estão realizando a investigação, e dirão qual é a natureza do incidente”, completou.

Atualmente, o Líbano vive uma intensa crise e instabilidade política. Além disso, o país já foi alvo de uma série de ataques terroristas. Entretanto, até o momento, não há qualquer evidência de que estas teriam sido a motivação da explosão – a hipótese vigente é de que chamas nos armazéns teriam provocado a explosão.

Continua depois da Publicidade

Resgate das vítimas e hospitais destruídos

O impacto do estouro foi imenso, até mesmo a ponto de lançar pessoas ao mar. Segundo a Cruz Vermelha, alguns barcos foram mobilizados para resgatar tais vítimas. De acordo com o G1, a organização humanitária também afirma que muitas pessoas ainda estão presas nos escombros dentro de suas casas, abaladas pela explosão. Por conta disso, ainda é difícil ter um noção do tamanho dos estragos.

Além das preocupações com a pandemia da Covid-19, os hospitais da região agora estão sofrendo também para lidar com os pacientes, visto que também foram abalados pela explosão. Em um deles, localizado a menos de dois quilômetros do epicentro, um médico contou que diversos feridos estavam sendo levados até lá – no entanto, não conseguiam ser atendidos, porque o hospital estava destruído.

Continua depois da Publicidade

“Eles estão trazendo pessoas ao hospital, mas não conseguimos tratá-las… Eles as estão deixando do lado de fora, nas ruas. O hospital está destruído, o pronto-socorro está quebrado”, disse o médico, em relato ao The Guardian. Nas redes sociais, circulam também vídeos que mostram pacientes sendo atendidos nas ruas e até mesmo estacionamentos, por conta da destruição. Olha só:

Estragos destroem ruas de Beirute

Como alguns vídeos demonstraram, a explosão deixou para trás um rastro de destruição, sentido a quilômetros de distância da região do porto. O correspondente do The Guardian, Martin Chulov, descreveu parte desse cenário assustador: “As ruas da zona leste de Beirute ficaram em ruínas apocalípticas, mesmo a quatro quilômetros do epicentro da explosão. Cada prédio nessa área perdeu algumas, senão todas as janelas”.

“Árvores ficaram em pedaços e piscinas de sangue viraram comuns. Rastros de sangue levavam aos carros e motos, que correram com os feridos às clínicas ou hospitais, que não conseguiam lidar com os mortos e mutilados”, continuou Chulov. “Dezenas de prédios claramente sofreram um estrago estrutural. Um bombardeio de semanas de artilharia constante provavelmente não causaria tamanhas ruínas”, avaliou o correspondente.

Continua depois da Publicidade

Chulov ainda completou: “É bem difícil abalar Beirute, que já se reergueu e decaiu em bombas antes. Mas em uma cidade habituada às explosões, isso foi algo novo”. As imagens dos destroços e do impacto causado pela explosão também assustam, em diversos registros compartilhados pelas redes sociais. Confira mais algumas das imagens abaixo:

Continua depois da Publicidade