Menino de 13 anos briga com a mãe, tenta arrombar janela de avião e acaba preso na poltrona com fita adesiva. (Reprodução/CBS)

Menino de 13 anos briga com a mãe, tenta chutar janela de avião e é preso na poltrona durante voo; assista

Que situação… Nesta semana, um garoto de 13 anos teve que ser contido em um voo da companhia aérea norte-americana American Airlines, após brigar com a mãe a bordo e tentar chutar a janela do avião. Segundo informações da CBS, de Los Angeles, os comissários tiveram que “acalmar” o adolescente com a ajuda dos passageiros próximos. É o terceiro incidente deste tipo em pouco mais de um mês. Já pensou se vira moda?

Testemunhas disseram à CBS que o menino começou uma verdadeira batalha física com a própria mãe cerca de uma hora após o início do voo, e, de repente começou a chutar a janela ao lado de seu assento. Em decorrência do problema, o voo 212, que partiu de Maui às 12h30 (hora local) desta terça-feira (10), precisou dar meia-volta e retornar ao Havaí, pousando em Honolulu, onde o menino foi levado sob custódia.

Nos registros, alguns passageiros seguram o adolescente, enquanto um comissário aparece com uma fita adesiva. No entanto, um porta-voz da companhia aérea se manifestou, dizendo que apenas algemas flexíveis foram usadas para acalmar o garoto. “Depois de pousar em Honolulu às 3:47 da tarde [hora local], os clientes foram reacomodados em outros voos ou receberam acomodações em hotéis. Segurança e proteção são nossa maior prioridade e pedimos desculpas aos nossos clientes por qualquer inconveniente que isso tenha causado”, disse o representante da companhia aérea em um comunicado. Felizmente, ninguém ficou ferido. Assista ao momento:

 

Outros casos de passageiros restringidos com fita adesiva

Em 6 de julho, uma passageira que viajava de Dallas para Charlotte também com a American Airlines, foi amarrada com fita adesiva, após tentar saltar da aeronave e agredir os comissários de bordo. Segundo o jornal britânico The Mirror, o incidente foi registrado durante o voo AA-1774.

De acordo com as testemunhas que estavam no voo, em certo momento foram ouvidos gritos vindos da parte da frente do avião, onde fica a primeira classe doméstica da companhia. O piloto então anunciou que todos deveriam permanecer sentados até o pouso, devido a uma “situação ruim”. Pouco depois, os comissários explicaram o que aconteceu, informando que uma mulher tentou abrir a porta da aeronave durante o voo e que teria agredido a tripulação com cuspes e mordidas, enquanto era imobilizada com a ajuda de outros passageiros.

Em comunicado, a American Airlines disse: “Durante o voo de Dallas para Charlotte em 6 de julho, a tripulação a bordo do voo 1774 da American Airlines relatou uma possível preocupação com a segurança depois que uma cliente tentou abrir a porta dianteira e foi agrediu fisicamente, morde e causou uma lesão a um comissário de bordo. Para a segurança de outros clientes e de nossa tripulação a mulher foi detida até que o voo pousasse e pudesse ser retirada por policiais e pessoal de emergência”. Confira:

 

Já no dia 31 de julho, um passageiro da companhia aérea norte-americana Frontier Airlines causou uma situação horrenda em um voo que partiu da Filadélfia em direção a Miami. Tudo começou quando o homem, identificado como Maxwell Berry, de 22 anos, pediu sua terceira bebida alcoólica e esfregou seu copo vazio contra as nádegas de uma comissária. Segundo o boletim de ocorrência registrado contra Berry, a aeromoça teria pedido ao passageiro que ele não a tocasse.

Na sequência, Berry, que estava sentado no assento 28D, saiu do banheiro sem camisa depois de derramar sua bebida. Outro comissário então tentou fazer com que ele colocasse suas roupas de volta, informando Maxwell que ele precisava estar totalmente vestido para voltar a seu assento. O comissário ajudou o baderneiro a tirar uma camisa de sua bagagem de mão, mas Berry ficou caminhando ao redor da cabine por cerca de 15 minutos, ignorando a tripulação, que pediu repetidamente para que ele se sentasse.

Continua depois da Publicidade

Foi durante seu “passeio” que ele se exaltou e então apalpou os seios de outra comissária de bordo, que também lhe disse para não tocá-la. Segundo os policiais que registraram o caso, mais tarde, Maxwell voltou a colocar os braços em volta das mesmas comissárias de bordo e apalpou seus seios. Que absurdo!

Os toques impróprios motivaram um quarto comissário de bordo, desta vez do sexo masculino, a tentar resolver a situação. No entanto, quando ele se aproximou do passageiro e pediu diversas vezes para que se acalmasse, Berry acabou dando um soco no rosto dele. Meu Deus… A situação chegou a extremos tão grandes que um membro da tripulação amarrou Maxwell com fita isolante em seu assento até que o avião pousasse. Assista:

No início deste ano, a Administração Federal de Aviação (FAA), anunciou o aumento no valor das multas para passageiros que perturbam os voos e causam incidentes de segurança. O valor pode chegar a US$ 35 mil (cerca de R$ 182 mil na cotação atual), incluindo pena de prisão para os baderneiros. Nos últimos meses, o número de ocorrências aéreas tem batido recorde nos EUA, principalmente por conta do não uso das máscaras, importante item de proteção contra a Covid-19.