Polícia dos EUA investiga vídeo que mostra homem negro paraplégico sendo arrastado de carro. (Reprodução/Twitter)

Vídeo mostra policiais arrastando homem negro paraplégico de carro: “Foi humilhação total”; Caso é investigado — saiba detalhes

A polícia de Dayton, no estado norte-americano de Ohio, está investigando um vídeo que mostra um homem negro paraplégico sendo arrastado do carro pelos cabelos por dois policiais. Após o episódio, que aconteceu em 30 de setembro, o homem identificado como Clifford Owensby, de 39 anos, entrou com uma queixa na Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor (NAACP). As informações são da CNN.

“Eles me arrastaram para seu veículo como um cachorro, como um lixo, foi humilhação total”, lamentou Clifford em entrevista coletiva neste domingo (10). Agora, ele acusa o departamento de polícia local de traçar um perfil, prisão ilegal, busca e apreensão ilegais e de não ler seus direitos antes de ser levado para a prisão, disse o presidente da NAACP, Derrick Foward. “Isto é um total desrespeito pela vida humana. Os oficiais precisam ser responsabilizados”, afirmou Foward.

O advogado de Owensby, James Willis, informou que planeja abrir um processo civil. “Levará um pouco de tempo para fazer algumas investigações, mas provavelmente teremos algo arquivado no próximo mês. Acho que foi ilegal e desnecessariamente brutal, dado o fato de que eles sabiam que ele não poderia sair do carro sozinho”, disse. A imprensa aponta que havia uma criança no carro no momento do incidente, mas ainda não há confirmação de parentesco entre eles.

Polícia dos EUA investiga vídeo que mostra homem negro paraplégico sendo arrastado de carro. (Reprodução/Twitter)
A polícia está investigando o vídeo que mostra homem negro paraplégico sendo arrastado de carro. (Reprodução/Twitter)

As imagens da câmera instalada na farda do oficial, e que circulam nas redes, mostram policiais parando o homem e pedindo a ele que saísse do carro para que pudessem revistá-lo em busca de drogas. É possível ouvir Owensby respondendo que é paraplégico e por isso não conseguiria. “Sou um paraplégico. Eu tenho ajuda para entrar”, diz.

Continua depois da Publicidade

O homem então pede que o oficial chame um superior. Ele responde dizendo que vai chamar, mas que Owensby deve sair do carro primeiro: “Se você não cooperar e sair do carro, vou te arrastar pra fora. Você vê suas duas opções aqui?”, grita o oficial. Segundos depois, dois policiais agarram Owensby e uma luta começa; um deles o agarra pelo braço e outro pelo colarinho. Em seguida, eles agarram seu cabelo e o arrastam para fora do veículo. Clifford Owensby é visto lutando na calçada, gritando por ajuda enquanto os policiais o dominam e o levam para a viatura. Assista:

Segundo um comunicado do major da polícia de Dayton, Brian Johns, os policiais que aparecem no vídeo chamaram uma unidade de Detecção de Narcóticos K-9, porque observaram Owensby deixar uma casa onde tinham pessoas suspeitas de tráfico de drogas. Ainda segundo ele, após o episódio, o homem foi levado a um hospital para verificar se houve ferimentos, mas recebeu alta no mesmo dia. O major da polícia também disse que dentro do veículo foi encontrada uma bolsa com US$ 22,4 mil (cerca de R$ 124 mil na cotação atual).

Na entrevista coletiva, Owensby disse que o dinheiro era suas economias e nenhuma arma ou droga foi encontrada. “Eu tenho pesadelos. Eu não deveria ter que sair de casa todos os dias me perguntando se isso vai acontecer comigo de novo”, desabafou.

O Dayton Daily News noticiou que um relatório havia acusado o homem de obstruir operação policial e resistir à prisão, mas nenhuma das duas denúncias foram confirmadas. Segundo a publicação, Clifford foi citado no tribunal local por causa de uma criança de 3 anos de idade sem equipamento de proteção no banco de trás e do vidro colorido do carro. A polícia disse ao jornal que há “uma investigação atual e ativa a respeito do dinheiro”.

Continua depois da Publicidade

O departamento de polícia de Dayton emitiu um comunicado sobre o caso: “Os policiais seguiram a lei, seu treinamento e as políticas e procedimentos departamentais. Às vezes, a prisão de indivíduos inconformados não é bonita, mas é parte necessária da aplicação da lei para manter a segurança pública, que é uma das ideologias fundamentais de nossa sociedade”.

A prefeita de Dayton, Nan Whaley, também se manifestou. “Não importa onde você mora ou sua aparência, todos merecem ser tratados com dignidade e respeito ao lidar com a Polícia de Dayton. Dayton continua comprometida com nosso processo de reforma policial liderado pela comunidade e com o fornecimento de transparência em situações como essa”, disse.