Leah Croucher (1)

Jovem desaparecida no Reino Unido teria sido vista em busca no Google Earth; Polícia investiga — veja a imagem

A jovem Leah Croucher, de 19 anos, desapareceu misteriosamente em 15 de fevereiro de 2019, na cidade de Milton Keynes, no Reino Unido. Mas, recentemente, a Polícia recebeu o que seria uma nova pista do paradeiro da garota. Segundo o jornal local MK Citizen, membros de uma comunidade online acreditam ter visto a vítima em uma imagem capturada pelo Google Earth.

O registro foi feito um mês depois do desaparecimento de Leah, em um celeiro fora de uso, que fica a cerca de 29 quilômetros da cidade dela. A cena exibida no Google Earth foi muito ampliada, mas, apesar de borrada, seria possível ver o formato de um rosto e uma linha do cabelo parecidos com o da menina desaparecida. As imagens foram entregues para a polícia, que confirmou que já estão averiguando os novos achados. “A Polícia de Thames Valley confirma que recebeu algumas imagens, que estão sendo revisadas pelo time da investigação do desaparecimento de Leah Croucher”, disse um porta-voz. Olha só:

Leah Croucher4
A imagem ampliada teria mostrado o que seria Leah Croucher um mês depois do seu desaparecimento. (Foto: Reprodução)

Contudo, de acordo com o jornal, a casa da mesma propriedade já havia sido alvo de buscas da polícia há quase dois anos. “A casa estava vazia e à venda na época. Nós vimos a polícia escavando o chão e as pessoas foram informadas de que fazia parte de uma busca por Leah Croucher. A propriedade até foi tirada do mercado por um período, até que a polícia tivesse finalizado”, contou um residente de Eaton Bray. “Os rumores se espalharam pela vila e todos fofocavam sobre isso. Mas nada veio à tona na busca, então pensamos que eram só falsos indícios. Nunca conseguimos entender por que Eaton Bray estava envolvida”, acrescentou o morador.

Continua depois da Publicidade

Como a descoberta aconteceu?

Nas últimas semanas, as antigas buscas da polícia de Eaton Bray voltaram à tona nos fóruns online, incluindo uma página do Facebook, dedicada a tratar de atualizações e investigações do caso. Curioso sobre como seria a tal propriedade, um usuário da rede decidiu procurá-la no Google Earth, até que teve essa surpresa. “Eu dei um zoom na casa e movi o cursor ao longo de um dos celeiros próximo dela. Eu dei um zoom, depois dei zoom novamente, e aí não podia acreditar no que estava vendo”, contou o membro da comunidade.

“Eu achei que eu estivesse vendo coisas, no começo”, relatou a fonte. “Eu pude ver uma pessoa em um dos celeiros, visível através de uma grande abertura na parede. Era claramente uma mulher e parecia que tinha um cobertor vermelho ou jaqueta ao seu redor. Ela só estava sentada lá”, mencionou. “Era um mês depois que Leah tinha desaparecido [março de 2019]. Quanto mais eu olhava para a foto, mais parecia se assemelhar com a Leah. A garota parece ter a mesma idade, ela tem a mesma linha do cabelo, mesmos olhos e as mesmas adoráveis bochechas gordinhas”, acrescentou.

Continua depois da Publicidade

Logo de cara, a imagem levantou uma série de possibilidades sobre o que teria acontecido. “Me deu arrepios na espinha. Meu coração estava batendo tão rápido que eu achei que teria um ataque cardíaco. Poderia aquela menina ser a Leah – viva – em março de 2019? Se era, como ela chegou até o celeiro? Parecia que ou ela estava escondendo, ou alguém teria escondido ela. Mas por quê? As questões estavam correndo pela minha cabeça”, recordou o internauta.

Dona anterior da casa se manifesta

Procurada pelo jornal, a mulher que era dona da casa na época falou sobre o caso, e afirmou que já havia deixado a propriedade no mês de fevereiro. Ela contou que a mudança veio porque, supostamente, havia uma vingança contra ela, por parte de uma gangue envolvida com tráfico sexual e tráfico de drogas. “Eu tinha medo pela minha vida”, admitiu a antiga proprietária.

Continua depois da Publicidade

A mulher disse ter deixado uma chave com um conhecido para que ele cuidasse dos três cachorrinhos dela, visto que ela não teria como levá-los. Entretanto, em junho de 2019, os animaizinhos foram encontrados mortos de fome na residência. Um processo da Associação Real de Prevenção à Crueldade Animal (RSPCA) envolvendo o caso também foi abandonado. Enquanto isso, a casa foi vendida em 2020 e não há indícios de que os novos donos teriam alguma ligação ao desaparecimento de Leah.

Leah Croucher
Mais de 4 mil propriedades já teriam sido investigadas no caso de Leah Croucher. (Foto: Reprodução)

Até hoje, em dois anos desde o desaparecimento de Leah Croucher, a equipe de buscas já investigou pelo menos 4 mil propriedades. Segundo dados da BBC, os policiais também já examinaram 1,2 mil horas de imagens de circuitos de segurança. A torcida é que as possíveis novas descobertas tragam mais luz para o caso, na tentativa de desvendar o enigma envolvendo o sumiço da jovem.