Coronavírus: O Oscar 2021 pode ser cancelado por conta da pandemia?! Entenda o futuro da principal premiação cinematográfica!

A pandemia do novo coronavírus colocou o mundo de cabeça para baixo em todos os setores possíveis… Com o calendário de lançamentos de filmes paralisado, o Oscar 2021 será impactado diretamente. De acordo com o Entertainment Weekly, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas discutirá o futuro da cerimônia nos próximos dias, já que nada parecido com o que estamos vivendo ocorreu ao longo das 92 edições.

Um dos principais pontos a serem discutidos pela instituição são os critérios para um filme ser inscrito no Oscar. Muitos longas não terão a oportunidade de estrear nos cinemas, por exemplo, o que, na configuração atual, seria um fator para a desclassificação. Outra questão a ser analisada são as novas datas de lançamentos para o próximo ano, que já foram anunciadas por muitas produções. A Academia precisará discutir se o calendário oficial seria a melhor maneira de conduzir a organização do evento.

Como se sabe, o Oscar faz parte da principal temporada de premiações norte-americanas, logo nos primeiros meses do ano. Se pensarmos positivamente, considerando que o pior da pandemia do novo coronavírus tenha chegado ao fim no início de 2021, será que esses eventos, com tanta aglomeração e contato físico direto e indireto (já parou pra pensar quantas mãos tocam uma estatueta até chegar ao vencedor?), vão poder acontecer de forma presencial?

Apesar deste cenário cheio de dúvidas, muitas produções estão mantendo seus planos de estreia para a época do outono norte-americano, quando os ‘olhos’ da Academia ficam atentos para cada lançamento. Muitos cogitam viabilizar os filmes, mesmo que apenas digitalmente.

Equipe e elenco do filme “Parasita” recebem a estatueta de “Melhor Filme” do Oscar 2020. Foto: Getty

Porém, os estúdios perderam um grande “impulsionador” para seus longas junto ao público: o Festival de Cannes. Para se ter uma ideia da importância, o evento, já cancelado neste ano, foi o responsável por apresentar ao público o vencedor de “Melhor Filme” do Oscar, “Parasita”. Os festivais de Telluride, Toronto e Veneza, que acontecem logo depois de Cannes, ainda estão de pé no calendário, mas não se sabe ao certo até quando.

Caso a 93ª edição do Oscar aconteça, com os devidos ajustes de elegibilidade, talvez possamos assistir a um prêmio nunca visto antes. Ao não exigir a estreia dos filmes no cinema, nomes da cena independente da indústria poderão ter sua oportunidade de figurar na lista de indicados. Se as datas forem alteradas, as produções terão mais tempo para lidar com os atrasos por conta da pandemia.

Laura Dern e Renee Zellweger, vencedoras dos prêmios de “Melhor Atriz Coadjuvante” e “Melhor Atriz”, respectivamente. Foto: Getty

O Emmy Awards, premiação televisiva, já anunciou alterações em seu calendário, mas sem grandes problemas até então, já que não depende das estreias em cinemas. O Globo de Ouro deu uma brecha no ‘livro de regras’ temporariamente, permitindo que os longas possam se inscrever sem ocuparem as telonas mundo afora.

Pela análise do Entertainment Weekly, o Oscar pode seguir a mesma linha ou simplesmente cancelar a próxima edição. A publicação acredita que a Academia tem a missão de passar uma mensagem para a indústria depois deste período conturbado, mostrando que não se trata mais de apenas pensar no mercado e no lucro.