BBB20: Pyong Lee denuncia ataque de apresentador Neto, aponta injúria racial e desabafa sobre ação de influenciadores

Após prometer processar internautas que difamaram ele e sua família nas redes sociais, Pyong Lee recorreu novamente ao Twitter, para denunciar uma fala do apresentador Neto, da Band. O hipnólogo não sabia quem era o profissional e pediu ajuda dos seguidores para identificá-lo.

“Eu vou dar um pau naquele japonês hipnotizador. É chinês? Seu chinês! Você é folgado, rapaz. Se eu pego você na rua eu quebro você de porrada. Não é possível! Tá hipnotizando a turma lá, rapaz? O rapaz lá é bom, quem vai ganhar lá é o (Felipe) Prior”, disparou Neto no vídeo, arrancando risadas dos outros comentaristas. “Que lindo, na televisão. Parabéns Band TV. Alguém sabe o nome do indivíduo?”, perguntou o coreano, ao repostar o clipe.

Logo em seguida, Pyong compartilhou um texto, desabafando sobre os ataques que tem recebido. “A internet se tornou verdadeira terra de ninguém e não pode ser usada, como está acontecendo, para disseminar ofensas e mais ofensas (…) Eu poderia silenciar, seria menos desgastante, mas não posso deixar que meus agressores fiquem impunes, diante de comportamentos criminosos que vêm adotando”, escreveu.

Sem citar nomes, o mágico repreendeu mais uma vez o ex-jogador, que ainda não se manifestou sobre o caso. “Um apresentador de televisão, que me recuso a citar o nome, se permitiu até mesmo ameaçar minha integridade física, com injúrias raciais, incitando o ódio de seus seguidores, que passaram também a me atacar, colocando em risco a integridade física e psicológica, não somente minha, mas de minha família. É inaceitável este tipo de conduta fora da Lei.”, reforçou.

Continua depois da Publicidade

Ainda em seu texto, o ex-BBB criticou comportamentos de influenciadores digitais. “E o que falar daquele rapaz com milhões de seguidores infantis, que usou crianças como soldados, de olhos vendados, numa guerra que não lhes pertence, contra mim iniciada? É o holocausto das boas regras de convivência em sociedade”, apontou. Vale lembrar que o youtuber Felipe Neto convocou os fãs para participarem de um mutirão de votos contra Lee durante o reality, e também comemorou a eliminação do coreano nas redes.

Pyong mencionou também alguns episódios vividos dentro do programa. O brother foi acusado de tentar beijar Marcela à força e apalpar Flayslane durante uma festa. “O que se passou dentro do ‘BBB’, naquele clima festivo do confinamento, sem qualquer maldade ou beligerância, já foi esclarecido, como público e notório, por mim e pelos envolvidos, mas não por aqueles que querem se aproveitar do episódio para semear o ódio e promover a discórdia”, informou.

Junto de seus advogados, Lee está identificando todas as investidas criminosas. Não gostaria que fosse assim, mas é meu dever social como cidadão lutar contra a violação dos meus direitos, para que outras pessoas não passem por aquilo que estou vivenciando, pela falta de sensibilidade e bom senso daqueles que me agridem”, justificou.

“Foi com muito desagrado que me vi na posição de contratar advogados para adoção de medidas judiciais contra aqueles que estão atacando a minha honra e de minha família. Até o meu filho recém-nascido vem sofrendo agressões e ameaças, num verdadeiro linchamento digital, sem quaisquer precedentes”, lamentou ainda.

Entenda o caso

Na manhã dessa quinta-feira (16), Pyong Lee, o oitavo eliminado do “BBB 20”, contou no Twitter que pretende processar internautas que difamaram ele e sua família nas redes sociais. O hipnólogo e pai de primeira viagem recebeu muitas críticas e mensagens de ódio, por ter perdido o nascimento do filho Jake, enquanto estava em confinamento no reality.

“Contratei sete advogados para processar todos os criminosos da internet que acham que podem ficar impunes depois de falar m*rda. Tirei mais de 500 prints já. Me mandem mais se tiverem, além do print do perfil. Pode ser do Twitter ou Instagram”, informou, pedindo a ajuda dos fãs na coleta de mais material. Em tom de ironia, Lee ainda comentou que faturaria o valor do prêmio do programa com os processos.

Continua depois da Publicidade

Em outra publicação, o mágico disparou contra os haters: “Alguns fãs revoltados já podem esperar processinho em casa. Continuem falando m*rda na internet, por favor”.

Pyong ainda expôs alguns dos comentários feitos por Gabriel Matos, diretor de criação do site BuzzFeed Brasil. Segundo o coreano, o rapaz, apelidado de “Sukita”, será o primeiro a enfrentar os processos. “Funcionário com o comportamento top na internet. Vocês são coniventes, né, BuzzFeed?”, criticou o ex-brother, em resposta às publicações de Matos.

“Rapaz, hoje eu tô mais largado que o filho do Pyong” e “Com a saída da Gizelly e nenhum paredão formado, vou ter que me dedicar ao meu hobby: zoar a família do Pyong”, foram alguns dos textos postados por Gabriel. O diretor ainda comparou Jake a um objeto ao responder uma internauta. Ele disse que o hipnólogo só não teria jogado o filho pela janela, porque perderia seu “mousepad”. Até o momento, nem Matos, nem o BuzzFeed se pronunciaram.

Não satisfeito, Lee evidenciou mais alguns dos recados de ódio compartilhados por outros perfis. Alguns deles vinham acompanhados de montagens do mágico apontando uma arma para o próprio filho, e até de um bebê dentro de uma churrasqueira. “Se vocês estão achando que os processos são por causa de ‘haters’ e zoação, fiquem tranquilos. Eu não ligo pro engajamento que vocês me dão. Só os criminosos que serão punidos mesmo”, declarou o ex-BBB.

“Esperando o vídeo do Pyong ateando fogo no próprio filho”, escreveu mais uma internauta. “Ele (Jake) tem que ficar vivo pra crescer e matar o pai”, afirmou outro.

Um dos seguidores do mágico também questionou a necessidade de tantos advogados trabalhando em cima do caso. “A quantidade de processos é bizarra. Precisa de bastante gente”, avisou o ex-brother.