BBB20: Victor Hugo ‘explica’ vídeo em que fala sobre Manu com Flayslane, e responde comentários de que viveria em ‘realidade paralela’

Depois de deixar o “BBB 20” com 85,22% dos votos, Victor Hugo participou do “Mais Você” dessa manhã (11), e aproveitou para comentar sua participação no reality. Os tópicos abordados foram as desavenças do psicólogo com Pyong, a briga com Manu e Gizelly, o apelido “palestrinha” e o ‘fictício’ trisal com Gabi e Guilherme.

As tretas da última festa deram o que falar! Tudo começou após Prior ter uma longa conversa com o maranhense, sobre como ele teria incentivado a rivalidade entre o arquiteto e a advogada. “Eu estava conversando com o Prior e ele percebeu, na minha opinião, uma oportunidade de inflamar contra uma pessoa que era inimiga dele, que era a Gizelly. E ele sabia que ela era a minha melhor amiga. Ele jogou uma informação distorcida e ela acreditou, o que me deixou muito chateado. Eu fiquei: ‘como assim você está acreditando no seu inimigo?’ Eu me senti muito traído”, desabafou Victor a Ana Maria.

Manu, por sua vez, brigou feio com o psicólogo após descobrir que o brother teria sugerido à Mari e Flay que votassem nela. Questionado sobre o conflito, VH culpou a edição do programa por não ter mostrado o restante da conversa. O rapaz alegou que Flayslane e Mari o defenderam e desmentiram os supostos boatos para Manu. “Era uma mentira que fizeram em cima de outra mentira, Mesmo depois delas confessarem que era mentira, a Manu quis seguir com isso”, afirmou. Ana retrucou, dizendo que no reality, “mentiras não sobrevivem”.

A relação de VH e Guilherme também foi abordada durante o papo, e o eliminado assumiu uma paixão pelo modelo. “Desde que me assumi assexual, sempre me relacionei com mulheres, nunca tinha me relacionado e me apaixonado por homens. Foi a primeira vez que isso aconteceu. Eu acho que ele é uma pessoa incrível e aí eu me permiti. E se me julgarem, tudo bem, porque foi sincero”, comentou.

O ex-brother negou viver numa “realidade paralela” e frisou: “Assexuais amam também e se relacionam com outras pessoas. Só pelo fato de estar de perto dele, eu já estava feliz. Eu expliquei para ele que não sou gay, que não tinha interesse sexual, tinha só vontade de passar tempo. Não esperava uma relação ou coisa do tipo. Era só uma grande amizade, que eu percebia que para mim era algo a mais. Diziam que eu vivia numa realidade paralela, mas é que talvez não conheçam a minha realidade”.

“Sou assexual, biromântico e demissexual. Me interesso pelos dois sexos romanticamente, e demissexual é que não vejo o sexo como algo que nunca faria, mas até hoje nunca tive atração sexual por ninguém. Tem muitos entraves, né… quando a pessoa é alossexual, ela busca outras coisas”, dizia, quando foi interrompido pela apresentadora. “Gente, eu preciso fazer um curso! Você podia montar um dicionário pra mim, pra eu entender”, pediu Ana Maria.

Ainda sobre o trisal com Gui e Gabi, Victor Hugo alegou que tudo não passava de uma brincadeira entre os três. “Em nenhum momento, era uma coisa séria. Eu percebi que algumas pessoas levaram a sério, como se eu estivesse disputando com a Gabi, era uma brincadeira. O meu sentimento pelo Guilherme é verdadeiro, mas sei que ele vai ser só meu amigo”, declarou.

Ana Maria Braga também questionou o que seu convidado não havia entendido no discurso de eliminação de Tiago Leifert. “Talvez seja a questão de ter ido para cima e ter me perdido. Talvez seja em relação ao fato de que eu desconfiei do jogo sujo do Pyong, fui com tudo, tentei todas as estratégias possíveis, mas não consegui ter aliança suficiente para fazer o que queria”, explicou Victor.

Curiosa, a apresentadora pediu que o ex-participante justificasse por que encarou o jogo de Pyong como “sujo”. “Na minha concepção, ele manipulava muito as pessoas indiretamente. Não no sentido de voto, mas de fazer com que as pessoas pensassem coisas diferentes sobre os outros. Ele colocou muitas dúvidas em minha cabeça, em relação ao Guilherme, por exemplo”, justificou.

O eliminado também disse ter ficado assustado por ter sido chamado de “falso” pelos colegas. “As pessoas só me acusavam, acusavam, e teve um momento que percebi que polarizou a casa. Ficou um grupo de um lado e outro, do outro, e eu não concordava com as ações nem de um grupo nem do outro”, contava, quando foi interrompido por Louro José. “Já começamos com palestrinha, né?”, brincou o mascote.

Victor Hugo aproveitou a deixa para analisar o apelido “palestrinha”. “No início, eu via como algo extremamente legal, porque quem deu o apelido foi a Gizelly e ela era minha amiga. Eu entendi que era uma maneira de valorizar uma particularidade minha, que é falar muito. Só que depois percebi que as pessoas estavam usando como pejorativo e que isso estava me afastando delas (…) Quando percebi que era pejorativo, comecei a me sentir mal”, declarou.

O rapaz então assistiu a uma cena em que foi abandonado por Gabi na academia, em meio a um desabafo dele. “Pior que ir pra academia, é ir e ter que ouvir palestrinha no meio do exercício. É meu pesadelo em forma de Big Brother isso aí”, disse Marcela, enquanto observava de longe. “Eu sentia que eu dava oportunidade para as pessoas falarem, porém senti que ninguém era muito interessado em falar comigo, de uma maneira geral”, suspeitou o maranhense.