Michelle

Homem negro é obrigado a tirar a roupa em supermercado, e jornalista da Globo se revolta com vídeo: ‘Humilhação’; assista

Revoltante! A jornalista Michelle Barros demonstrou sua indignação a um caso de racismo ocorrido em uma rede de atacados em Limeira, no interior de São Paulo. O Bom Dia SP, desta segunda-feira (9), mostrou um vídeo em que Luis Carlos da Silva, um homem negro, se desespera tentando provar que não roubou nada do estabelecimento.

A âncora do jornal já chamou as imagens avisando que se tratavam de registros muito tristes. “Vamos mostrar agora imagens perturbadoras. Você vai ver um homem negro só de cueca, cercado por funcionários de um supermercado da cidade. O homem tenta desesperadamente provar que não furtou nada“, anuncia ela.

No vídeo, o senhor de 56 anos grita e se revolta ao reafirmar que não havia cometido o crime. “É chocante, inacreditável isso. Esse homem de 56 anos passa por momentos de angústia, de humilhação. Isso é humilhação. O cidadão trabalhador vai comprar e passa por isso. A esposa [da vítima] disse que ele foi ao atacadista na sexta-feira (6) conferir os preços, e aí foi abordado quando saiu da loja“, informou a jornalista.

Continua depois da Publicidade

De acordo com o advogado que representa o senhor, o caso foi registrado como constrangimento, uma vez que não haveria provas de injúria racial, segundo a Polícia Civil. Michelle continuou, pedindo desculpas por expor a vítima dessa maneira. “Qual é a prova, qual é a suspeita que haveria, qual a razão de submeter pessoa a um constrangimento tamanho? É por causa da cor da pele? O que leva a isso? Um cidadão de 56 anos, o que passa na cabeça?”, disparou a profissional, visivelmente abalada.

Barros informou ainda que a rede de supermercados Assaí, da qual aquela unidade faz parte, disse que os funcionários envolvidos no caso foram afastados e que a companhia vai abrir um processo para investigar o que aconteceu. “A empresa reforça que não adota e nem orienta qualquer forma de abordagem constrangedora a clientes e que tomará todas as providências necessárias tão logo a investigação for encerrada“, completou a jornalista.

Em entrevista ao site “Notícias de Limeira”, Luis Carlos desabafou sobre o racismo sofrido. “Eles queriam me levar para um canto escuro sem ninguém ver. Eu comecei a chamar o pessoal para gravar e servir de testemunha. Se me levassem para trás, eles colocariam alguma coisa em mim e diriam que eu roubei”, pontuou. “Chorei porque não roubei nada. Nunca precisei roubar nada de ninguém. Eu trabalho“, concluiu ele.