Que tristeza! Chef Aaron Grissom, que competiu no “Top Chef” norte-americano, morre aos 34 anos; saiba os detalhes

Que tristeza… O chef de cozinha Aaron Grissom, que participou da 12ª temporada do “Top Chef” norte-americano, morreu no dia 8 de setembro, após um acidente de motocicleta no condado de Pierce, no estado de Washington. A notícia foi confirmada nesta sexta-feira (11) pelo E! News. Grissom tinha apenas 34 anos de idade.

De acordo com o relatório do médico-legista, a causa da morte do chef foi “múltiplos ferimentos contundentes”, sofridos durante uma colisão no trânsito. O TMZ afirma que Grissom usava capacete, mas estava em alta velocidade e perdeu o controle da motocicleta em uma curva. Não houve outros veículos envolvidos no acidente.

O canal Bravo, responsável por “Top Chef”, falou sobre a notícia da morte em um comunicado: “Bravo e a família ‘Top Chef’ estão tristes de saber sobre o falecimento do chef Aaron Grissom da temporada 12, ‘Boston’. Nossos profundos sentimentos vão para a família e amigos [de Grissom]”. 

Segundo um colega de Grissom, que conversou com o Tacoma News Tribune, o profissional estava cozinhando para artistas em turnês antes da pandemia do novo coronavírus. Uma de suas clientes era Billie Eilish. “Ele tinha muita coisa acontecendo [na vida dele]”, afirmou Yu Nanakornphanom. E acrescentou: “Eu acho que ele tinha um futuro brilhante pela frente. Ele estava sempre aprendendo alguma coisa. Ele era focado. Ele viveu a vida intensamente”. 

Aaron Grissom ao lado do chef Guy Fieri, durante o programa “Diners, Drive-Ins and Dives”. (Foto: Reprodução/Food Network)

Nanakornphanom também revelou como a amizade entre os dois era especial, contando que Aaron doou um rim para ele. “Nós estávamos brincando, e ele disse: ‘Eu posso te dar um rim’. Aconteceu de nós sermos compatíveis”, explicou. Sem o gesto do amigo, ele podia ter ficado de três a quatro anos na fila de espera.

Durante o “Top Chef”, Grissom ficou em 11ª lugar, entre 16 chefs. Em sua biografia no programa, ele era descrito como um profissional com “paixão pela cozinha asiática e nova cozinha americana”. Ele acreditava que “comida é nostálgica e desperta fortes memórias, e isso influenciava em seu estilo de homenagear pratos clássicos com abordagens modernizadas”. Ele também apareceu em programas como “Diners, Drive-Ins and Dives”.

Nossos pêsames à família e aos amigos do chef.