Re

Rebeca Andrade canta hit de IZA ao vivo na TV, e ensina Fátima Bernardes coreografia de “Baile de Favela”; assista

Talentosa é ela! A ginasta Rebeca Andrade fez uma participação mais que especial no “Encontro com Fátima Bernardes” nesta terça-feira (24), e deu um verdadeiro show de carisma e de voz. A medalhista olímpica cantou “Dona de Mim”, de IZA, no programa e recebeu um recado fofo da cantora, que fez até um convite para as duas se apresentarem juntas. Que dupla!

A aptidão musical de Rebeca não é nenhuma novidade para quem segue a ginasta nas redes sociais. Ela sempre posta vídeos colocando a voz doce para jogo, e hoje não foi diferente. A atleta deu um show ao interpretar a canção da carioca. “Sempre gostei de cantar e dançar, sempre tive um pé nisso. A música é muito presente na minha vida desde criança. Na minha casa todos cantam e dançam, é uma família artística. Cantar me faz muito bem, eu treino e canto, arrumo a casa e canto, o chuveiro é um grande amigo“, contou ela. Assista:

Continua depois da Publicidade

A cantora, que também é fã da ginasta, ficou super feliz com a homenagem. “Não sei o que dizer, você cantando essa música, mexe com o meu coração. Você é impressionantemente boa cantando também. Que bênção que é ter você inspirando a gente. Parabéns por tudo que você é, por tudo que representa, pela sua luta. Pelo tanto que você me inspira e inspira tantos brasileiros“, disse.

Você é incrível, você fez história e já mora no meu coração. Eu sou muito sua fã e você sabe disso. Você me representa de verdade. E você canta muito, temos que marcar de cantarmos juntas“, declarou a voz de “Gueto”. Essas duas são demais mesmo!

Continua depois da Publicidade

Em outro momento ótimo do programa, Andrade ensinou um pedacinho de sua coreografia de “Baile de Favela”, música que embala a apresentação no solo da ginasta. Foi com essa canção que Rebeca conquistou uma medalha de prata nas Olimpíadas de Tóquio, a primeira do Brasil em ginástica artística na história da competição. Fátima Bernardes arriscou alguns passinhos do número. Só faltaram os saltos, né? kkkkk

Continua depois da Publicidade

A atleta, hoje com 22 anos, avaliou suas mudanças em relação às Olimpíadas de 2016, no Rio. “Acho que eu amadureci muito, eu me via como uma criança. Eu era muito crua, tinha muita vergonha. Hoje tenho desenvolvido outros lados meus que eu não conhecia, isso foi bem importante“, afirmou.

Pra 2024, quero que as gerações só cresçam. Quero aproveitar esse momento pra dar voz a quem não tem, dar incentivo. Falar sobre educação, que foi muito importante pra mim. O esporte muda a vida. Eu não posso mudar o mundo, mas eu posso mudar a vida de alguém, e essa pessoa vai mudar a vida de outra pessoa. Juntos, a gente consegue mudar o mundo. É o que eu acredito“, concluiu Rebeca. Demais!