Menina Queda Apartamento

Menina de 6 anos morre após cair do 12º andar em SP; polícia revela detalhes da tragédia

Rafaella Lozzardo Silva estava sozinha e chegou a gritar por “socorro” antes da queda fatal

Que tragédia dolorosa… Uma criança de 6 anos morreu na madrugada deste sábado (11), após cair do 12º andar de um prédio em Praia Grande, Litoral de São Paulo. De acordo com a Polícia Civil, Rafaella Lozzardo Silva foi deixada sozinha dormindo no apartamento, enquanto seu pai foi levar a namorada em casa. O homem foi preso e liberado.

O comerciante, de 39 anos, ficou fora de casa por aproximadamente meia hora. Nesse meio tempo, a garotinha acordou, viu que estava sozinha e ficou desesperada. Segundo o G1, ela gritou e pediu socorro na varanda antes de cair. “Entrou em desespero. Foi até a sacada e começou a gritar por socorro, [dizia] que estava sozinha e com medo”, contou o delegado Alexandre Comin, responsável pelo caso.

Whatsapp Image 2022 06 12 At 17.41.06
Rafaella tinha apenas 6 anos e chegou a pedir socorro após descobrir que estava sozinha. (Foto: Reprodução)

Continua depois da Publicidade

O barulho chamou atenção de uma vizinha, que tentou tranquilizar a criança e falou que ligaria para a portaria. No entanto, quando ela se deu conta, o acidente já havia acontecido. “Nesse momento, em que a vizinha saiu para ir ao interfone, ouviu um estrondo. Quando ela voltou, constatou que a criança havia caído. Infelizmente uma queda fatal”, relatou o delegado.

Depois da queda, Rafaella foi encontrada no piso superior do estacionamento do prédio. Infelizmente, ela não resistiu e veio a óbito ali mesmo. Assim que retornou, o pai da menina notou as viaturas da polícia e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) no local. Na sequência, ele foi informado de que a filha havia sofrido um acidente e que precisava ser levado até o distrito policial.

Continua depois da Publicidade

Foi então que o comerciante recebeu voz de prisão. “Chegando na delegacia, no momento em que foi dada voz de prisão em flagrante delito, ele foi cientificado da morte da filha. Ficou bastante transtornado com a notícia”, declarou Comin. Entretanto, após uma audiência de custódia, o pai da menina foi solto.

O delegado explicou que a mãe de Rafaella, que era separada do pai, chegou a ir até a delegacia, mas não teve condições de prestar depoimento. De acordo com o responsável pelo caso, outras testemunhas serão ouvidas, para que então o inquérito policial seja encaminhado para o judiciário.