Reviravolta chocante! Suspeita presa pelo assassinato de homem que viralizou ao enterrar a mãe sozinho teria ajudado vítima com “vaquinha” — saiba detalhes!

No último domingo (12), José Ricardo Fernandes Ribeiro, de 44 anos, morreu em decorrência de um incêndio em sua própria casa. Ele ficou conhecido após ter viralizado na web quando compartilhou uma foto sua sozinho velando o corpo de sua mãe. Já nesta terça-feira (14), a Polícia Civil predeu dois suspeitos pela morte do homem.

De acordo com o G1, foram presos um rapaz e uma jovem, ambos de 22 anos, que não tiveram seus nomes revelados. O fator surpreendente é que a mulher detida teria ajudado Zé Ricardo a juntar R$ 40 mil numa “vaquinha” online – ele tinha uma doença renal crônica e buscava doações para realizar o tratamento. A moça teria combinado com o homem de receber parte do valor arrecadado, mas segundo a corporação, não teria sido paga por ele.

Zé Ricardo ao lado da suspeita por sua morte, que teria o ajudado com vaquinha online. (Foto: Reprodução/Polícia Civil/G1)

Conforme as investigações indicam, a jovem teria criado um perfil falso no Facebook e contratado um “matador de aluguel” para ajudá-la a cometer o crime, na cidade de Aparecida de Goiânia, em Goiás. Alguns prints divulgados pela polícia mostram a troca de mensagens na rede social, e que a jovem teria pago R$ 2 mil para o assassino contratado.

Planejamento e motivo do crime

A Polícia Civil afirma que a suspeita se aproximou de José Ricardo quando ele viralizou na web, sensibilizada por sua condição de saúde e pela morte da mãe dele. Segundo a corporação, a mulher também o auxiliava com tarefas domésticas, além de tê-lo ajudado a arrecadar as doações pela vaquinha que acumulou R$ 40 mil.

Zé Ricardo teria combinado dividir parte desse valor com a jovem. Entretanto, as apurações indicaram que a mulher não foi paga. Para os policiais, esta teria sido a principal razão para o crime, e motivo pelo qual a suspeita teria contratado o matador de aluguel. Confira um trecho das interações entre eles online:

Prints divulgados pela Polícia Civil mostram que a jovem teria contratado um matador de aluguel para assassinar Zé Ricardo. (Foto: Reprodução/Polícia Civil/G1)

As investigações apontaram que os jovens roubaram a carteira da vítima, seu celular e também o aparelho de televisão. Tudo isso seria apenas para simular que Zé Ricardo teria morrido durante um assalto (hipótese que era uma das principais, até então). De qualquer forma, o delegado Carlos Levergger, responsável pelo caso, deve indiciar a dupla por homicídio com furto.

Enquanto isso, a Polícia Civil alega que a mulher não conseguiu pegar nenhuma parte do dinheiro, apesar de todos os esforços que teria movido nessa empreitada… Que horror!

Morte de Zé Ricardo

José Ricardo Fernandes Ribeiro, que viralizou na web após compartilhar uma foto velando o corpo da mãe sozinho, morreu no último domingo (12), vítima de um incêndio em sua casa. De acordo com os Bombeiros, Zé Ricardo, como era conhecido, teve 80% do corpo queimado no incêndio. Um helicóptero o levou da cidade de Aparecida de Goiânia até o hospital Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia, mas ele não resistiu aos ferimentos. Quem acionou o socorro foi o dono do imóvel em que o cabeleireiro morava sozinho.

No sábado (11), os vizinhos notaram que uma fumaça estava saindo da casa e ao procurarem saber o que estava acontecendo, encontraram Zé já queimando. O caso será investigado pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia, e foi registrado inicialmente na Polícia Civil como latrocínio, quando o roubo é seguido de morte.

As autoridades apuraram que a vítima tinha recebido o valor de R$ 30 mil em uma “vaquinha” online para dar assistência no tratamento de uma doença renal crônica. Além disso, os policiais identificaram que foram roubados do local o celular, a carteira e o aparelho de televisão de Ribeiro.

José Ricardo emocionou as pessoas ao mostrar que era a única pessoa velando a mãe. Foto: Reprodução/Facebook

José Ricardo vivia sozinho e seu único familiar mais próximo é o filho de 19 anos, que mora na cidade de São Domingos. No entanto,  os dois não mantinham contato, conforme informou a mãe do rapaz para o portal Mais Goiás. A mulher, que não foi identificada, também acrescentou que ela e o jovem não têm condições financeiras para arcar com as despesas do sepultamento de Zé. Até a manhã desta segunda-feira (13), o corpo do cabeleireiro não havia sido retirado do IML.

Velório solitário da mãe comoveu a web

No ano passado, Zé Ricardo ficou conhecido na internet após publicar uma foto do velório da sua mãe. “Eu velei e enterrei minha mãe sozinho, eu e o motorista da funerária”, desabafou em seu perfil no Facebook. Na época, a publicação recebeu milhares de curtidas e compartilhamentos, e muitas pessoas se sensibilizaram com a situação.

Posteriormente, as pessoas tiveram a oportunidade de descobrir mais detalhes sobre a história de José, que havia largado sua profissão como cabeleireiro para cuidar de uma doença renal crônica. Ele também se dedicou a cuidar sozinho da mãe por quatro anos. Com a repercussão do seu compartilhamento, ele desejou que as pessoas se sensibilizassem.

Zé Ricardo se revoltou ao ver que ninguém manifestou pesar pela morte de Maria, mesmo tendo comunicado a morte nas redes sociais com antecedência. Foto: Reprodução/Facebook

“Eu não fiz isso para aparecer, ficar famoso. Mas quando começou a bombar, eu vi que posso usar isso para que inspire filhos a cuidarem dos seus pais até o fim, não os abandonar”, disse para o G1. Zé Ricardo também confessou que se indignou pra valer quando percebeu que ninguém da sua família ou amigos manifestou pesar pela morte da matriarca.

“Eu fiquei revoltado. Eu publiquei esperando ser criticado e eu já tinha a resposta pronta, porque ninguém nunca me ajudou, sabia da situação dela e não ligavam, não faziam uma visita. Só que repercutiu para um lado diferente. Minha mãe não teve crocodilo chorando no caixão dela, mas teve 320 mil curtidas de um adeus que foi de coração de pessoas do Brasil todo”, falou.