Anitta, Bruno Gagliasso, Maitê Proença e mais artistas reagem em choque à entrevista de Regina Duarte para a CNN: “Não dá pra desculpar”

Na noite dessa quinta-feira (07), uma entrevista de Regina Duarte para a CNN Brasil repercutiu negativamente após a Secretária Especial de Cultura minimizar mortes e a tortura da Ditadura, e perder a paciência com uma fala de Maitê Proença. Diante às declarações lamentáveis de Regina, alguns artistas resolveram se manifestar sobre a entrevista, chocados.

Uma das primeiras a reagir foi a própria Maitê Proença, em uma live no Instagram com a diretora Adriana Dutra. No papo, ela explicou o que havia dito no vídeo que irritou a secretária e pontuou seus questionamentos. “Ela é nossa embaixadora com o presidente. Ela tem que explicar para ele o que é arte porque ele não sabe. Ele usa como discurso o mal-entendido sobre a Lei Rouanet, que as pessoas não entendem que são as empresas que financiam, não o governo”, disse, de acordo com a colunista Constança Rezende, do ‘UOL’.

“Achei realmente que, como tenho diálogo com ela, como gosto dela, a defendi para todas as pessoas, meti minha mão no fogo, me comprometi a ponto das pessoas acharem que o meu voto tinha ido para o mesmo lugar, ainda assim ela não quis ouvir”, desabafou. Na sequência, ela fez críticas à gestão da colega de profissão.

“Fiz um pedido da classe sobre o que ela já deveria ter feito. Ela não entrou ontem, ela entrou há dois meses, já era para ela ter um plano, um esboço, de dizer ‘estou tentando, mas não estou conseguindo’ , ela deveria ter um compromisso com a classe”, afirmou. Confira o vídeo da atriz enviado à CNN:

Anitta, que recentemente lutou pelo direito de compositores, também fez um longo texto sobre a entrevista, nos comentários do próprio perfil de Duarte. “Vejo que a senhora me segue aqui no Instagram e gostaria de dizer algo como cidadã. Assisti a sua entrevista na CNN e já vi em alguns lugares que não foi combinado uma entrevista ao vivo , mas, falando como artista que já passou por isso algumas vezes (se é que realmente foi isso), acho que haveria mil outras formas de se pronunciar sem ser grosseira com os demais”, pontuou a cantora.

“Uma pessoa que aceita assumir a secretaria de cultura está aceitando trabalhar para o povo, isso significaria escutar TAMBÉM os lados que pensam diferente da senhora e colocar sua posição sobre a questão. Se recusar a ouvir uma opinião contrária logo depois de enaltecer os tempos de ditadura me causa muito medo. Até porque eu e muitos dos meus amigos seríamos os primeiros censurados caso esse regime voltasse ao Brasil e nós continuássemos no exercício do nosso trabalho”, lamentou a carioca.

Anitta seguiu, dizendo que ela deveria governar para o povo e não somente para aqueles que têm afeição por ela, e questionando quais medidas estão sendo tomadas para os artistas em meio à pandemia. “Não seria mais inteligente responder com calma e sabedoria o que tem sido feito pela classe cultural em virtude dos acontecimentos do covid 19? Aliás, o que tem sido feito? Todas as prefeituras do Brasil possuem verbas de entretenimento para o povo. Agora, que não estão sendo utilizadas, pra onde está indo esse dinheiro?”, indagou. Confira a íntegra:

“Meu intuito aqui não é insultar e, sim, questionar”, pontuou a cantora. (Foto: Reprodução/ Instagram)

No perfil de Regina, a atriz Alice Wegmann também se manifestou. “Vi que a senhora também me segue aqui e espero que essa mensagem chegue até aí. Não anule todo o seu talento, Regina. Tudo o que fez de bom pro nosso país tempos atrás vai ser esquecido por essas declarações que a senhora está dando. É uma pena. Sinto uma tristeza imensa. Espero que, se ainda restar algo de bom dentro da senhora, a senhora ajude a classe que já pertenceu algum dia”, pediu.

“E sabe que tem muitos artistas, técnicos que trabalham MUITO, SIM, e que nesse momento estão passando necessidade e, SIM, precisam de você. Você vem provando ser o contrário do que um artista é. Somos humanos, sensíveis, queremos criar, transformar, apontar a beleza do mundo, sonhar, agir e mudar. A senhora não tem feito nada. E quando faz, faz de forma extremamente deselegante e com má intenção. Eu sinto muito, odeio ter que dizer coisas ruins às pessoas. Mas são as verdades que me cabem. É pena ser tarde demais”, finalizou.

“É pena ser tarde demais”, disse Alice. (Foto: Reprodução/ Instagram)

Bruno Gagliasso também se mostrou indignado com as declarações e respondeu especificamente ao momento da entrevista em que a secretária deu de braços sobre as mortes da ditadura. “Cara, desculpa, mas na humanidade não para de morrer”, minimizou ela. “Não dá pra desculpar não, Regina. Não dá pra desculpar o seu deboche com torturados pelo Estado, sua naturalização da barbárie. Não dá pra desculpar sua arrogância ao dar de ombros às minorias, esquecendo-se que a senhora é parte do governo e tem a obrigação de trabalhar para todos, não apenas sua pretensa maioria”, iniciou o ator.

“Não dá pra desculpar seu silêncio, sua falta de projetos, a forma como você trata os trabalhadores do audiovisual brasileiro. Não dá pra desculpar sua falta de diálogo com a categoria, a sua estupidez com jornalistas e ex-colegas de trabalho. Não dá pra desculpar a preferência que a senhora tem por ditadores, genocidas, irresponsáveis, gente sem compromisso com a verdade e com a vida”, seguiu, listando críticas à Duarte.

“Não dá pra desculpar os 9.146 corpos que estão enterrados com uma pá de descaso do seu governo. Não dá pra desculpar todos esses caixões que a senhora desenterra e carrega nas costas junto com seu governo e com sua ideologia monstruosa. Não dá pra te desculpar, Regina. Não dá pra desculpar”, afirmou. Em resposta, Giovanna Ewbank também se manifestou: “Inacreditável”.

View this post on Instagram

Não dá pra desculpar não, Regina. Não dá pra desculpar o seu deboche com torturados pelo Estado, sua naturalização da barbárie. Não dá pra desculpar sua arrogância ao dar de ombros às minorias, esquecendo-se que a senhora é parte do governo e tem a obrigação de trabalhar para todos, não apenas sua pretensa maioria. Não dá pra desculpar seu silêncio, sua falta de projetos, a forma como você trata os trabalhadores do audiovisual brasileiro. Não dá pra desculpar sua falta de diálogo com a categoria, a sua estupidez com jornalistas e ex-colegas de trabalho. Não dá pra desculpar a preferência que a senhora tem por ditadores, genocidas, irresponsáveis, gente sem compromisso com a verdade e com a vida. Não dá pra desculpar os 9.146 corpos que estão enterrados com uma pá de descaso do seu governo. Não dá pra desculpar todos esses caixões que a senhora desenterra e carrega nas costas junto com seu governo e com sua ideologia monstruosa. Não dá pra te desculpar, Regina. Não dá pra desculpar.

A post shared by Bruno Gagliasso 🐺⚡️🌳🌻 (@brunogagliasso) on

Walcyr Carrasco, que já trabalhou com a ex-atriz na Rede Globo, usou as redes sociais para se manifestar. “Regina, você foi minha amiga e também abriu portas no início da minha carreira. Foi uma amiga maravilhosa. Por isso me dói muito vê-la neste novo papel de Secretária. Fiquei chocado quando na entrevista você simplesmente achou ‘normal’ as mortes e chancelou a tortura. Dói mais e mais vê-la assim. Que aconteceu com você, Regina?”, questionou.

Débora Bloch postou um trecho da entrevista no Instagram. “Você não tem humanidade Regina Duarte? Que vergonha!!! Que horror!!! Que triste…”, inconformou-se, recebendo o apoio de vários outros atores e atrizes nos comentários. “Um horror!”, escreveu Miguel Falabella.

“Que triste”, lamentou Alessandra Negrini. “O que é que ‘não tá legal’, Regina? Podemos enumerar? Mas talvez pra você eu diga que o que ‘não tá legal’ é a sua cabeça. E o desfecho da sua trajetória profissional”, apontou Malu Galli.

Cissa Guimarães comentou com vários emojis com ânsia de vômito. “Que laia de ser humano??!! Podridão do ser”, acusou Dira Paes. “A Regina enlouqueceu!!! O que se pode fazer? Meu Deus!!!”, chocou-se Vera Fischer.

View this post on Instagram

Que vergonha!!! Que horror!!! Que triste…

A post shared by Debora Bloch (@deborablochoficial) on