Em tribunal, Johnny Depp admite coisa bizarra que fez com o dedo mutilado após briga com a ex Amber Heard: “Não queria viver” — saiba detalhes

Nesta quinta-feira (9), o julgamento do processo de Johnny Depp contra o The Sun trouxe um novo e forte relato de Amber Heard. Em um comunicado lido diante da Corte, a ex-esposa do astro alegou que ele teria escrito “Eu te amo” com sangue num espelho, após ter cortado a ponta de seu dedo. De acordo com a atriz, o episódio, definido por ela como “suplício de três dias de agressões”, teria acontecido em 2015, numa viagem do então casal à Austrália.

Segundo o Daily Mail, Heard diz ter sido empurrada por Depp contra uma mesa de ping-pong, sufocada com o auxílio de uma frigideira, e alega ter saído com diversos ferimentos, incluindo “cortes por todo o corpo, o nariz inchado e com os lábios feridos”. A advogada do The Sun, Sasha Wass, afirmou que o ator estava “completamente [fora] de si com bebidas e drogas” e que, em duas horas, ele teria até mesmo consumido dez tabletes de ecstasy.

A advogada argumentou que Depp teria “quebrado garrafa atrás de garrafa” enquanto acusava sua então esposa de ter vivido um caso com o ator Billy Bob Thornton. O intérprete de Jack Sparrow negou veementemente as acusações de violência, entretanto, admitiu que ele e Amber tiveram uma briga feia quando ela recusou-se a assinar um acordo pós-nupcial. Os relatos apontam que ele também teria confessado que “possivelmente” acusou a artista de tê-lo traído.

Versão de Johnny

Em sua versão, Johnny acusa Amber de ter sido a pessoa violenta na relação. De acordo com ele, a atriz teria arremessado uma garrafa de vodka nele, assim levando-o a “cortar a ponta do dedo e esmagar os ossos”. Ela, por sua vez, insiste que o astro de “Piratas do Caribe” se machucou sozinho, após ter espatifado um telefone contra a parede.

A Corte teve acesso às imagens dos escritos com sangue – os quais o próprio Depp admitiu que eram de seu dedo machucado. De acordo com o Daily Mail, as mensagens diziam não apenas o “Eu te amo”, mas também outra referência ao ciúme por Amber e Thornton, que dizia: “Estrelando Billy Bob, Amber Fácil”. Na ocasião, em 2015, ele teria gritado: “Olha o que você me fez fazer!”. Questionado sobre isso no julgamento, o ator disse que “sabia exatamente o que estava fazendo”, e reconheceu ter sentido uma “dor considerável”. Veja o estado do espelho:

A advogada do The Sun afirmou que a casa alugada por Depp e Amber na Austrália teria sido deixada como uma “carnificina”, rendendo um prejuízo de US$ 190 mil (cerca de R$ 1 milhão) pelos estragos. Dentre os danos, o ator teria também urinado no chão e pintado um “pênis fake” na região da vagina da pintura de uma mulher. Quanto a isso, Johnny reconheceu que “possivelmente” seria por conta de seu estado mental na situação.

“Quando eu percebi que estava sem a ponta do meu dedo – que estava jorrando sangue em abundância, e com a ponta do osso aparecendo para fora – eu acredito que eu meio que tive uma pane, uma espécie de colapso nervoso”, justificou ele diante da Justiça, segundo o tabloide Evening Standard. “Eu não conseguia viver, eu não queria viver”, completou.

Johnny Depp chegando ao tribunal nessa quarta (08) (Foto: Getty)

Para Johnny, a briga após a discordância sobre o acordo pós-nupcial teria acontecido porque ele “estava convencido de que nunca iria melhorar [o casamento], apenas piorar, e o pior seria a morte”. O artista também teria falado sobre um dos grafites do espelho: “Isso é uma mensagem a ela, ‘Boa sorte e tenha cuidado no topo’, em referência à ambição dela em ser uma grande estrela”.

Depp, novamente, insistiu que as acusações de agressões eram “fabricadas e maldosas”. “Eu nego isso veementemente, e iria o quão longe fosse necessário para dizer que isso é uma ficção banal”, defendeu-se. Todavia, o astro de “A Fantástica Fábrica de Chocolates” confessou ter dito várias vezes a sua ex, “Escute, nós somos a cena de um crime a espera de acontecer”.

Detalhes das supostas agressões

Sasha Wass persistiu no argumento de que as agressões de Johnny contra Amber eram regulares já no final de 2015. Para exemplificar, ela citou um caso em que ele teria espancado Heard, agarrado o pescoço e quebrado o nariz dela, teria arrancado um naco de cabelo e também quebrado a cama de sua mansão em Los Angeles, após empurrar o rosto da atriz contra o colchão do móvel. Ele ainda teria gritado: “Eu vou te matar, c*ralho!”.

A advogada do jornal britânico ainda acrescentou que Whitney, irmã de Amber, também teria sido agredida na tentativa de intervir na briga do casal. Já quando a atriz afrontou o então marido, dizendo, “Ah, então você acha que é um cara fortão pra c*ralho?”, Johnny teria ficado ainda mais fora do sério e desferido cabeçadas contra a esposa. “A senhora Heard gritou e temeu por sua vida”, alegou Wass.

Ao ser confrontado, Depp nega novamente

Johnny Depp foi confrontado com imagens de Amber com dois olhos roxos. Contudo, o ator se limitou a dizer: “Isso é mentira”. Questionado sobre as numerosas acusações de violência, ele respondeu repetidas vezes “não, madame”. O artista alegou que era ele quem teria sido atacado, apesar de ter reconhecido que poderia ter dado uma cabeçada nela “acidentalmente”.

Perante à Justiça, Johnny defendeu que todas as acusações faziam parte de uma conspiração, com o objetivo de pintá-lo como um “bêbado retardado, um selvagem, um maníaco incontrolável, um monstro”. O ator ainda foi além: “Ela estava construindo um dossiê maravilhoso, uma apólice de seguro para quando nós nos separamos”.

Depp está processando o tabloide britânico The Sun, após o jornal ter se referido a ele como “espancador de esposas” em uma matéria de 2018. Hoje mais cedo, a advogada do veículo de imprensa, Sasha Wass, revelou trechos de conversas antigas entre Johnny e Paul Bettany, o intérprete do Visão em “Vingadores”, nas quais eles comentavam sobre modos de matar Amber Heard. Saiba mais detalhes, clicando aqui.