Camila Loures e Uber

Camila Loures pede desculpas a motorista de aplicativo, e rebate críticas em novo vídeo; assista

A influenciadora ainda se defendeu e explicou o que motivou o desabafo

Nesta quinta-feira (19), Camila Loures se manifestou novamente sobre a polêmica envolvendo a Uber Brasil. Desta vez, a influenciadora pediu desculpas ao motorista e se defendeu, reforçando seu lado da história. Na última quarta-feira (18), ela postou um desabafo aos prantos e afirmou que teria sido expulsa por um dos motoristas do aplicativo.

“Primeiramente, o motorista não foi afastado do aplicativo, a própria Uber já respondeu. Quando eu e minha equipe procuramos a Uber, deixamos bem claro que não era esse o intuito. Foi uma situação chata que eu nunca tinha vivido. Eu não fui arrogante e ainda brinquei com ele, disse: ‘Está nevando em São Paulo. Pode fechar o vidro? O vento está no meu rosto’. Ele disse que não, e eu argumentei que pedi o Uber Black, que dá uma opção sobre ar condicionado. Não fui arrogante em momento nenhum, mas de qualquer forma não deveria ter exposto ele (motorista)“, afirmou.

A apresentadora do “Podcats” recebeu críticas por ter revelado a identidade do motorista para seus 17 milhões de seguidores. Segundo Loures, ela se arrependeu de ter publicado o relato e apagou em seguida: “Me desculpa, motorista e me desculpa todos que ficaram ofendidos. Eu fiquei realmente assustada quando postei, mas depois percebi que não era daquela maneira que se resolveria. Eu apaguei e fui resolver onde tinha que resolver. Não imaginei que teria esta repercussão”. 

Camila explicou que é de Belo Horizonte (MG) e se mudou recentemente para a capital paulista. “Em Belo Horizonte, tenho meu carro, minha estrutura. Me mudei para São Paulo tem um mês e poucos dias, ainda não levei meu carro. Peguei o Uber como pego outras vezes”, contou.

Continua depois da Publicidade

“Eu nunca tinha vivido uma situação nem perto desta. Eu me assustei real. Não é sobre ser mimada ou nunca ter entrado em um ônibus lotado, coisa que já fiz muitas vezes na minha adolescência. Já recebi muitos ‘nãos’ e mesmo assim fui atrás dos meus ‘sim’. É sobre ter sido expulsa de um carro em um lugar que não conhecia. Eu me senti muito insegura”, continuou, rebatendo os rumores de que teria sido “antipática”.

Uber se manifesta

Em nota ao hugogloss.com, a Uber se pronunciou e declarou que o motorista não foi banido. “Gostaríamos de esclarecer que o motorista parceiro segue ativo na plataforma. Este caso ainda está em análise, dado que em todos os casos ouvimos ambas as partes para entender melhor o que aconteceu. Seguimos um processo rigoroso, a fim de garantir que todos os envolvidos tenham o direito de serem ouvidos”, disse a empresa.

A plataforma respondeu aos questionamentos de que o motorista só estaria cumprindo protocolos. “Com relação ao enfrentamento da Covid-19, orientamos todos os parceiros e usuários a seguirem o que determinam as normas e autoridades locais. Nas cidades em que não houver exigência da abertura de janelas, isso passa a ser facultativo também em viagens do app”, afirmou a Uber.

“De qualquer forma, muitas pessoas ainda podem se sentir mais seguras seguindo os protocolos, portanto sempre pedimos que cada um respeite as preferências individuais do outro. Se caso algum dos envolvidos se sentir desconfortável, poderá sempre cancelar a viagem”, mencionou a empresa. “Por fim, esperamos que motoristas parceiros e usuários não se envolvam em brigas e discussões e que contatem imediatamente às autoridades policiais sempre que se sentirem ameaçados“, concluiu o texto.