Djonga Racismo

Djonga é filmado dando soco em segurança do Mineirão, e diz ter sido vítima de racismo: “Dessa vez eu reagi”; assista

O rapper Djonga esteve no meio de uma confusão neste domingo (12), no Mineirão, durante a partida entre Atlético-MG e Athlético-PR. O artista teria agredido e ameaçado dois seguranças do estádio de Belo Horizonte (MG). Na manhã desta segunda-feira (13), o artista mineiro quebrou o silêncio sobre o caso e disse ter apenas reagido após ser vítima de racismo.

O G1 deu detalhes do boletim de ocorrência registrado sobre o caso. Segundo o documento, algumas pessoas tentavam atravessar uma barreira de grades instalada no local, conhecida como “triagem”. Nesta hora, os seguranças afirmam que Djonga teria os xingado e feito ameaças. Os funcionários também mencionaram que o rapper teria os agredido com socos e chutes.

Djonga Cleiby Trevisan
Djonga foi acusado de agredir e ameaçar seguranças do Mineirão. (Foto: Cleiby Trevisan)

De acordo com a Polícia Civil, Djonga foi encaminhado à Delegacia de Eventos e ouvido pelas autoridades. A ocorrência foi classificada como lesão corporal leve. “Em seguida, [o artista] assinou Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por lesão corporal leve e, em seguida, liberado. O procedimento foi encaminhado à Justiça para as providências cabíveis”, disse a corporação.

Continua depois da Publicidade

Um vídeo que circulou nas redes sociais mostrou os momentos finais da confusão, quando Djonga foi apartado após a briga com o segurança. Mas a equipe do cantor declarou que as imagens seriam só um pequeno trecho do que houve. “É apenas um fragmento do ocorrido de ontem, sendo que o mesmo é parcial e não mostra os momentos que antecederam a reação de Djonga, que revidou ao ataque físico e verbal do segurança do estádio. O caso já está sendo cuidado pela equipe responsável”, responderam os funcionários do artista.

Djonga aponta racismo no caso

Na madrugada de hoje, Djonga também falou sobre o que havia acontecido e afirmou que sua postura teria sido uma reação a alguma atitude racista. “Sobre racismo, discriminação, pessoas invasivas, não se prova e não se explica, alguns vão acreditar, outros não, a maioria das vezes passa batido, dessa vez reagi [com] um soco, perdi a cabeça mesmo… O vídeo é um trecho do que rolou, o resto tá guardado na memória… Fiz, tá feito!”, escreveu ele no Twitter. O músico ainda acrescentou que a Justiça lidará com o caso: “Os pormenores, as coisas que ninguém viu, as imagens que temos no celular, é só na Justiça, aí o homem lá decide”.

Continua depois da Publicidade

Nesta manhã, o rapper voltou a se manifestar no Instagram, explicando que estava no estádio à convite da CBF, mas que não teria tolerado o suposto racismo que sofreu. “Podia ficar horas aqui contando pra vocês o que aconteceu ontem no Mineirão que ainda ia dar um debate gigante, quando eu dei um soco na cara do segurança. O vídeo que está rolando é um pedaço de uma situação que vem se arrastando desde lá de dentro, desde semana passada. Estava lá como convidado da CBF, enfim”, iniciou. “Sobre racismo, discriminação, essas paradas, não dá pra explicar. Uns vão acreditar, outros não vão. Uns vão falar que é vitimismo, enfim, é isso”, continuou ele.

Whatsapp Image 2021 12 13 At 19.02.34
Djonga disse que sua reação teria sido por conta de alguma atitude raicista. (Foto: Reprodução/Instagram)

Djonga ainda disse que tem de enfrentar o preconceito racial com frequência, mas desta vez, resolveu rebater. “Agora, eu reagi, na maioria das vezes eu não reajo. Se eu reagisse todas as vezes que alguém me trata com discriminação, todo dia vazaria vídeo meu, tá ligado? Dessa vez eu reagi e tá feito, entendeu? O que aconteceu, eu nunca vou conseguir provar, mas é isso”, complementou.

Continua depois da Publicidade

Em outra publicação, o músico citou a letra de sua canção “Olho de Tigre”, questionando os que apoiam a frase “fogo nos racistas” apenas quando é conveniente. “Ir no meu show e ficar gritando ‘fogo nos racistas’ é fácil. Difícil é aceitar quando eu ou qualquer um reage”, escreveu ele. “Desculpa, mãe, hoje é seu aniversário e eu não queria te dar desgosto. De carne, osso e um coração batendo. Eu mesmo”, encerrou.

Mineirão lamenta a confusão

Em nota à imprensa, a administração do estádio do Mineirão também falou sobre o caso, expressando repúdio pelas agressões. “O boletim de ocorrência foi registrado na delegacia de plantão, localizada no próprio estádio. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. O Mineirão lamenta e repudia qualquer ato de violência, e está à disposição das autoridades para colaborar com as investigações”, disse o comunicado.