Fotojet (4)

Empresário que chamou Xuxa de “louca e idiota” é condenado pela Justiça em SP

No ano passado, Adriano de Barros Caruso reagiu a uma ação da apresentadora em prol dos animais

O empresário Adriano de Barros Caruso foi condenado pela Justiça de São Paulo a pagar uma indenização no valor de R$ 30 mil para a apresentadora Xuxa Meneghel. De acordo com informações do colunista Rogério Gentile, do UOL, nesta terça-feira (5), a ação foi movida pela comunicadora após ter sido ofendida nas redes sociais pelo homem, que ocupa o cargo de presidente da Associação Brasileira dos Exportadores de Bovinos e Bubalinos.

Em fevereiro do ano passado, Caruso publicou um vídeo reagindo a uma ação feita por Xuxa sete meses antes, em parceria com a ONG “Mercy for Animals”. Vegana e ativista da causa ambiental e animal, a apresentadora denunciou maus-tratos contra suínos em uma granja localizada em Minas Gerais. Na ação, ela relatou que os bichos estavam sendo agredidos e recebendo choques.

O empresário se revoltou com o vídeo, acusando-o de apresentar cenas que não foram gravadas no Brasil. Ele também desrespeitou Xuxa em seu posicionamento. “Xuxa Meneghel, se você quiser fazer alguma coisa contra o agro, um setor tão sério, que leva esse país nas costas, não minta, não faça esse tipo de propaganda enganosa”, começou. “Sua irresponsável, não seja inconsequente, respeite o Brasil, respeite o agronegócio, respeite o agro. Tudo o que você vive, tudo o que você faz, tem agro. Sua irresponsável, sua imbecil, sua idiota, sua louca”, continuou em outro trecho.

A equipe jurídica deu entrada no processo contra Adriano Caruso, apontando que a apresentadora teve sua honra ofendida. “Não há dúvidas de que houve, por parte do querelado [o empresário], uma efetiva transgressão do direito à manifestação ou de, simplesmente, discordar do posicionamento da apresentadora”, argumentaram os profissionais, de acordo com a publicação de Gentile.

Continua depois da Publicidade

O presidente da ABEBB se defendeu alegando que tinha feito um desabafo público depois que viu as “acusações infundadas” feitas por Xuxa Meneghel. “Xuxa busca a todo momento denegrir (sic) o agro nacional perante a comunidade internacional, em verdadeiro boicote ao consumo da carne bovina e suína do Brasil. Na condição de figura pública, ela deveria adotar postura mais respeitosa com o país que lhe projetou no cenário internacional”, disse.

No entanto, o juiz Marcelo Andreotti não aceitou a argumentação de Caruso, apontando em sua decisão que ele tinha se manifestado de forma “ofensiva, pessoal e desproporcional”. Adriano ainda pode recorrer do veredito, que inclui uma pena de quatro meses de detenção, em regime inicial aberto, além da indenização financeira. No canal do YouTube do empresário, o vídeo que motivou a ação e outros endereçados para a apresentadora ainda estão disponíveis.