Fotojet (3)

Luísa Sonza fala pela primeira vez sobre ataques perversos, desabafo às lágrimas e saída das redes: ‘Tive uma crise’

Luísa Sonza, que desde maio está afastada das redes sociais, estrela a capa da edição de junho da ELLE View. O convite surgiu meses antes da cantora ser alvo de terríveis ataques de ódio, após o falecimento do pequeno João Miguel, filho de Whindersson Nunes, ex-marido da popstar, com a influencer Maria Lina. Mesmo extremamente abalada com a situação, Luísa não desistiu do compromisso profissional previamente acertado.

Foi em conversa com a revista, inclusive, que a artista falou pela primeira vez publicamente, sobre o assunto que tem a assombrado. O episódio aconteceu no dia 31 de maio. Luísa estava em casa, na companhia de seus assessores, quando descobriu o que vinha sendo dito sobre ela, na internet. Na ocasião, a cantora chegou a publicar um vídeo aos prantos, implorando para que cessassem os ataques. Internautas diziam que a gaúcha era a culpada pela morte do bebê. Uma perversidade sem fim.

“Eu estava no quarto, meus assessores abriram a porta e me tiraram do chão, com o celular nas mãos. Eles me acolheram naquela hora. Em um primeiro momento, fui afastada das redes sociais, porque estava em crise. E agora excluí todas elas do meu celular. Minha equipe é que fica olhando e me mandando várias mensagens carinhosas”, explicou.

Continua depois da Publicidade

A loira avisou também que não está pronta para retornar ao mundo virtual. “Preciso realmente cuidar um pouquinho da minha saúde mental. Estou há dias sem mexer nisso, com acompanhamento psiquiátrico e psicológico, e já me sinto bem melhor. Sou uma jovem de 22 anos, cria das redes sociais, uso como grande ferramenta de trabalho e ali realizo meu sonho de ter contato com meus fãs. É tudo junto. Mas não sei quando vou voltar a mexer na internet como era antes, aquela coisa todo dia, o dia inteiro, como uma jovem qualquer”, pontuou.

Todo esse injusto hate respingou também nos familiares de Sonza e em Vitão, namorado da cantora. “Depois dessas últimas ameaças, não vejo mais sentido em ter que ver tudo isso. Preciso me cuidar para também tranquilizar a minha família. E tenho que pensar na minha equipe e na família do Victor. Sandra, a minha sogra, de um ano pra cá, viu o filho tendo o trabalho e o sonho prejudicados por nada. Isso ultrapassa qualquer coisa que eu já tenha visto. O que é isso? É uma coisa chocante? Desesperadora? Qual a palavra pra isso?”, indagou.

L2
“Preciso realmente cuidar um pouquinho da minha saúde mental”. (Foto: Vivi Bacco/Elle)

Na conversa, Luísa também admitiu que detesta dar justificativas de assuntos pessoais de sua vida, como por exemplo, o término com Whindersson – a quem foi acusada de ter traído. “Eu durmo com a consciência limpa todos os dias e estou sempre sendo contestada e indagada. É um eterno tribunal. Eu pensava: ‘não liga pra isso, você está na sua verdade, faz as suas coisas, acredita no teu’. Achava que ia melhorar assim, mas aconteceu o contrário. Só piorou. E eu nunca falava que não tinha sido eu que iniciou o término do meu antigo relacionamento. Nunca quis expor a minha vida pessoal”, declarou.

“Eu só queria trabalhar, fazer música, ter liberdade de cantar, de amar uma pessoa que é tão incrível e não fazer com que ela tenha que pagar um preço que não é dela. Eu faço música desde os 7 anos, nasci pra isso. Não quero ser atacada na rua, não quero ver meu caráter sendo reduzido a nada, não quero que minha família sofra diariamente, não quero que meu namorado sofra sem ter culpa nenhuma, não quero que meu ex-marido sofra com isso também. Ninguém deve pagar esse preço por viver o seu sonho”, acrescentou ela.

Após a morte de João Miguel, vários comentários absurdos perguntando se Luísa estaria “feliz” com a terrível notícia passaram a circular na web. Os ataques vieram junto com ameaças. “Depois desses últimos acontecimentos, dessas ameaças, ficou incontrolável. Eu venho há um ano postando um pouco sobre isso, dizendo parem, gente, eu não traí. Até que chegou o momento de desespero. Eu estava sentada no chão do meu quarto tendo uma crise, abri os stories e pedi para as pessoas pararem: ‘Parem! Eu não aguento mais!’. E aí, desse jeito, acabei me pronunciando mais diretamente pela primeira vez”, lembrou.

Essa chuva de mensagens odiosas nas redes afetou a vida real da popstar. “Agora a gente está tendo que tomar medidas, como se esconder e não poder andar na rua. Isso dói muito. Eu não posso amar, não posso ter outra pessoa, não posso ser feliz. A pessoa que está comigo (Vitão) paga o preço de uma história minha antiga, com a qual ela não tem relação alguma – na vida pessoal e na profissional, porque ele também tem uma carreira artística. Eu jamais poderia esperar que chegasse a esse ponto. Isso não tem justificativa”, desabafou a loira.

Capa Insta 2
“Eu jamais poderia esperar que chegasse a esse ponto”. (Foto: Vivi Bacco/Elle)

Diante de todos esses acontecimentos, Luísa precisou adiar o lançamento de seu novo álbum, intitulado “Doce 22”. “Ele seria lançado dia 22 de junho – eu soltaria a primeira divulgação no dia primeiro. Mas chegou um ponto em que tive que parar para processar tudo. É um álbum que escrevi e produzi. Um trabalho que levou 14 meses e que me fez crescer e me conhecer. Hoje estou mais consciente do que sou e do quero como artista. Foi um processo muito artesanal. Ele vai ter 28 instrumentistas, com violino vindo da Rússia e um dos melhores pianistas do Brasil. E também terá várias raízes minhas, do pop dos anos 2000, em homenagem estética ao universo Britney e Christina, à música nativista gaúcha, passando por rock e Elis Regina. Vai ter singles e clipes”, contou.

A popstar disse esperar, também, que as pessoas prestem atenção a cada detalhe do projeto, quando ele um dia, for divulgado. “Nesse álbum, eu apareço dividida. No lado A, estou fortona e, no lado B, vou ladeira abaixo. Com quase 23 anos, estou colocando um pezinho na vulnerabilidade. Quando eu melhorar, ainda não sei quando, vou vestir a minha capa de Luísa Sonza, a persona, para lançar o álbum e as outras coisas, mas depois vou ficar um pouquinho afastada. Caso contrário, não vou aguentar. Agora estou um pouco triste ainda pra fazer isso”, afirmou.

L
Luísa, inclusive, tatuou o nome do novo álbum em uma das mãos. (Foto: Vivi Bacco/Elle)

Por enquanto, Luísa segue no modo “offline” e tem trabalhado bastante em si mesma. “Não mexo nas redes sociais de jeito nenhum, porque ainda é um gatilho muito forte pra mim. Se eu abrir o Instagram agora, eu já vou ficar, sei lá, prefiro nem pensar. Estou tentando olhar o que eu sou diante dos meus olhos, e não diante dos olhos dessas pessoas. Estou fazendo muita terapia. E também estou fingindo que não sou a Luísa Sonza, sou só a Luísa! (risos). Ela é o meu maior amor, a minha carreira, esse personagem que construí. Mas agora ela precisa ficar um tempinho guardada lá no canto”, refletiu.

Continua depois da Publicidade

Reclusa, a cantora viajou para fora do país. “Estou aqui num lugar lindo, com meu namorado e meus amigos. Se eu estivesse agora no Brasil, com o celular na mão, você ia ver outra Luísa, provavelmente respondendo a todas as perguntas aos prantos. Acho importante também dizer que as coisas pioraram e é muito triste que, por exemplo, dois jovens – o Victor tem 21 e eu tenho 22 – não possam andar nas ruas sem ser xingados. E, nesse momento, por causa das circunstâncias, a gente está falando só sobre o lado ruim da coisa”, comentou, reconhecendo que recebe também, muito carinho e apoio dos fãs.

“Se não tivesse todo esse amor em contrapartida, não faria sentido nenhum eu estar aqui, depois de seis anos levando essas pauladas. A galera acha que não, mas foi bem aos pouquinhos que eu conquistei meu lugar com meu público e pretendo mostrar o meu trabalho mais e mais. As pessoas que me acompanham é que me dão vida. Ninguém aguentaria essa situação sem ter também uma imensa recompensa amorosa”, finalizou. A entrevista completa com Luísa pode ser conferida na edição de julho da ELLE View. Acesse, clicando aqui.