Tiger Queen! Dakota Johnson relembra infância com felinos da avó, Tippi Hedren: “Ela [ainda] tem 13 ou 14 leões e tigres”

Quando o “Tiger King” Joe Exotic tinha apenas nove anos, uma outra amante de felinos já cercava Hollywood: Tippi Hedren, estrela de “Os Pássaros” (1963) e “Marnie, Confissões de uma Ladra” (1964), e avó de Dakota Johnson. Em entrevista ao “The Graham Norton Show” nessa sexta (22), a atriz de “Cinquenta Tons” deu mais detalhes de como era conviver com os “gatinhos” da família.

O apresentador questionou Dakota se Tippi ainda estava bem e se permanecia com a antiga paixão. “Sim, ela tem 90 anos. Ela [ainda] tem treze ou catorze leões e tigres”, revelou. “Costumavam ser 60 felinos, mas agora são só alguns”, contou a intérprete de Anastasia Steele.

Graham Norton, então, exibiu algumas imagens de Tippi quando ainda convivia com os tigres dentro de casa. Em uma delas, o felino aparece passando pela janela, enquanto ela está na cozinha. “É isso mesmo. Clássico. Acontece comigo o tempo todo”, brincou Johnson, reagindo ao clique.

Na foto seguinte, a mãe da atriz, Melanie Griffith aparece mais nova, pulando na piscina, com a perna aparentemente dentro da boca de um leão. “É minha mãe, mas ela não perdeu a perna”, garantiu Dakota.

Gente! Precisa de coragem, hein? (Foto: Reprodução/BBC One)

Na sequência, a estrela foi questionada se teve convivência com os felinos. “Sim, quer dizer, quando eu nasci eles já ficavam em complexos gigantes mais seguros e não era mais totalmente louco como era quando elas começaram”, explicou.

“Você não era apenas uma isca de leão perto da piscina”, comparou o apresentador. “Não”, garantiu a atriz, dando risada. Confira:

Segundo a “W Magazine”, Tippi começou a resgatar os felinos em 1972, vivendo ao lado deles em casa, com seu marido, a filha e os enteados. Em 1983, seis anos antes do nascimento de Dakota, ela fundou a “Roar Foundation”, com a missão de “educar o público sobre os perigos de ter animais exóticos em propriedades privadas”.

Mais tarde, ela chamou a decisão de manter tigres e leões em casa “estúpida além da imaginação”. Em seu livro de 2016, “Tippi: A Memoir”, a atriz relembrou o período em que gravou o filme “Roar”, em 1973, ao lado do segundo marido, Noel Marshall, da filha, dos dois enteados, e de alguns felinos que ela resgatou do Texas.

Em um determinado ponto dos ensaios, no entanto, um leão chamado Cherries olhou para ela e, achando que sua cabeça era uma bola, pulou, estalando as mandíbulas ao redor do couro cabeludo da atriz. O incidente não a impediu de brincar com os “gatinhos” mas, após algum tempo, ela passou a enviar os animais resgatados para o santuário “Shambala Preserve”, em Acton, na Califórnia.