Afeganistao

Pais afegãos entregam seus bebês através de arame farpado para soldados estadunidenses: “Salvem meu bebê”; assista

Desesperador! Cidadãos continuam tentando fugir do Afeganistão depois da retomada do país pelo Talibã e nesta quinta-feira (19), imagens flagraram o momento desolador em que um pai entrega seu bebê para soldados estadunidenses, por cima de um arame farpado. Uma multidão se aglomerou nos arredores do aeroporto internacional Hamid Karzai, em Cabul, capital do território asiático.

A filmagem viralizou rapidamente nas redes sociais e ilustra muito bem o sentimento de medo que assombra os afegãos. Milhares de pessoas foram até o aeroporto tentando encontrar voos militares ou civis com destino internacional, mas alguns acabaram feridos ou mortos ao meio do caos. Membros armados da organização terrorista ainda atiraram para o alto para controlar a multidão. Assista:

Ontem, os Estados Unidos acusaram o governo do Afeganistão de impedir a saída de cidadãos pelo aeroporto internacional. O jornalista afegão Rustam Wahab deu mais detalhes da situação caótica que os civis estão enfrentando. “As pessoas estão tão desesperadas para escapar do Talibã, que estão transferindo bebês e crianças para o portão do aeroporto de Cabul“, disse ele. O profissional ainda compartilhou outro vídeo de mais uma criança sendo entregue para soldados do outro lado do muro.

Segundo o jornal The Independent, oficiais britânicos também estão ajudando na evacuação no aeroporto. “Elas gritavam ‘salvem meu bebê’ e jogaram os bebês em nós, alguns deles caíram no arame farpado. Foi horrível o que aconteceu. Ao final da noite, não havia nenhum homem entre nós que não estivesse chorando“, contou um soldado à publicação.

Porém, o secretário de Defesa britânico, Ben Wallace, afirmou à agência Reuters que não é possível retirar menores desacompanhados do país. “Não podemos simplesmente levar um menor por conta própria. A criança foi levada porque a família também será levada. É muito, muito difícil para aqueles soldados, como mostram as filmagens, lidar com algumas pessoas desesperadas, muitas das quais estão apenas querendo deixar o país“, pontuou ele.

Continua depois da Publicidade

De acordo com a agência, um porta-voz do Talibã informou que 12 mortes foram registradas nos arredores do aeroporto da capital, causadas por tiroteios ou tumultos. O integrante pediu também que os residentes sem autorização para viajar voltassem para seus lares e afirmou que o grupo extremista “não quer machucar ninguém no aeroporto“.

Tentativa de fuga em voo norte-americano

Desde a última segunda-feira (16), a situação aterrorizante no Afeganistão tem tomado a mídia globalmente. Vídeos de cidadãos tentando escapar do regime extremista Talibã agarrados a uma aeronave dos EUA, viralizaram na web e o mundo se comoveu com o que vem acontecendo no país. Já na terça-feira (17), os Estados Unidos iniciaram uma investigação sobre restos humanos encontrados nos trens de pouso do avião, que partiu de Cabul no domingo (15).

Segundo o jornal The Washington Post, a tripulação lutou para conseguir utilizar o trem de pouso e declarou uma emergência. Foi então que, durante a inspeção após pouso no Catar, na costa nordeste da Península Arábica, os militares encontraram um corpo no espaço das rodas da aeronave.

Continua depois da Publicidade

O avião em questão é um Boeing C-17 Globemaster III, veículo de transporte militar desenvolvido especialmente para a Força Aérea dos Estados Unidos. “A aeronave está atualmente apreendida para fornecer tempo para coletar os restos mortais e inspecionar a aeronave antes de retornar ao status de voo”, disse o comunicado da USAF (United States Air Force), divulgado pela CNN norte-americana.

Caos no Afeganistão

Este voo é o mesmo que apareceu no vídeo que viralizou nas redes sociais esta semana, no qual cidadãos aterrorizados se deslocaram até o Aeroporto Internacional Hamid Karzai e tentaram se agarrar à fuselagem da aeronave.

Nos registros, que ocorreram pouco depois da tomada de poder do grupo extremista — conhecido pelo terror estabelecido no Afeganistão entre 1996 e 2001, com uma visão rigorosa da lei islâmica (Sharia), que impunha rígidas restrições sobre as mulheres — é possível ver o avião das Forças Aéreas dos EUA cercado de pessoas. Muitas tentavam escalar a aeronave para escapar do país e, consequentemente, caíam para uma trágica morte. Que situação triste e desesperadora!

Continua depois da Publicidade