Polícia revela causa da morte de Daisy Coleman, jovem que relatou estupro na adolescência em documentário da Netflix; saiba detalhes

Que tristeza, meu Deus… Nesta sexta-feira (7), o Departamento de Polícia de Lakewood, no Colorado, confirmou o suicídio de Daisy Coleman. A morte da jovem, aos 23 anos, foi comunicada no início desta semana pela sua mãe, Melinda Coleman, ao TMZ.

Em entrevista para o E! News, as autoridades norte-americanas informaram que Daisy morreu de um ferimento de arma de fogo autoinfligido. Cinco horas antes do ocorrido, bombeiros e policiais especializados em intervenções durante momentos de crise estiveram no endereço da jovem e conversaram com ela.

A equipe foi acionada por Melinda para ir até lá e verificar sua filha. “Se você viu mensagens e postagens malucas foi porque chamei a polícia para ver como ela estava”, explicou em sua página no Facebook. Os profissionais chegaram a conversar com a jovem por mais de uma hora cada um, mas sentiram que não havia necessidade de uma assistência médica, porque ela não indicou que tinha intenção de tirar a própria vida.

No documentário “Audrie & Daisy”, Daisy Coleman relatou o estupro que viveu quando tinha apenas 14 anos. (Foto: Divulgação/Netflix)

Daisy Coleman foi uma das adolescentes retratadas no documentário “Audrie & Daisy”, da Netflix, relatando o caso de estupro que viveu quando tinha apenas 14 anos, após ter sido embriagada durante uma festa em Missouri. Lançada em 2016, a produção teve sua estreia no “Festival Sundance de Cinema” e expõe também como a jovem e os membros de sua família lidaram com o trauma e a reação hostil de sua comunidade. Desde então, ninguém foi condenado pelo crime.

Melinda afirmou que Daisy nunca superou o traumático episódio que lhe afligiu quando ainda era adolescente. “Ela nunca se recuperou do que aqueles meninos fizeram com ela e isso não é justo. Minha garotinha se foi”, lamentou a mãe em luto. Atualmente, a jovem trabalhava como tatuadora e modelo, além de participar em alguns eventos e debates sobre a proteção das crianças.

O tocante documentário da Netflix conta a história de dois casos de estupro, que aconteceram com duas adolescentes norte-americanas nos anos de 2011 e 2012. Além de Daisy, o longa retrata a história de Audrie Pott – que foi vítima do crime em setembro de 2012. Audrie, no entanto, cometeu suicídio 10 dias após o crime.

IMPORTANTE: Se você ou alguém que você conhece está passando por dificuldades emocionais ou considerando o suicídio, ligue para o ‘Centro de Valorização da Vida’ pelo número 188. O CVV realiza apoio emocional, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias. Para mais informações, clique aqui.