Após críticas, Maju Coutinho pede desculpas ao vivo por fala sobre lockdown no “Jornal Hoje”: “Usei uma expressão infeliz”; assista

Maju Coutinho aproveitou a edição do “Jornal Hoje” desta quinta-feira (18) para se retratar por uma fala que está sendo muito criticada nas redes sociais. Na terça (16), no programa, a apresentadora defendeu o lockdown para amenizar a pandemia, e usou a expressão “o choro é livre”.

Após passar dois dias nos assuntos mais comentados do Twitter, a jornalista se pronunciou ao vivo. “Ontem, para reforçar a necessidade do isolamento social, eu usei no improviso uma expressão infeliz que precisava de um complemento para deixar bem claro o que queria dizer. Eu quis dizer que por mais que sejam amargas as medidas de isolamento, elas são necessárias para evitar o colapso do sistema de saúde, mas eu também entendo perfeitamente a dor dos pequenos e médios empresários que têm que manter os negócios fechados“, explicou.

Vocês [telespectadores] são testemunhas. Ontem mesmo exibimos uma reportagem sobre o assunto e eu desejei agilidade por parte do governo e do congresso para atender as necessidade dos empresários e das famílias que aguardam o auxílio emergencial. Então eu reitero aqui esse desejo, me desculpo pela expressão que usei anteontem e bola pra frente“, reforçou Maju.

Continua depois da Publicidade

Entenda

No “Jornal Hoje” de anteontem, Maju usou a expressão que causou repercussão negativa entre o público. “Os especialistas são unânimes em dizer que essas são medidas indispensáveis agora para conter a circulação do vírus. O choro é livre, não dá para a gente reclamar, é isso que tem“, disse, em defesa às restrições sanitárias contra a Covid-19.

Continua depois da Publicidade

Críticas à apresentadora do “Jornal Hoje”

A fala de Maju rendeu muitas críticas e queixas — seu nome foi parar nos assuntos mais comentados das redes sociais. Além disso, o apresentador da Band, Neto, discutiu sobre o assunto no programa “Os Donos da Bola”. “A gente tem que respeitar quem está trabalhando (na pandemia) também. Quem precisa trabalhar para sobreviver, a gente tem que ter respeito, independentemente de onde a gente vai ou de onde a gente vive ou do dinheiro que a gente tem. E isso é recado para a menina que chama Maju, lá da Globo. É para você“, disse.

O que você falou, você tem que pedir desculpa. O choro não é livre. O choro é livre para quem perde um pai, uma mãe, um vizinho ou até uma pessoa que não gosta? O choro não é livre e você pode pedir desculpa porque é uma baita jornalista. O choro não é livre para quem fecha uma farmácia, uma venda, para quem passa fome. Nós todos que apoiamos o lockdown, que as pessoas não devem sair de casa, temos que respeitar. Agora, o choro não é livre. Eu choro de ver o tanto de gente que está perdendo entes queridos“, opinou o ex-jogador de futebol.