Fotojet (14)

Deputado publica fake news sobre “Encontro”, e Fátima Bernardes rebate: “Que feio perder tempo” – saiba detalhes

Sem sombra de dúvidas, a era das fake news não perdoa ninguém… Nesta segunda-feira (28), Fátima Bernardes viu seu nome envolvido numa notícia falsa, e ainda por cima, serviu para um comentário debochado feito pelo deputado estadual Anderson Moraes (PSL – RJ) nas redes sociais. O político compartilhou uma imagem editada em que o programa da apresentadora, “Encontro“, promovia um debate se a ação policial que matou Lázaro Barbosa teria sido muito violenta.

Na imagem que começou a rodar na web, Fátima Bernardes aparece apresentando o matinal da TV Globo, e o letreiro logo embaixo diz: “Violência Policial – Houve excesso da polícia na execução de Lázaro?”. A Agência Lupa, conhecida por checar se notícias virais das redes sociais são verdadeiras ou falsas, apurou o caso e concluiu que o print era uma montagem. A captura de tela é do dia 4 de janeiro deste ano, o que pode ser conferido no site oficial do “Encontro”, e até mesmo pela diferença na roupa usada pela jornalista na edição exibida hoje (28).

Fatima
Imagem mentirosa do “Encontro com Fátima Bernardes” viralizou na web. Foto: Reprodução

Continua depois da Publicidade

A jornalista Nathália Afonso ainda detalhou que o programa focou principalmente no Dia do Orgulho LGBTQIA+, com a presença de Gil do Vigor e Pabllo Vittar. A prisão de Lázaro Barbosa foi abordada apenas nos primeiros 12 minutos da atração. Porém, a discussão sobre um suposto excesso de violência por parte da polícia nunca entrou em pauta. Os letreiros divulgados pela produção enquanto o assunto foi discutido eram “Morre Lázaro Barbosa” e “Caçada terminou em confronto e morte após 20 dias”. Veja um pequeno trecho do programa de hoje, que mostra o como o figurino utilizado por Fátima difere da imagem espalhada pela fake news:

Em sua conta oficial no Twitter, Anderson Moraes não apenas compartilhou a montagem sem qualquer checagem da veracidade, como ainda ironizou a discussão que nunca existiu no programa. “Fátima, você poderia ter combinado com os policiais e levado o Lázaro pra sua casa!”, escreveu. A publicação chegou ao conhecimento da apresentadora, que fez questão de responder. “Que feio um deputado perder tempo com fake news”, disparou. O comentário foi suficiente para que o político deletasse o tuite original.

Fake News Fatima Bernardes 7072
Fátima Bernardes respondeu publicação de deputado bolsonarista com fake news sobre seu programa. Foto: Reprodução

No Instagram, Fátima Bernardes fez questão de desmentir a imagem que estava circulando nas redes sociais, e incluiu a captura de tela original com o que estava escrito no programa exibido em 4 de janeiro. “De volta – Fátima retorna ao ‘Encontro’ após cirurgia”, dizia. “Informe-se, não divulgue notícia falsa. Não é verdade que eu acusei a polícia de abusos no cerco e morte do Lázaro Barbosa. A legenda que está nessa foto que nem é do programa de hoje, é uma fraude grosseira”, completou a jornalista na legenda do post.

Caso Lázaro Barbosa

Foragido há 20 dias, Lázaro Barbosa de Souza finalmente foi encontrado pela polícia na manhã desta segunda-feira (28), em Águas Lindas de Goiás. De acordo com reportagem da Record TV, Lázaro foi visitar uma ex-sogra no domingo (27). Vizinhos denunciaram a presença do fugitivo para a polícia por volta das 21h, mas o assassino escapou pela mata que fica aos fundos da residência antes das autoridades chegarem.

Continua depois da Publicidade

Os agentes, então, fizeram o cerco da região pela madrugada e, durante a manhã, forçaram uma rendição do criminoso, que revidou. Após uma intensa troca de tiros, Barbosa acabou abatido pelos policiais. Ele chegou a ser encaminhado para atendimento no hospital Bom Jesus, no interior do estado, mas não resistiu aos ferimentos e teve sua morte confirmada pela polícia.

Uma grande força-tarefa em Goiás, com mais de 200 policiais, foi mobilizada para prender Lázaro Barbosa, responsável pela morte de quatro pessoas de uma mesma família e sete outros crimes, como roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo. Ao longo das últimas semanas, o criminoso trocou tiros com os oficiais, fugiu diversas vezes, fez reféns e invadiu chácaras. A pedido do jornal Extra, o perito Nelson Massini, professor titular de Medicina Legal da UERJ, analisou as fotos do corpo de Barbosa, e concluiu que ele foi morto com mais de 20 tiros, entre disparos de pistola e fuzil.