Fotojet (4)

No Limite 5: Zulu rejeita ideia de colocar Paula como líder da tribo Carcará, e ela dispara: “Eu sei qual é o problema” — assista!

Vixe, clima tenso no acampamento Carcará! Como todos viram, a tribo não teve um bom desempenho em duas das últimas quatro provas do programa… Ao tentar dar um “norte” para os colegas e sugerir Paula Amorim como líder, Viegas acabou gerando uma “torta de climão” da participante com Marcelo Zulu. Ainda, no episódio exibido hoje — por causa da jogo da seleção brasileira nesta terça-feira (8) —, o público despediu-se de Arcrebiano, quinto eliminado do reality show.

Habemus líder?!

Ao voltarem da prova Privilégio — que perderam mais uma vez para seus oponentes —, os participantes do grupo Carcará começaram a avaliar o que poderiam melhorar na organização interna para voltarem a vencer as dinâmicas. Viegas sugeriu que Paula assumisse o comando da tribo. “Na hora das provas, eu acho que você poderia ser um capitão ali. Eu acho que você tem uma visão de jogo. Não quer dizer que vá definir as coisas sozinho, mas acho que em algum momento a gente precisa desse lance de ‘o plano é esse'”, argumentou o cantor. Mas Zulu julgou “desnecessária” a ideia: “Eu não vejo necessidade. De repente, isso desconcentra”. 

Continua depois da Publicidade

Paula tentou argumentar dizendo que a intenção não era incorporar alguém que fosse dar ordens aos gritos, mas tentar ter um olhar com distanciamento e aconselhar as melhores táticas para vencer. Zulu rebateu dizendo que era apenas uma questão do grupo dialogar como um todo durante as provas. “Mas esse método é o que a gente está fazendo até agora. E é o que está dando essas falhas”, contestou Viegas. “Como eu já notei que nas provas, a Paulinha tem essa facilidade de se ater as regras e colocar as coisas”, completou o compositor sobre sua sugestão.

“Não tem que ficar procurando se faltou uma reuniãozinha. Nós executamos a tarefa pior que eles. Não acho necessário fazer uma busca por erros ou reformulação”, reclamou Marcelo Zulu. A sós com Elana e Paula Amorim, Viegas abriu o coração que tem sentido dificuldade nas disputas, principalmente com a questão de organização, e destacou que não era o único nessa situação. Paula, que no começo do episódio já tinha opinado que as mulheres não estavam sendo ouvidas como os homens, alfinetou: “Eu sei qual é o problema”. 

Mesmo sem citar qual era a razão que a colega estava reclamando, Viegas indignou-se ao cogitar que está tendo uma diferenciação entre os participantes. “Esse problema não deveria ser um problema. Aqui é um completando o outro e agora é o momento de aproveitar isso”, afirmou. A gente precisa um do outro. Eu posso falar e tudo bem. Quem quiser prestar atenção, presta”, concluiu Paula. Zulu avistou a conversa de longe e criticou a ideia. “Tá querendo achar chifre em cabeça de porco”, finalizou. Assista à treta na íntegra, clicando aqui!

Continua depois da Publicidade

Provas da Semana

Que mordomia é essa, Boninho?! Kkkk No quinto episódio do programa, a prova Privilégio rendeu um presentão para o grupo vencedor. Além de ganharem doce de leite, tapetes e outros mimos, os participantes puderam curtir um luau com tudo na faixa, churrasco, cerveja e show de Wesley Safadão. A dinâmica para ganhar tudo isso exigiu que os grupos se dividissem em duplas. Cada uma delas precisava passar por uma sequência de obstáculos carregando toras de madeira com uma bola que deslizava o tempo todo — caso ela caísse, os ex-BBBs teriam que voltar para o início do circuito . No final, um dos competidores tinha que acertar três bolas em um alvo. A tribo Calango venceu a prova e se jogou na festinha.

Velocidade e sorte foram as palavras de ordem da prova de eliminação. Primeiramente, um participante de cada grupo precisava “pescar” quatro chaveiros. Com as chaves em mãos, eles precisavam encontrar qual abriria um grande cesto. A partir daí, todos os competidores estavam autorizados a passar por obstáculos e pegarem cocos enterrados na areia. Apenas aqueles com as cores da sua respectiva equipe deveriam ser levados para dentro do cesto. Quem terminasse de encontrar todos os cocos vencia a tarefa. No entanto, a disputa não foi finalizada, uma vez que o grupo Calango foi desclassificado quando Kaysar Dadour quebrou a chave do cadeado da cesta.

Continua depois da Publicidade

Eliminação

Após uma maré de sorte, o grupo Calango precisou voltar para o portal e escolher mais um colega que deixaria a disputa pelo prêmio de R$ 500 mil. Os participantes, que desde a primeira votação não pensaram duas vezes para combinar votos, amenizaram o tom de “complô” e avaliaram quem não estava tendo o melhor rendimento nas provas. Arcrebiano sinalizou para alguns colegas que não estava mais dando conta do reality e recebeu quatro votos para voltar para casa.