Racista Santa Catarina (Reprodução/Twitter)

Em vídeo, PM de Santa Catarina diz odiar negros, admite ser racista e ameaça bater em mulher: “Macaca do c…”; assista

Nesta sexta-feira (17), a polícia de Santa Catarina abriu inquérito para investigar um crime de racismo praticado por um policial militar da reserva. No vídeo que circula nas redes sociais, o homem diz ter ódio de negros, admite ser racista e chama a mulher de macaca, além de ameaçar bater na vítima.

Segundo a Folha de São Paulo, o homem de 57 anos, identificado com Hélio Martins, mora em São Ludgero, no sul catarinense, a cerca de 180 km de Florianópolis. Na gravação, Martins está criticando o filho da mulher que faz a filmagem, o chamando de “negro desgraçado” e “pirracento”. Em seguida, a mulher pergunta: “Por que você tem tanto ódio de gente morena?”. Ele responde: “Porque eu tenho ódio, porque eu sou racista, porque eu não suporto negro! Eu tenho amigo negro, mas é amigo decente, não essa negrada do c*ralho que é marrenta que nem tu”.

Percebendo a agressividade iminente do policial, a moça pede que ele não bata nela. O homem, então, pega um chinelo e começa as ameaças. “Quer ver? Fala de novo, sua macaca do c*ralho. Demônio desgraçado”, dispara. Assista:

 

O delegado Éder Matte, responsável pela delegacia local, está apurando o crime de racismo, que tem pena de um a três anos de reclusão, além de multa a ser definida. Ao G1, Matte disse que ainda não se sabe a data exata do acontecido, mas que provavelmente o caso é recente. “Tudo indica que os fatos foram em São Ludgero. Essa mulher que grava o vídeo, a princípio se apurou que ela é ex-mulher dele. Tudo indica que os fatos se deram na residência do casal, em São Ludgero”, explicou.

Sobre as ameaças de agressão, o delegado esclareceu: “O crime de ameaça é condicionado a representação. A mulher ainda não nos procurou. A gente está fazendo contato com ela, até para a ouvir no inquérito. Se ela representar, tiver interesse que ele seja processado por esse crime de ameaça, ele vai ser apurado no inquérito também”.

Continua depois da Publicidade

Em nota enviada aos portais de notícia, a PM confirmou que Hélio Martins está na reserva desde 9 de março de 2016, e condenou as atitudes do homem. “A PMSC repudia todo e qualquer tipo de violência contra a mulher ou vulnerável, bem como qualquer tipo de racismo. Diante deste fato, a referida ocorrência deverá ser apurada com rigor por todos os processos legais”, diz o comunicado. Ainda segundo o órgão estadual, o caso agora será encaminhado à Corregedoria-Geral. O acusado não foi localizado para falar sobre o registro, mas ele e a mulher devem ser ouvidos pelas autoridades na próxima semana.

Leia a nota na íntegra:

“A respeito do referido vídeo divulgado recentemente em redes sociais, a Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), por meio do Centro de Comunicação Social vem esclarecer que:

– A PMSC repudia toda e qualquer tipo de violência contra a mulher ou vulnerável, bem como qualquer tipo de racismo. Diante deste fato, a referida ocorrência deverá ser apurada com rigor por todos os processos legais;

– O homem que aparece no vídeo é sargento da PMSC, que está na reserva desde 9 de março de 2016.

– Todo policial militar, seja de ativa ou da reserva, deve seguir em conformidade com os dispositivos previstos no Regulamento Disciplinar da PMSC, Código Penal Militar e legislação penal geral. O caso identificado será encaminhado à Corregedoria-Geral da PMSC.”