Adolescente de 14 anos atira e mata o próprio pai para defender mãe de agressões. (Reprodução/EPTV)

Menino de 14 anos mata o pai para defender mãe de agressões em condomínio de luxo de SP; saiba detalhes

Nesta terça-feira (3), um adolescente matou o pai a tiros em Valinhos, município que fica a cerca de 90 quilômetros de São Paulo. Segundo informações da Polícia Civil, o garoto, de 14 anos, confessou que atirou para defender a mãe que estava sendo agredida pelo homem, um empresário local do ramo de som automotivo.

A Polícia Militar confirmou que a corporação foi acionada pelo próprio adolescente, por volta das 14h, para atender uma ocorrência de violência doméstica em um condomínio de luxo. O homem teria agredido a mãe do menino momentos antes do crime. Os policias encontraram o empresário caído na garagem e acionaram o corpo de Bombeiros, mas, quando os profissionais chegaram, ele já estava sem sinais vitais.

Em conversa com os policiais, o menino teria confirmado que os episódios de violência doméstica contra a mãe e contra ele eram frequentes. O adolescente ainda revelou que o pai fazia uma série de ameaças psicológicas contra os dois. Além dele, o casal tem um filho de três anos, que também mora na casa onde tudo aconteceu.

Residência no bairro Joapiranga foi cercada pelos policiais. (Foto: Reprodução/EPTV)
Residência no bairro Joapiranga foi cercada pelos policiais. (Foto: Reprodução/EPTV)

O homem, que não teve o nome divulgado, era conhecido na cidade e costumava passear pela região com carros de luxo colecionados por ele. A arma utilizada pertencia ao empresário e, no local, a polícia encontrou outras oito, entre elas um fuzil e uma submetralhadora, além de munições.

Continua depois da Publicidade

Na tarde de hoje, a casa foi completamente isolada pelas polícias Civil e Militar. O caso será encaminhado ao 1° Distrito Policial de Valinhos e deve ser registrado como homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Os investigadores ainda devem ouvir vizinhos a respeito do comportamento da família. O adolescente e a mãe também serão ouvidos pela Polícia Civil.