Grávida

Mulher diz que bebê recém-nascido foi sequestrado por taxista, mas desfecho da história surpreende; entenda

Deise do Espírito Santo revelou que mentiu por medo de que o namorado terminasse o namoro

Parece enredo de filme, mas é vida real mesmo… e aconteceu aqui no Brasil, hein?! Para “salvar” seu relacionamento, uma mulher afirmou que teve o bebê recém-nascido sequestrado em Santo André, região metropolitana de São Paulo. No entanto, segundo a Record TV, as autoridades logo descobriram que a mulher estava mentindo e tinha, na verdade, perdido a criança.

Segundo a reportagem, a Polícia Civil foi acionada pelo namorado, que recebeu uma mensagem da moça afirmando que ela estava em trabalho de parto. Identificada como Deise do Espírito Santo, após enviar o comunicado, ela não teria dado mais notícias para a família. Algumas horas após o registro do boletim de ocorrência, Deise foi localizada em São Vicente, no litoral paulista.

Inicialmente, a mulher afirmou para os policiais que chamou um táxi ao notar que a bolsa tinha estourado. No caminho, o taxista a teria vendado com a ajuda de uma terceira pessoa. No primeiro depoimento, ela ainda disse que deu à luz dentro do carro e que teve a criança tomada dela. Em seguida, ela teria sido “abandonada” na praia.

Deise admitiu que mentiu para os policiais. (Foto: Reprodução/Facebook)
Deise admitiu que mentiu para os policiais. (Foto: Reprodução/Facebook)

Mais tarde, porém, Deise contou a verdade para os policiais. Segundo a Record TV, ela confirmou que perdeu o bebê com seis meses de gestação, passou por um processo de curetagem e estava com medo de contar a verdade para o namorado, com receio de que ele colocasse um ponto final na relação.

Continua depois da Publicidade

O UOL entrou em contato com a secretaria de saúde de São Vicente. Em nota, o órgão explicou que a mulher deu entrada na Maternidade Municipal na terça-feira (3) acompanhada das autoridades. Os exames, inclusive, teriam contestado a versão do sequestro.

“No exame físico, a paciente apresentou bom estado geral. No exame ginecológico, apresentou discreto sangramento vaginal, útero pouco aumentado de tamanho e ausência de lacerações em canal vaginal. A equipe da Maternidade Municipal adotou a conduta de internação para suporte clínico e realização de exames”, disse o comunicado. Ainda, mesmo tendo recusado a internação, Deise voltou ao local e passou por exame laboratorial, que confirmou que ela não estava grávida.

Até o momento, não há informações se a moça vai responder criminalmente por ter mentido para os policiais.