Após morte de George Floyd, grupo de hackers Anonymous faz graves acusações a Trump e mais celebridades, e fala sobre Bolsonaro – entenda!

Na madrugada deste domingo (31), o grupo de hackers Anonymous manifestou sua revolta após a morte de George Floyd. Num vídeo divulgado nas redes sociais, um membro do grupo cobrou por justiça, caso contrário, sua equipe iria expôr vários crimes envolvendo a polícia norte-americana.

Na mensagem, o coletivo de hackers deu sua palavra de ordem – os responsáveis pela morte de Floyd deveriam ser acusados pelo assassinato brutal. “Esses oficiais devem enfrentar acusações criminais, e o oficial [Derek] Chauvin, especialmente, deve enfrentar acusações de assassinato. Infelizmente, não confiamos na sua organização corrupta para fazer justiça, então estaremos expondo seus muitos crimes ao mundo”, declarou o grupo.

O Anonymous também sugeriu uma investigação sobre o presidente Jair Bolsonaro, dando a entender que haveria uma ligação entre ele e John Casablancas – acusado pelo Anonymous de traficar crianças. “Algo que as pessoas devem olhar no Brasil é investigar se Bolsonaro tem algum vínculo com o traficante e estuprador de crianças John Casablancas, um associado próximo de Trump, que atuou como proxy para os negócios de Trump no Brasil sob algum cargo obscuro e indefinido”, apontou.

DONALD TRUMP

A página do coletivo também acusou diretamente Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, de ter ele mesmo praticado tráfico de pessoas, aliado a Jeffrey Epstein – denunciado por controle de rede de tráfico de pessoas. “Você conseguiu que Jeffrey Epstein fosse morto para cobrir sua história de tráfico e estupro de crianças”, publicou o grupo.

“Nós desafiamos as autoridades dos EUA e a Interpol a abrirem uma investigação sobre Trump e seu envolvimento na rede de tráfico de crianças de Epstein, que ainda é muito ativa e tem comprometido serviços de inteligência e segurança na Europa, e os cinco olhos, através de chantagem”, escreveu pelo Twitter.

O Anonymous ainda divulgou arquivos que ligariam diversas personalidades a Jeffrey Epstein, que fora encontrado morto em 2019, enquanto cumpria pena sob a acusação de controlar o grande esquema de tráfico e abuso sexual de menores.

A lista reúne uma série de celebridades, incluindo membros da realeza britânica, e até brasileiros, como o piloto Pedro Diniz, e Mário Garnero, empresário e pai de Álvaro Garnero. A família Kennedy – como o ex-senador Edward Kennedy, Ethel Kennedy, Jo Kennedy –, e as filhas de Trump, Ivanka e Ivana, também foram citadas.

NAOMI CAMPBELL

A top model Naomi Campbell não só teve seu nome divulgado na lista de Epstein, como foi mencionada por ter um possível envolvimento com outros criminosos. “A coisa engraçada sobre Naomi, ela não só estava ligada ao círculo próximo de Epstein, mas também do traficante de crianças Jean Luc Brunel, e do estuprador de crianças John Casablancas (outro parceiro de Trump e agente da jovem modelo Ivanka Trump)”, alegou o grupo.

PRÍNCIPE ANDREW, DUQUE DE YORK

O príncipe Andrew, filho da rainha Elizabeth II, também estaria envolvido no esquema de Epstein. “Muitas famílias reais europeias estão aí… Nós garantimos que o Trump e o príncipe Andrew têm muito mais em comum do que o golfe”, afirmou o perfil, respondendo o tuíte que mostrava o duque de York na lista.

BILL GATES

Segundo o Anonymous, o fundador da Microsoft não apenas estaria envolvido com Epstein, mas também teria praticado outros crimes pelo bilionário, acusado de tráfico de menores. “Honestamente, nós soamos como um disco repetido, mas… Bill Gates também estava envolvido com o Jeffrey Epstein e lavou dinheiro em nome dele”, declarou o perfil.

PRINCESA DIANA

O Anonymous atendeu às curiosidades dos seguidores, e falou de outro caso da família real britânica, dizendo que a princesa Diana sabia de casos de estupro que teriam acontecido no palácio – envolvendo pessoas próximas ao príncipe Charles. “Na época de sua morte, Diana estava visitando hospitais e casas de repouso que Jimmy Savile perseguia a todas as horas da noite, consolava as vítimas da Elm Guest House e registrava depoimentos de vítimas de estupro no palácio”, publicou a conta. “A princesa Diana gravou um depoimento de uma vítima de estupro da equipe do príncipe Charles”, disse.

Leia abaixo a íntegra da mensagem divulgada pelo Anonymous:

“Policiais que matam pessoas e cometem outros crimes precisam ser responsabilizados, como todos nós, caso contrário eles acreditarão que têm licença para fazer o que quiserem. Você dirá que este é apenas o trabalho de algumas ‘maçãs podres’, mas o que dizer dos oficiais que permanecem e não fazem nada enquanto cometem ofensas contra as pessoas que encontram, e os departamentos de polícia como o seu, que se recusam a processar esses criminosos como se fossem um dos cidadãos que eles juraram proteger. As pessoas já se cansaram dessa corrupção e violência de uma organização que promete mantê-las seguras. Depois dos eventos dos últimos anos, muitas pessoas agora estão começando a aprender que você não está aqui para nos salvar, mas sim para nos oprimir e realizar a vontade da classe dominante criminal. Você está aqui para manter a ordem das pessoas no controle, não fornecer segurança para as pessoas que estão sendo controladas. De fato, você é o próprio mecanismo que as elites usam para continuar seu sistema global de opressão, e o mundo finalmente está começando a acordar para isso, e eles estão ficando cada vez mais zangados toda vez que veem sangue desnecessariamente derramado sem consequências. Esses oficiais devem enfrentar acusações criminais, e o oficial [Derek] Chauvin, especialmente, deve enfrentar acusações de assassinato. Infelizmente, não confiamos na sua organização corrupta para fazer justiça, então vamos expor seus muitos crimes ao mundo. Nós somos Legion. Nos aguarde”.

Confira o vídeo: