No “Conversa com Bial”, Bruno e Marrone se contradizem sobre terem recusado a participação de Jair Bolsonaro em live: “Se você ficou sabendo não é verdade”; Assista

Bruno e Marrone passaram por uma saia justa durante o “Conversa com Bial” dessa terça-feira (02). Ao serem questionados sobre uma suposta recusa que deram ao presidente Jair Bolsonaro, que teria pedido para participar da segunda live deles no Youtube, no dia 16 de maio, os sertanejos se contradisseram.

“Eu queria tirar uma dúvida com vocês. O jornalista Lauro Jardim, de ‘O Globo’, disse que pra essa segunda live, o presidente Jair Messias Bolsonaro queria ir aí fazer uma visita pra vocês, mas aí vocês teriam achado que melhor não, pra não misturar política com música. Por quê? Isso aconteceu?”, questionou Pedro Bial, logo no começo da entrevista.

Durante a pergunta, é possível notar que os parceiros de dupla se olharam discretamente, mas nem isso foi capaz de evitar as respostas desencontradas. Ao mesmo tempo em que Bruno disse: “Não tô sabendo que aconteceu isso não”, Marrone respondeu: “Ah, eu fiquei sabendo”.

Contrariado, Bruno desmentiu o cantor. “Não, se você ficou sabendo não é verdade”, afirmou. Mas Marrone continuou insistindo. “É, eu fiquei sabendo que o pessoal passou as informações aqui pra gente… pra mim”, relatou. E o diálogo entre ambos seguiu assim:

“- Não…
– Mas é…
– Não teve isso não.
– É porque…”

Até que Bruno deu um basta, negando saber qualquer coisa sobre o convite. “Não chegou a ter isso, não. Se houve algum murmurinho, não chegou até a gente, não”, garantiu. Ainda assim, Marrone quis justificar a decisão. “Mas eu acho que a política é separada do que a gente faz, então a gente não deve muito [misturar], sabe”, explicou.

“Desejo bem, torço pro bem, torço que as pessoas melhorem o Brasil, que as pessoas vivam bem, mas a gente não gosta muito de mexer nesse lado político, não. Apesar da política entrar dentro da gente, assim, que tem hora que você fica roxo com vontade de falar”, completou Bruno.

“A gente torce, né, pra que tudo dê certo. Pra que nossos governantes consigam sair dessa o mais rápido possível porque realmente é uma situação muito difícil no nosso país”, finalizou Marrone, referindo-se ao modo como os políticos precisam lidar com a pandemia do coronavírus atualmente.

No dia 17 de maio, um dia após a segunda live de Bruno & Marrone no Youtube, o colunista Lauro Jardim publicou no ‘O Globo’, uma nota afirmando que o presidente havia pedido para ir até a casa da dupla, participar do show online.

“Com jeitinho, o entorno dos artistas – que, aliás, gostam de Bolsonaro, mas não querem misturar música e política neste momento – tirou o corpo fora”, explicou o jornalista.

De qualquer forma, a associação da dupla sertaneja a Jair Bolsonaro não é de hoje. Em agosto de 2019, os dois fizeram uma reunião com ele e com o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Gilson Machado Neto, para receber o título de Embaixadores do Turismo Brasileiro.

Na época, Marrone comemorou o acordo. “Hoje, o almoço foi por conta do nosso presidente”, escreveu em seu perfil das redes sociais.

Durante a primeira live da dupla, Bruno também manifestou apoio ao governo ao citar o slogan de Bolsonaro, ‘Brasil acima de tudo, Deus acima de todos’. Ao ‘UOL, o sertanejo explicou: “A gente não faz um roteiro da live. Falamos de alguns assuntos na hora. E, no momento que estamos vivendo, é importante que se discuta, reflita. Não falamos nada de mais. Precisamos aprender a conviver com opiniões diferentes, e está tudo bem. Importante é manter respeito e diálogo”.