Fotojet (6)

Filho de Tarcísio Meira vai às lágrimas ao revelar ritual de despedida que fará junto de Glória Menezes: “O pai sempre pediu”; assista

Tarcísio Filho não segurou as lágrimas ao falar sobre a morte do pai, Tarcísio Meira, em entrevista ao “Fantástico” desse domingo (15). Em luto, o ator agradeceu o carinho e apoio que tem recebido do público nesse momento tão difícil. O veterano da TV faleceu na última quinta-feira (12), aos 85 anos, vítima de complicações da Covid-19.

Durante a entrevista, Filho revelou que o pai sofria com “comorbidades sérias” e, que mesmo tendo recebido as duas doses da vacina, ainda mantinha cuidados redobrados contra a doença. “Ele tinha problemas renais, tinha problemas pulmonares. Eu sempre estava chamando a atenção dele para isso porque, mesmo com a vacina, ele tinha que ter extremo cuidado. Ele sabia disso”, comentou.

Continua depois da Publicidade

Ainda no início da pandemia, Meira e a esposa, Glória Menezes, se isolaram na fazenda da família em Porto Feliz, interior de São Paulo. Filho disse não saber como o casal foi contaminado pelo coronavírus. “Eles saíam para coisas muitíssimo eventuais. Como um dentista, um médico, que é necessário, pois são pessoas de idade. Foi uma surpresa. Porque, assim, uma guarda baixa aonde? A gente não sabe. Jamais saberemos de onde foi”, indagou.

O artista também fez questão de defender o imunizante, responsável por “suavizar” os sintomas de sua mãe. Glória passou dez dias internada e deve receber alta hospitalar ainda hoje (16). “Minha mãe está bem, graças a Deus, por causa da vacina. Eu ainda tenho preocupações, mas poucas. Ela está evoluindo bem, já não está nem mais no oxigênio. Eu olho para a carinha dela e está tudo certo”, disse ele.

Tm
Tarcísio e Glória foram casados por 59 anos e se tornaram um dos maiores símbolos de amor da dramaturgia brasileira. (Foto: Divulgação/TV Globo)

Filho confessou que coube a ele contar a duríssima notícia do falecimento à matriarca. “Eu sabia que seria uma das missões mais dolorosas da minha vida. Me preocupava como ela iria reagir nesse sentido. Ela tá frágil, ela está passando pelo pior momento da vida dela, mas ela está vivendo a intensidade do momento”, afirmou.

“Ela não se nega a viver. Se ela tem que chorar, vai chorar. Se ela tem que se agarrar a mim, vai se agarrar. Ela não tem barreiras pros sentimentos dela, e eu acho isso muito bom. Isso a faz bem. Ela não nega a vida”, continuou o intérprete.

Por conta da infecção pelo coronavírus, Glória não pôde participar do velório, nem da cerimônia de cremação do corpo do marido. Filho, entretanto, avisou que a atriz conseguiu se despedir do parceiro ainda dentro do hospital. “Ela se despediu, eu a levei. Essa experiência tem que ser vivida, tem que olhar, dizer adeus. É importante”, pontuou.

Assim que deixar a instituição de saúde, a atriz voltará à propriedade da família para concluir os ritos. “O pai sempre pediu: ‘Quando eu morrer, quero que pegue minhas cinzas e jogue na fazenda’. Então vou fazer isso. Esse ritual de passagem, vou fazer com a mãe, quando ela sair do hospital. Aí faço uma missa, com os irmãos e família, para que a gente também possa se despedir. Vou sentir falta… Quem não sentiria?!”, afirmou Filho, emocionado.

“Meu pai foi um grande contador de histórias brasileiro. Contou grandes histórias do povo brasileiro. E o ponto final da história do pai fez o Brasil chorar”, encerrou o artista, com os olhos marejados. Confira a entrevista na íntegra: