Luccas Neto ganha ação judicial, após ser acusado de incitação à pedofilia; saiba os detalhes!

Há exatamente um mês, Luccas Neto compartilhou um vídeo em seu Instagram, no qual rebatia acusações de que teria cometido incitação à pedofilia em seu canal no YouTube – voltado para crianças. Nesta sexta-feira (17), o youtuber teve uma vitória judicial! O empresário ganhou o processo contra um homem que o acusava de ter cometido tal crime.

De acordo com o UOL, a juíza Flavia de Almeida Viveiros de Castro determinou que o Google deve tirar do ar as publicações de Ednardo D’Ávila Mello Raposo, que o acusava no YouTube de ter feito apologia à pedofilia. A decisão foi tomada ainda em primeira instância, pedindo a imediata retirada do vídeo de Raposo em até 24 horas a partir da ordem judicial – que foi assinada na tarde de hoje.

No mês passado, Luccas Neto foi às lágrimas num desabafo no qual rebateu as acusações. (Foto: Reprpdução/Instagram)

“É atentatório ao Estado Democrático de Direito a divulgação de falsas notícias acerca de pessoas, imputando-lhes a prática de crimes (pedofilia) sem que haja consistente prova a respeito. (…) A liberdade de expressão encontra seu limite na defesa intransigente da dignidade da pessoa humana”, escreveu a juíza sobre sua decisão. A multa, para cada dia em que a ordem seja descumprida, vai de R$ 1.000 até o máximo de R$ 200 mil.

O processo está registrado na 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Nele, a juíza avaliou as acusações feitas por Mello Raposo como “graves, já que convergem para o entendimento de que estaria incitando a pedofilia em seus programas infantis”, disse ela. Entretanto, a clara ausência de evidências fez com que a Justiça decidisse a favor do youtuber, que é dono do quinto maior canal brasileiro no YouTube, e um dos maiores produtores de conteúdo infantil.

Luccas Neto é um dos maiores influencers de conteúdo infantil do Brasil. (Foto: Divulgação)

Relembre o caso

Há algum tempo, imagens distorcidas e montagens de Luccas Neto começaram a circular na web, usadas para acusá-lo de fazer apologia à pedofilia. Mas no dia 17 de junho, o irmão de Felipe Neto resolveu pôr um ponto final na situação. Em um longo desabafo, no qual o youtuber chorou em determinado momento, ele comprovou como antigos vídeos foram editados e disse que os responsáveis responderão judicialmente.

“Essas fake news foram longe demais”, indignou-se Luccas, que é dono de um dos maiores canais infantis no Brasil. “O cara fez uma publicação afirmando e me acusando de praticar pedofilia no meu canal, que eu praticava coisas [eróticas] no meu canal. Ele será processado. Depois que ele percebeu que era notícia falsa, ele apagou a postagem, mas o print é eterno”, declarou.

Luccas Neto usou suas redes sociais para desmentir que teria feito apologia à pedofilia em seu canal, denunciando as fake news sobre isso. (Foto: Reprodução/Instagram)

Numa das imagens tiradas de contexto para difamá-lo, Neto aparecia comendo uma bala gigante, que foi interpretada por um homem como um brinquedo sexual. “Chama super gummy, se você colocar no YouTube todo mundo aparece comendo essa doce gigante. Mas esse cara achou que era um produto erótico de sex shop. É inacreditável. Onde vai a mente do ser humano de achar que eu faria um vídeo assim”, rebateu o dono da marca Luccas Toon.

Luccas também desmentiu outro vídeo absurdo que circula pelas redes sociais. Nas imagens editadas, o youtuber encontra uma garrafa de vidro num freezer, pergunta se pode “fazer besteirinhas com ela” e, na sequência, coloca a garrafa na boca diversas vezes. A edição inverídica encerra com ele dizendo que aquilo “é uma delícia”. Mas não passava de outra fake news… e ele comprovou isso, mostrando o vídeo original.

No vídeo, Luccas aparece quebrando a garrafa de açúcar para simular os efeitos especiais. (Foto: Reprodução/YouTube)

“Eles inverteram a ordem das falas. Nessa época eu nem fazia vídeo para criança. Era uma época que eu não consultava ninguém para fazer vídeos”, refutou Neto, explicando que a garrafa era de açúcar, usada para simular efeitos especiais. No trecho original, primeiro ele encontra o objeto, coloca ele na boca e nisso diz que ela “é uma delícia” por seu gosto. O momento em que comenta sobre “fazer uma besteirinha” acontece por último, quando ele bate com a garrafa em sua cabeça – e sem insinuação sexual, como sugerido por quem inventou a história.

“Essa notícia falsa sobre mim, nesse vídeo que estão espalhando, foi deletado do meu canal há muito tempo”, explicou o produtor de conteúdo sobre o trecho tirado de contexto. Inclusive, segundo ele, a exclusão não teve nada a ver com as alegações falsas: [Foi deletado] não por causa dessa cena, porque a maldade está nos olhos de quem vê, mas devido ao exagero de açúcar, já que estávamos fazendo uma jujuba gigante”.

Neto, que é dono de dois dos livros mais vendidos em 2019, também ficou emocionado ao pedir o apoio de pais e responsáveis. “As pessoas vão continuar acreditando [nas fake news], eu me manifestando ou não, porque as pessoas são mal intencionadas. Mas o importante é que você que me apoia e confia no meu trabalho continue comigo, porque é muita gente envolvida…”, o youtuber fez uma pausa. Visivelmente abalado, passou as mãos nos olhos, que estavam marejados, e em seguida acrescentou, olhando novamente para a câmera: “E muita gente focada todos os dias para levar o melhor para as crianças“.

Ele aproveitou para defender que atualmente encara o trabalho com mais responsabilidade. “Eu não sou um maluco fazendo vídeo pra Internet. Não é mais um youtuber com uma câmera na mão fazendo vídeos pra Internet. É importante vocês entenderem a diferença entre vídeo e episódio, de youtuber pra marca infantil. Vocês precisam entender isso… Tenho uma estrutura por trás e tenho muita gente envolvida”, justificou ele, que tem uma websérie.

Luccas Neto é um dos maiores produtores brasileiros de conteúdo infantil, e tem uma websérie. (Foto: Reprodução/YouTube)

Luccas Neto também fez questão de mostrar que tais atitudes e conteúdos teriam consequências para os envolvidos que as disseminaram. “Todos que propagaram essas notícias serão processados na área cível e na área criminal, não é nenhuma novidade, vocês sabem que eu vou fazer isso”, completou ele. Assista ao vídeo na íntegra aqui: