Fotojet (19)

Paolla Oliveira abre o coração sobre namoro com Diogo Nogueira, conta como tudo começou, e admite surpresa com reação do público: ‘Tenho sorte’

Quando a gente ama é claro que a gente suspira, se derrete pelo mozão e fica muito feliz! Paolla Oliveira entende bem isso! Capa do caderno “Ela”, do jornal O Globo, neste domingo (1º), a atriz abriu o coração sobre seu relacionamento com Diogo Nogueira, que foi divulgado com exclusividade ao hugogloss.com duas semanas atrás. No bate-papo com a publicação, a artista celebrou o momento que está vivendo, revelou se tem ciúmes do sambista e contou mais sobre como eles se conheceram.

O “empurrãozinho”, inclusive, veio de um amigo em comum do casal, o cantor Mumuzinho. Durante um show na semana passada, ele revelou que apresentou os pombinhos um para o outro durante uma chamada de vídeo e deixou os dois lá se conhecendo. “Foi tudo muito tranquilo. Eu tinha terminado um relacionamento há um tempo, e não tinha expectativa para nada. Na verdade, nunca crio expectativa para essas coisas. Mas deu samba”, brincou Paolla na entrevista.

O ship que, até então, ninguém tinha cogitado, já ganhou uma torcida enorme nas redes sociais. Fato que deixou a atriz espantada. “A torcida do público me surpreendeu. Eu, que sempre tentei blindar meus relacionamentos, de repente me vi nessa situação. Mas está bom, está leve”, ponderou. E pelo jeitinho da artista de falar do amado, o clima de “lua de mel” é real oficial! “Bons encontros são para a vida. Se posso falar alguma coisa é que estou tendo a sorte de conhecer o Digo mais de perto. Ele tem uma luz enorme, poderosa, potente. É uma sorte poder estar ao lado de uma pessoa que você ouviu falar que é muito legal e, quando chega perto, é tudo e ainda mais. Tenho sorte”, confessou.

Outra verdade incontestável é que esse novo casalzão é nota 10 no quesito beleza, deixando homens e mulheres babando por ambos. Paolla explicou que leva na boa o assédio das pessoas com o namorado. “Já sofri por ciúme [de ex-namorados], até antes de virar artista, e acho péssimo. Quando estou com uma pessoa, tento deixá-la segura para que o ciúme não exista, independentemente da minha persona. É um sentimento que não leva a lugar algum. Sentimento não, essa coisa chamada ciúme. Então, afasta isso de mim!”, afirmou. E a bela ainda brincou: “Quero para quem está comigo a mesma coisa que quero pra mim: que brilhe ainda mais. E deixa as mulheres curtirem [o Diogo] e serem felizes. Eu também gritaria ‘lindo’ se estivesse lá embaixo, na plateia”.

No ensaio fotográfico da matéria, Paolla Oliveira aparece pela primeira vez numa revista sem qualquer tratamento de editores de imagem. A atriz explicou por que esse momento era tão emblemático para ela. “Gosto de me sentir bem e trabalho para isso, não tenho vergonha de dizer. E acho que estou lidando melhor com as expectativas dos outros em relação a mim, uma conquista importante. […] A beleza é um lugar de segurança. Já tive problemas com as minhas coxas. Inclusive, perdi trabalho por elas serem grossas. Hoje, entendo que tudo bem não me enquadrar em um biotipo específico”, contou.

Continua depois da Publicidade

Sobre o sucesso no “Super Dança dos Famosos”, competição que ela já venceu no passado, a atriz explicou que tem encarado sob outra perspectiva. “Quando participei do ‘Dança dos famosos’ pela primeira vez, em 2009, estava apavorada, morria de medo de cair ao vivo em pleno ‘Domingão’. Tinha entrado na TV há pouco tempo, em 2005. Agora fico mais tranquila porque consigo me divertir um pouco. Como boa ariana caxias que sou, treino muito, mas me cobro menos. Mas não é fácil. Passaram-se 13 anos! É muita articulação para botar em ordem, fico toda dolorida depois que a adrenalina passa”, confessou.

A global, que está reservada para uma novela das 19h programada para o final do ano, também comentou sobre a repercussão de sua coreografia no ritmo do funk. “Fiquei surpresa com a proporção que tomou a minha apresentação de funk. André Marques e Tiago Leifert fizeram comentários que não foram legais, do tipo ‘fiquei com calor’ e ‘que dança foi essa’. Mas, para mim, o que prevaleceu foram as observações das meninas ali presentes. A Fabiana Karla, por exemplo, chamou minha ‘raba’ de maravilhosa, nas palavras dela! É um momento de liberdade poder usar meu corpo para dançar funk e rebolar […] A gente não pode deixar de exaltar uma construção bacana que existiu ali, o empoderamento feminino. E na tarde de domingo”, analisou.

Continua depois da Publicidade

Sobre os planos de ter filhos, Oliveira explicou que tem vontade, mas aguarda o momento adequado para isso. “Há cerca de dois anos, fiz o congelamento de óvulos porque não há como brigar com a ciência nem com a natureza humana. Foi para eu ter a opção (de ser mãe) e não sofrer imposições. E continuo aqui, plena. Ainda é cedo para eu pensar em filhos, imagina… Sim, o Diogo é um bom pai, tem um menino de 15 anos. Gostar de família, fora aquela luz toda, realmente é uma coisa boa”, avaliou.