Absurdo! Repórter tem celular roubado durante transmissão ao vivo e desabafa: “Restam as parcelas”; assista!

Que horror! Nesta quinta (19), uma repórter foi furtada enquanto fazia uma entrevista no “Aqui na Band”. Roberta Scherer falava sobre o coronavírus com passageiros de um trem, quando, sem perceber, foi vítima do roubo. Mais tarde, ela retornou ao programa e explicou a situação chata pela qual passou.

“Acabei me descuidando e roubaram meu celular agora durante o ao vivo. Eu estava com o telefone no bolso, concentrada, entrevistando as pessoas, conversando com vocês e alguém botou a mão no meu bolso. Eu desci na estação e percebi que estava sem meu celular particular”, contou Roberta aos apresentadores, Silvia Poppovic e Luís Ernesto Lacombe.

Continua depois da Publicidade

Com um semblante abatido, a jornalista lamentou o ocorrido. “É uma situação chata. Aquela sensação de que você estava concentrada tentando fazer o bem. Tentando falar com as pessoas. Está todo mundo muito tenso com essa situação, só se fala em coronavírus aqui e alguém de má-fé aproveitou que eu estava ali concentrada e me roubou o telefone”, completou.

“O câmera não viu? Ninguém que estava junto com você viu?”, quis saber Poppovic. Roberta, então, justificou que todos estavam focados no trem lotado. “Você viu como estava cheio o trem? Tinha, realmente, muita gente dentro. O câmera estava concentrado na imagem, meu auxiliar também estava aqui ajudando com o cabo para a gente não atrapalhar as pessoas. Desci na estação, Silvia, botei a mão no bolso, e não estava mais lá”, respondeu.

Continua depois da Publicidade

“Esse é um vírus que a gente tem no Brasil há muito tempo: o vírus da violência, assaltos e furtos. Uma pena”, criticou Lacombe. Na sequência, Roberta falou que faria um boletim de ocorrência. “Vou dar uma olhada nas imagens e disponibilizar para a polícia. Mas é aquela questão que a gente sabe: não tem muito o que fazer além disso. Comunicar as autoridades e é isso”, concluiu ela, antes de reverem as cenas ao vivo. Assista:

Mais tarde, pelas redes sociais, Scherer voltou a falar do furto. “Se foi um celular. Ficam as parcelas. Mas tudo bem. Bora tocar o barco”, escreveu ela em seus Stories. “Eu, como qualquer assalariado deste país, estava parcelando. Tenho algumas parcelas por aí e vai doer no bolso. Mas, felizmente, vai doer só no bolso. Não foi nada violento, nem vi quem foi direito. Foi tudo muito rápido”, continuou ela. Ao menos isso, né?

Confira aqui:

Que pena! Agora é seguir em frente e torcer pra que a cena não se repita…