Adolescente de 14 anos atira e mata o próprio pai para defender mãe de agressões. (Reprodução/EPTV)

Após adolescente matar pai para salvar a mãe, funcionários se manifestam sobre histórico de violência do empresário

O adolescente que matou o pai a tiros em Valinhos, município de São Paulo, nesta terça-feira (3), vai responder em liberdade. Segundo informações da Polícia Civil, o garoto, de 14 anos, confessou que atirou para defender a mãe que estava sendo agredida pelo homem, um empresário local do ramo de som automotivo. Após prestarem depoimento na delegacia da cidade, o garoto e a mãe foram liberados e deixaram o local junto com um advogado.

Segundo as autoridades, o homem, de 42 anos, já tinha um histórico violento, usava documentos falsos e andava armado. Aos policiais, o adolescente disse que agiu em legítima defesa, já que, quando tentou defender a mãe, foi ameaçado pelo pai com uma barra de ferro. Os funcionários da residência também prestaram depoimento e confirmaram a história do menino, relatando que as agressões físicas e psicológicas do empresário eram frequentes.

A Polícia Militar confirmou que a corporação foi acionada pelo próprio adolescente, por volta das 14h da terça, para atender uma ocorrência em um condomínio de luxo. “O empresário era uma pessoa violenta, ameaçava mãe e filho constantemente e o tempo todo andava com uma arma na cintura, inclusive dentro de casa. Ontem houve mais uma discussão entre o casal e o garoto pegou a arma e, com medo do que pudesse acontecer com a mãe, atirou contra o pai”, explicou o tenente da Polícia Militar, Juliano Cerqueira.

“A pessoa ferida conseguiu correr até o carro, e o garoto foi até o veículo porque, segundo ele, lá tinha outra arma e o homem iria utilizar essa arma contra o adolescente e a mãe. Por isso, ele efetuou mais dois disparos na direção do pai”, acrescentou. No total, o menino atirou três vezes; um dos disparos acertou o abdômen do empresário.

Residência no bairro Joapiranga foi cercada pelos policiais. (Foto: Reprodução/EPTV)
Residência no bairro Joapiranga foi cercada pelos policiais. (Foto: Reprodução/EPTV)

A arma utilizada pertencia ao pai do jovem e, no local, a polícia encontrou outras oito, entre elas um fuzil e uma submetralhadora, além de munições. Todas teriam registro no nome do empresário, que seria praticante de tiro esportivo. O material foi recolhido e vai passar por perícia nos próximos dias. A investigação também vai apurar se os certificados são verdadeiros.

As informações da Polícia Civil ainda revelaram que, além dos nomes falsos, o pai do adolescente tinha passagem por estelionato. O homem era conhecido por colecionar carros de luxo e atuar no mercado de comércio exterior e de som automotivo. No momento da briga, haviam pelo menos três veículos na garagem da casa. Agora, a polícia vai investigar se eles foram adquiridos de forma legal.

Continua depois da Publicidade

O caso foi registrado no 1° Distrito Policial de Valinhos como ato infracional e homicídio em legítima defesa. Apesar disso, outras hipóteses devem ser apuradas. “Com certeza a polícia judiciária e o Ministério Público vão investigar tudo, até por conta da quantidade de dinheiro e joias que havia na residência”, disse o tenente. A Vara da Infância e da Juventude também foi acionada e os detalhes correm em segredo de justiça. Além do menino, o casal tem um filho de três anos, que também mora na casa onde tudo aconteceu.