Dom Phillips

Dom Phillips: Esposa de jornalista assassinado publica carta e diz que busca por justiça: “Fim à angústia”

Alessandra Sampaio fez a publicação após a Polícia Federal comunicar que foram encontrados restos humanos enterrados em uma região remota

A esposa do jornalista Dom Phillips, Alessandra Sampaio, divulgou nesta quarta-feira (15) uma carta pedindo uma posição definitiva sobre o caso do correspondente do jornal britânico The Guardian e o indigenista Bruno Araújo Pereira, desaparecidos desde o dia 5 de junho, no Amazonas. A publicação foi feita após a Polícia Federal comunicar que foram encontrados restos humanos enterrados em uma região remota, mais de 3 quilômetros mata adentro.

“Embora ainda estejamos aguardando as confirmações definitivas, este desfecho trágico põe um fim à angústia de não saber o paradeiro de Dom e Bruno. Agora podemos levá-los para casa e nos despedir com amor”, iniciou Alessandra. Ela também disse que aguarda por uma conclusão satisfatória para o caso:“Hoje, se inicia também nossa jornada em busca por justiça. Espero que as investigações esgotem todas as possibilidades e tragam respostas definitivas, com todos os desdobramentos pertinentes, o mais rapidamente possível”.

A esposa de Phillips aproveitou a oportunidade para agradecer ao apoio na procura por seu marido e por Bruno. “Agradeço o empenho de todos que se envolveram diretamente nas buscas, especialmente os indígenas e a Univaja. Agradeço também a todos aqueles que se mobilizaram mundo afora para cobrar respostas rápidas”, disse.

Continua depois da Publicidade

Ela também mandou uma mensagem aos familiares de Bruno. “Só teremos paz quando as medidas necessárias forem tomadas para que tragédias como esta não se repitam jamais. Presto minha absoluta solidariedade com a Beatriz e toda a família do Bruno”, escreveu.

Bruno Araújo e Dom Phillips estão desaparecidos desde o último domingo (5). (Foto: Reprodução/G1)

Confira a carta completa:

Declaração de Alessandra Sampaio, esposa de Dom Phillips

Embora ainda estejamos aguardando as confirmações definitivas, este desfecho trágico põe um fim à angústia de não saber o paradeiro de Dom e Bruno. Agora podemos levá-los para casa e nos despedir com amor.

Hoje, se inicia também nossa jornada em busca por justiça. Espero que as investigações esgotem todas as possibilidades e tragam respostas definitivas, com todos os desdobramentos pertinentes, o mais rapidamente possível.

Agradeço o empenho de todos que se envolveram diretamente nas buscas, especialmente os indígenas e a Univaja. Agradeço também a todos aqueles que se mobilizaram mundo afora para cobrar respostas rápidas.

Só teremos paz quando as medidas necessárias forem tomadas para que tragédias como esta não se repitam jamais. Presto minha absoluta solidariedade com a Beatriz e toda a família do Bruno.

Abraços,

Alessandra Sampaio

Continua depois da Publicidade

O desaparecimento

Bruno Araújo Pereira e  Dom Phillips sumiram durante visita à equipe de Vigilância Indígena, localizada a cerca do Lago do Jaburu (próximo a Base de Vigilância da FUNAI no rio Ituí). O intuito era que o jornalista fizesse algumas entrevistas com os indígenas. Segundo informações da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), Bruno recebia ameaças constantes de madeireiros, garimpeiros e pescadores.

As buscas começaram no domingo por integrantes da Univaja. Sem sucesso, eles acionaram as autoridades no dia seguinte. Agentes da Polícia Federal, da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP), da Marinha e do Exército participam das buscas. De acordo com o jornal Guardian, Phillips estava trabalhando em um livro sobre meio ambiente com apoio da Fundação Alicia Patterson.