Johnny Depp se abre sobre “desafio” na luta contra drogas e bebidas; Mensagens de texto revelam substâncias supostamente usadas pelo ator antes de conflito com Amber Heard

O processo movido por Johnny Depp contra o grupo de mídia News Group Newspapers (NGN), proprietário do jornal The Sun, expôs o astro publicamente sobre seus problemas com as drogas e bebidas alcoólicas. Os documentos mostraram, inclusive, que o ator teria feito uso de substâncias ilícitas antes da polêmica briga com a ex-esposa Amber Heard. Para se defender, o astro precisou admitir e dar detalhes a respeito da sua luta contra o vício ao longo dos anos.

A ação judicial tenta punir o grupo por uma matéria publicada no The Sun, em que Depp foi chamado de “espancador de mulheres”. Na ocasião, o jornal noticiava as denúncias de agressão feitas por Amber Heard contra o ex-marido, que são contestadas por ele. Ele também move um processo contra a estrela por supostamente ter mentido a respeito das brigas que os dois protagonizaram apenas um mês após se casarem.

De acordo com o site Yahoo, na quinta-feira (25), quando houve uma audiência pré-julgamento, os advogados do NGN pediram ao juiz que a acusação de “difamação” feita por Depp fosse rejeitada. O motivo?! O ator “deliberadamente reteve mensagens de texto que provavam que ele estava em posse, tomando e adquirindo drogas — como MDMA e cocaína — enquanto estava na Austrália em 2015 (quando ocorreu uma das brigas entre o ex-casal)”.

Em fevereiro, Johnny Depp compareceu no tribunal para prestar depoimento contra o The Sun. Foto: Getty

Os profissionais tiveram acesso a uma conversa de Johnny Depp com seu assistente pessoal, em que ele pede por “pílulas da alegria” e “coisa branca” justamente nos dias que antecederam a confusão. A atriz, que está autorizada a fornecer evidências para o NGN, afirmou que o ex-marido “estava fora de si, tendo consumido grandes quantidades de MDMA, cocaína e álcool”.

“As mensagens sobre drogas na Austrália demonstram que Johnny Depp estava no mínimo tentando obtê-los com [seu assistente] no final de fevereiro e no início de março de 2015, e com toda a probabilidade os tinha obtido e tomado”, alegou o advogado do grupo de mídia, Adam Wolanski.

Amber Heard divulgou imagens da suposta agressão de Depp publicamente. Foto: Reprodução

David Sherborne, que representa o ator no processo, não negou a legitimidade das mensagens de texto, mas rebateu dizendo que a conversa não tinha qualquer interferência com as acusações de difamação. Johnny Depp, por sua vez, enviou uma declaração para o Supremo Tribunal se abrindo a respeito dos seus “desafios” com drogas e álcool, mas sustentando sua palavra de que nunca abusou de Amber Heard.

“Fui aberto sobre meus desafios com o alcoolismo e dependência ao longo da minha vida. De fato, comecei a beber e usar drogas quando ainda era criança. Não tenho vergonha de dizer isso”, escreveu. O ator explicou que atualmente seu problema é com uma droga específica. “Meu vício ao longo dos anos tem sido as pílulas de Roxicodone, que são frequentemente chamadas de ‘Roxies’, e que é um dos nomes de marca para a oxicodona, que é um analgésico opioide de prescrição médica”, revelou.

Amber Heard e Johnny Depp se conheceram em 2011, durante as filmagens do filme “Diário de um jornalista bêbado”. Foto: Getty

Durante o casamento com Amber Heard, o intérprete do pirata Jack Sparrow admitiu ter usado outras substâncias. “Tomei outras drogas na minha vida e tomei outras durante o curso de nosso relacionamento, mas nunca sofri com o vício dessas drogas. Nem drogas, nem álcool me fizeram agir com violência contra alguém”, afirmou. Depp encerrou sua declaração contando que ele e a ex-esposa chegaram a usar drogas juntos, como MDMA, cogumelos mágicos e cocaína, mas que “essas não eram ocorrências comuns”.

O advogado do ator disse que o NGN “perdeu o foco sobre o que é a acusação e o que o reclamante admitiu — francamente — em suas evidências”. “O julgamento completo dessas alegações apavorantes, publicado no jornal Sun para milhões de pessoas, é de enorme importância para Depp. Chegou a hora dos acusados ​​defenderem as alegações que publicaram para milhões de leitores de seus jornais, e que persistiram publicamente ao longo de dois anos de litígio”, protestou.