Johnny Depp admite em tribunal que deu maconha para a filha Lily-Rose quando ela tinha 13 anos: “Estava sendo um pai responsável”

Johnny Depp admitiu em um tribunal, nesta terça-feira (7), que forneceu maconha para sua filha, Lily-Rose, quando ela tinha apenas 13 anos. De acordo com o ator, ele queria ser um “pai responsável”, e sabia que seu próprio estoque era “confiável”, de acordo com o jornal britânico Evening Standard.

O astro de “Piratas do Caribe” esteve na corte, em Londres, para testemunhar em seu processo de difamação contra o jornal The Sun. Questionado sobre o assunto, Depp negou ter “encorajado” a filha a fumar maconha, e disse que ele esteve “envolvido” na decisão dela. “Minha filha tinha 13 anos de idade, e como todos sabemos aos 11, 12 e 13 anos, quando você vai a uma festa da escola, você é abordado por pessoas que irão querer te dar uma bebida, porque eles estão bebendo aos 12 e 13, usando cocaína aos 12 e 13, e fumando maconha aos 12 e 13, usando ecstasy e muitas, muitas drogas”, ele disse.

Johnny contou como a filha, que hoje tem 21 anos, o abordou após ter ido a uma festa, onde alguém passou um baseado a ela. “Ela tinha apenas 12, e ela disse que não sabia o que fazer. Eu disse: ‘Escuta, querida, se você está numa festa e alguém te passa um baseado, pegue o baseado da pessoa, e passe para a próxima. Por favor, não experimente drogas com pessoas que você não conhece”, ele relembrou.

Hoje, aos 21 anos, Lily-Rose é atriz, assim como o pai. (Foto: Getty)

O ator observou que as drogas podem ser adulteradas com outras coisas. Por isso, ele fez um apelo à filha: “‘Por favor, por favor, quando você realmente está naquele momento em sua vida quando alguém te passa um baseado e você quer muito experimentar, por favor, me faça a honra de vir a mim quando você estiver pronta e você realmente se sentir pronta”. Segundo Depp, ele não queria que a primeira experiência de Lily fosse “com pessoas que ela não conhece, usando coisas que ela não sabe, que não confia”. “É uma questão de segurança, é um pai preocupado com a filha neste tipo de situação”, afirmou.

Johnny Depp e Amber Heard chegando ao tribunal. (Fotos: Backgrid/Getty)

“Eu sei que a coisa mais importante para uma criança, se você vai fazer algo assim, eu iria preferir que ela fosse honesta comigo e eu fosse honesto com ela, para que ela não ande por aí e faça coisas e as esconda de mim”, disse Depp, acrescentando que deseja que sua filha confie nele. “Eu queria ter certeza de que o momento era perfeito, colocar algo familiar na TV, encher a geladeira com sorvete, encher o congelador, oferecer uma situação em que a experiência fosse o mais agradável possível”, observou.

“Eu não quero uma criança de 13 anos entrando em uma espiral de paranoia”, garantiu. Depp ainda disse que discutiu o assunto com a mãe de Lily, a cantora Vanessa Paradis, antes de dar a droga para a filha. “Eu conhecia a maconha que eu tinha, que eu mesmo fumava, é confiável e de boa qualidade”, afirmou o astro.

Ao ser pressionado no assunto pelo advogado do The Sun, o artista adicionou: “Se isso é errado na sua visão, eu aprecio o que você pensa. Mas eu estava criando uma filha, e eu estava sendo um pai responsável, até onde eu sei”.

Depp está processando o The Sun por uma matéria de 2018, na qual o jornal chamou ele de “batedor de esposa”, baseando-se nas alegações da ex-esposa do astro, a atriz Amber Heard.