Bial

Após ser acusado de transfobia em entrevista com Ronaldo, Pedro Bial se manifesta: ‘Jamais foi minha intenção’; assista

Pedro Bial veio a público nesta terça-feira (25), para se pronunciar sobre a forma incorreta pela qual se referiu a travestis em seu programa recentemente. O apresentador do “Conversa com Bial”, da TV Globo, recebeu diversas críticas da comunidade trans e travesti. Com a repercussão, Bial postou um vídeo em seu Instagram, lamentando o erro e se colocando como um agente de mudanças para a causa.

Olá, minha gente. Dá licença… Não é nem pela reação na internet que venho aqui hoje me penitenciar pelo mau uso, pelo uso infeliz de um artigo, da forma descuidada que eu me referi às travestis. É pela minha consciência, consciência de alguém que eu não preciso fazer um levantamento histórico, mas de alguém que tem uma história de contribuição para a causa trans. Lamento demais ter ofendido quem quer que seja, isso jamais foi minha intenção“, iniciou ele.

Alguns poderiam até achar desproporcional a reação, a violência das manifestações na internet, mas acho que [não foi] violento não. Violenta é a vida dura, terrível das pessoas trans maltratadas. É uma tragédia que o Brasil tem que enfrentar. Então estou aqui para dizer, em primeiro lugar, que contem comigo, sempre, para o bem, para a construção, para a mudança desse estado de coisas. Um grande beijo para todos e todas“, afirmou o jornalista. Assista:

Continua depois da Publicidade

O caso aconteceu durante a entrevista de Bial com o ex-jogador Ronaldo Fenômeno, televisionada no dia 20 de maio. Na conversa, os dois relembraram um episódio de 2008 em que o esportista se relacionou com três travestis. Ao abordar o assunto, Bial erroneamente usou um pronome masculino para se referir às moças. “Dez anos depois, você quer falar, me explicar o que aconteceu na história com os três travestis“, questionou o apresentador, ignorando o gênero delas. Ronaldo, inclusive, classificou o momento como “muito difícil” pra ele.

Continua depois da Publicidade

Manifestações nas redes sociais

Rapidamente, as falas problemáticas de ambos repercutiram de forma bastante negativa na internet. Linn da Quebrada foi uma das pessoas que repudiou o comportamento. “É um absurdo, mesmo depois de ter entrevistado a mim e ter acesso a tanta informação, ainda assim, o Bial se permitir erros tão irresponsáveis e cruéis com nossos corpos. Uma transfobia que corrobora com todo processo de marginalização ligado às nossas identidades. Inadmissível“, escreveu a cantora.

A atriz ainda compartilhou uma reflexão importante da pedagoga e assessora parlamentar Ana Flor. “O Pedro Bial é visto como um intelectual por muitas pessoas. Estamos em 2021, e esse mesmo Pedro Bial está tratando as travestis no masculino, em seu programa de TV, numa entrevista com o Ronaldo. É cansativo ter que repetir que toda travesti deve ser tratada no feminino“, iniciou ela.

Continua depois da Publicidade

Não consigo gostar do Ronaldo. Principalmente quando percebo que ele parece manipular, para ficar em evidência, o fato de já ter saído com algumas travestis. É terrível! Ele fala como se fosse o fim da vida dele. Pura transfobia. Chega a doer os ouvidos. Desde 2008, Ronaldo sustenta, de alguma maneira, essa narrativa transfóbica. Eu tinha 13 anos, e o Ronaldo contava essa história. Hoje estou com 24, e Ronaldo segue contando a MESMA história e contribuindo para um processo de marginalização das travestis“, apontou.

A imprensa brasileira ADORA reiterar essa história. É muito fácil falar das travestis nesse sentido. Replicar, de diferentes formas, esse lugar de margem. Nossa, tenho uma repulsa dessa história e do conto que ela se tornou no Brasil. Eu tenho CERTEZA que MUITAS pessoas que me seguem também cresceram sabendo dessa história do Ronaldo. Né? Que ele saiu com as travestis, e conta até hoje como se fosse o castigo eterno da vida dele. Um suco de transfobia com sobremesa de exibicionismo. Deixa as travestis em paz“, pediu Ana.

Continua depois da Publicidade

Veja mais reações:

Continua depois da Publicidade