Big Brother Portugal: Participante dispara declaração homofóbica, e brasileira Ana Catharina tem a melhor reação! Ela mandou na lata e ainda relembrou caso do nosso país — assista

Pelo bem da sanidade mental dos portugueses, o “Big Brother Portugal” está cada vez mais próximo do fim… Ontem (23), o reality show colocou na conta mais um episódio lamentável de homofobia, agora protagonizado pelo participante Pedro Alves. Por sorte, a brasileira Ana Catharina não gostou nadinha do que foi falado pelo colega de confinamento e fez questão de fazer um discurso sobre respeito à diversidade.

Já no clima nostálgico da reta final do programa, a produção tem exibido as entrevistas que os brothers fizeram para serem selecionados para o elenco. Durante um trecho do bate-papo com Pedro Alves, o “big boss” lembrou que o rapaz escreveu  que “não tolera muito bem os homossexuais”. Como se a afirmação já não fosse ruim o suficiente, o brother falou a respeito e despejou mais uma sequência de comentários preconceituosos.

“Sim, foi uma coisa que aprendi a tolerar por causa do meu ex-relacionamento. O melhor amigo da minha namorada era gay, e era aquele gay que não dá para esconder”, disse Pedro, referindo-se aos trejeitos da pessoa. “Consegui digerir isso. Ele apareceu e era inevitável criar contato com ele, então aprendi a digerir um bocadinho melhor. Mas faz-me bastante confusão”, acrescentou. Assista ao vídeo, clicando aqui!

Apesar dos comentários preconceituosos exibidos, Pedro não esboçou qualquer sentimento de arrependimento. Foto: Reprodução/TVI

Continua depois da Publicidade

Enquanto assistia à gravação, Alves não esboçou qualquer reação de arrependimento pelos comentários controversos, pelo contrário, continuou roendo a unha como se nada estivesse acontecendo. Já que no momento da exibição ninguém manifestou repúdio ao que foi falado, nesta sexta-feira (24), a brasileira Ana Catharina decidiu reunir os participantes na sala e fez um desabafo.

“Eu preciso dizer como me senti me considerando parte dessa comunidade LGBTQ. Eu fiquei realmente triste. Quando escuto algumas coisas fico triste e eu queria compartilhar a minha opinião sobre esse assunto. Vou dizer e repetir, somos todos iguais!”, começou.

Continua depois da Publicidade

Em seguida, ao manifestar sua opinião a respeito das críticas feitas dentro da casa sobre beijos de homossexuais em público, ela relembrou um caso de homofobia no Brasil por conta de uma ilustração com esse tema em uma revista em quadrinhos. “Muita gente falou que era desrespeitoso, que quadrinhos remetiam à infância, que as crianças não poderiam ver dois homens se beijando na capa e a revista foi censurada”, contou para os brothers.

Ana Catharina reuniu participantes nesta sexta (24), e fez desabafo sobre respeito. Foto: Reprodução/TVI

O episódio ao qual Ana Catharina se refere aconteceu no ano passado durante a Bienal do Livro no Rio de Janeiro. O prefeito carioca Marcelo Crivella publicou um vídeo em suas redes sociais, divulgando uma determinação de que a Bienal deveria recolher todos os exemplares da HQ “Vingadores: A Cruzada das Crianças” por ter “conteúdo sexual para menores”.

O tal conteúdo ao qual ele se referia era um beijo entre dois personagens homens representado no miolo do quadrinho, de 264 páginas, que não é indicado a todos os públicos, como o político fez acreditar. De acordo com a classificação indicativa da Marvel nos Estados Unidos, a HQ só pode ser lida a partir dos 13 anos. Felizmente, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro concedeu uma liminar para o evento proibindo a prefeitura de recolher qualquer publicação ou tirar a licença de funcionamento.

Ao ser questionada por Pedro Alves se tinha entendido mal suas falas, Ana Catharina o ignorou e seguiu se expressando. “Eu acredito que toda forma de amor é linda, toda forma de amor tem quer ser mostrada, acredito que dois homens se beijando, duas mulheres se beijando é lindo. O que é feio é [mostrar] guerra nos quadrinhos e que o amor nunca deve ser censurado”, finalizou. O brother ainda tentou legitimar seu discurso preconceituoso como algo aceitável. “Eu sou assim, eu não obrigo ninguém a ser assim. Faz parte de mim eu ser assim, entende?!”, indagou.

Continua depois da Publicidade

Vale lembrar que esta não é a primeira vez que um participante do “Big Brother Portugal” protagoniza falas preconceituosas contra os homossexuais. Hélder Teixeira chegou a ser punido pela produção ao ser desrespeitoso com Edmar, que é gay. “Sei que lá fora devo estar passando a imagem de que sou mulherengo, mas não é isso. Eu prefiro ser mulherengo do que ser…”, comentou o português, apontando com a cabeça para o colega.