Emocionante! Maria Beltrão vai às lágrimas, ao vivo, após assistir à linda homenagem de artista para avó, vítima da Covid-19 — confira

Dias após o Brasil ter atingido a lamentável marca de 100 mil mortos pela Covid-19, Maria Beltrão foi às lágrimas ao conhecer a história de uma das vítimas. Nesta segunda-feira (10), durante o “Estúdio i”, a apresentadora se emocionou com o relato de Taíssa Maia, uma ilustradora que superou o luto da perda de sua vó, homenageando-a com uma história em quadrinhos.

O programa da GloboNews exibiu a HQ criada pela artista, na qual ela narrou como toda a sua família foi afetada pelo coronavírus em abril e como, infelizmente, sua avó veio a óbito. “Eu ainda levei uma bronca da minha avó. ‘Ir pro hospital? Eu não tô doente!’, foi a última coisa que ela disse pra mim”, explicou ela no vídeo. “A gente não pôde nem se despedir da minha avó como ela merecia”, continuou Taíssa, mencionando o velório reduzido.

A história em quadrinhos de Taíssa Maia comoveu o público nesta segunda-feira. (Fotos: Reprodução/TV Globo/Taíssa Maia)

O avô de Maia, que também foi internado, conseguiu se recuperar da doença – e coube à família dar a triste notícia da partida da esposa dele. “Como dar uma notícia dessas? Ela tá aqui, vô. [Aponta para o coração]. E em cada detalhe que ela nos deixou. A Maria José era a melhor avó do mundo. Saudades de você, vó! O amor é pra sempre”, disse ela em seus quadrinhos. Confira abaixo:

As imagens, por sua vez, deixaram Beltrão comovida ao vivo. “É lindo, né? Eu procuro ler tudo antes para não me emocionar no ar, mas mesmo assim eu me emociono. Eu conheço pessoas… que passaram pelo que você passou… ih, pronto!”, comentou a apresentadora com a voz embargada, explicando que não conteve a emoção por conhecer histórias similares à vivida por Taíssa e sua família.

Maria Beltrão não conseguiu conter a emoção e as lágrimas após assistir ao relato artístico de Taíssa. (Foto: Reprodução/GloboNews)

“É difícil, porque conheço gente com a situação muito parecida. Como uma senhora mais velha, que também tinha que ter ajudada de cuidadora, de enfermeira. Que também pegou a Covid. A dificuldade do velório… Que bom que você joga uma luz de esperança nessa história também, você fala do amor da sua família. Desculpa, é que a emoção…”, continuou a jornalista, secando as lágrimas. Assista ao vídeo aqui:

Durante o bate-papo com o “Estúdio i”, Taíssa ainda explicou por que resolveu colocar no papel a história de seus avós. “Não teve como se despedir, não teve como fazer nada. Eu queria fazer uma coisa por ela e também pelo meu avô, que continuou aqui. Enquanto eu estava escrevendo esse roteiro, eu percebi que não tinha como não contar essa história, porque ela também tinha como ajudar outras pessoas a se protegerem”, recordou.

Taíssa Maia encontrou em sua arte uma forma de homenagear seus avós, que foram contaminados com a Covid-19 – e, infelizmente, a avó não resistiu. (Foto: Reprodução/GloboNews)

Com seu relato tocante e bastante visual, a ilustradora torce para contribuir na conscientização de muitos brasileiros. “Eu espero realmente que [minha história] esteja ajudando as pessoas a terem uma dimensão maior [da Covid-19]. É uma situação muito fora da curva, você pensar que pode perder uma pessoa por um negócio que você não pode ver. A gente se protegeu bastante e, mesmo assim, a gente teve”, ressaltou ela.

Web se comove com HQ

Assim como Maria Beltrão, o público de seu programa também se comoveu com a história de Taíssa. “Maria Beltrão deve ser a única pessoa que me faz chorar e rir em um intervalo de 10 minutos. Sério. Muito tocante a história no ‘Estúdio i’ agora da ilustradora que desenhou uma história em quadrinhos para superar a perda da avó. E Maria muito sensível, como sempre”, comentou o jornalista Gabriel Vaquer.

A repórter Júlia Arraes, também da TV Globo, compartilhou do sentimento. “O relato amoroso e emocionado dela precisa ser ouvido por nós”, tuitou a jornalista. “Que coisa linda a emoção da Maria Beltrão no ‘Estúdio i’ com a comovente narrativa da Taíssa Maia. Que bonita a capacidade de fazer jornalismo sem se anestesiar com o volume impressionante de notícias péssimas que recebemos. Manter o profissionalismo sem perder a humanidade”, elogiou o escritor Renzo Mora.

Outra internauta alertou para o drama que é a pandemia do coronavírus, que segue tirando a vida de muitos brasileiros – enquanto outros seguem agindo normalmente. “Quanta dor, minha gente, todas as pessoas que perderam familiares e amores para essa doença estão marcadas pra sempre. Não é uma gripezinha”, escreveu um perfil, fazendo referência ao comentário do presidente Jair Bolsonaro. Confira mais algumas reações:

Após a exibição da entrevista e da repercussão nas redes sociais, a artista Taíssa ainda compartilhou um registro lindo ao lado de seu avô – o senhor guerreiro retratado em sua HQ. “Maria Beltrão, meu avô mandou um beijo pra você e pediu pra agradecer pelo carinho. Ele ficou muito feliz e emocionado”, escreveu ela, com uma foto ao lado do vôzinho, todo sorridente. Só temos a desejar ainda mais força para essa família!