Amber Heard é acusada de “roubar” história de estupro vivido por ex-assistente no Brasil; saiba detalhes

Nesta quarta-feira (15), o julgamento do processo de Johnny Depp contra The Sun trouxe o depoimento de uma testemunha em defesa do ator: Kate James, ex-assistente de Amber Heard. Diante da Alta Corte, ela deu declarações bombásticas, na tentativa de ajudar a provar que o astro não teria “espancado” sua ex-mulher – motivo pelo qual o artista está brigando contra o tabloide britânico.

Kate trabalhou como assistente pessoal de Amber entre março de 2012 e fevereiro de 2015, quando foi demitida pela atriz. De acordo com o Daily Mail, no julgamento hoje, ela alegou que a estrela de “Aquaman” teria “roubado” um relato de um caso de violência sexual que James viveu, teria distorcido a história e usado ela em seu benefício. Além disso, a ex-assistente afirmou nunca ter visto algum indício de violência da parte de Depp, e recordou episódios em que sua antiga patroa teria cometido ilegalidades.

Amber Heard supostamente “rouba” relato de violência sexual

Kate James contou que, em 2013, confidenciou a Amber Heard que foi vítima de um violento estupro durante uma viagem ao Brasil, quando tinha apenas 26 anos. Segundo ela, a atriz teria pedido para ouvir seu relato e entender como ela lidara com a agressão. Entretanto, a ex-funcionária da artista acusou Heard de ter se apropriado dessa história e a usado em seu favor.

A ex-assistente de Amber Heard afirmou que ela teria “roubado” a se apropriado de um relato de violência sexual para benefício próprio. (Foto: Getty)

“Quando eu li atenciosamente os documentos, para minha surpresa e tristeza, descobri que a senhora Heard na verdade roubou minha conversa com ela sobre meu caso de violência sexual, e tornou isso a sua própria história, para beneficiar a si mesma”, declarou ela. “Isso, é claro, me causou uma angústia extrema e uma revolta por ela ter ousado tentar usar a experiência mais aterrorizante da minha vida como sua própria narrativa”, completou.

Quando questionada pela advogada do The Sun, Sasha Wass, do motivo que a levou a depor sobre isso, James explicou: “Sou uma sobrevivente de violência sexual e é muito sério tomar essa posição quando você não é uma [vítima], e eu sou, e é por esse motivo que eu estou aqui, porque eu fiquei ofendida”.

Johnny Depp e Amber Heard chegando ao tribunal para o processo contra o The Sun. (Fotos: Backgrid/Getty)

Kate também afirmou que Amber só permitia que Depp tomasse cervejas sem álcool, enquanto ela mesma supostamente tomava “vastas quantidades de vinho tinto toda noite”. Nessas ocasiões, a ex-assistente também recebia mensagens abusivas da chefe. “Eu sabia que ela bebia vinho porque eu ia [na casa dela] de manhã e tinha muitas garrafas por lá. Eu também recebia várias mensagens abusivas, bêbadas e incoerentes entre a 2h e 4h da manhã”, citou.

Kate James nega suposto comportamento agressivo de Johnny Depp

Apesar de ter frequentado a casa de Johnny e Amber praticamente todos os dias (incluindo finais de semana), Kate alega nunca ter visto “qualquer violência física” da parte dos dois. Ela acrescentou que nunca viu nenhum hematoma ou inchaço em Heard, mesmo tendo visto a atriz trocar de roupa por diversas vezes.

De acordo com a ex-assistente de Amber Heard, ela nunca teria visto Johnny Depp sendo agressivo. (Foto: Getty)

James começou a trabalhar para Amber após o início do namoro dela com Depp. Mas, quanto a isso, ela afirma que a atriz apenas mencionava a relação dizendo que estava “namorando esse homem velho”. Quanto às primeiras impressões que teve do ator, Kate recordou: “Era um homem de voz suave e pacífico, que foi muito agradável e cortês ao me conhecer”.

De acordo com a ex-assistente de Heard, Johnny era “sempre pensativo, bondoso e uma pessoa genuinamente decente”. Kate ainda lembrou que Johnny teria ensinado o filho dela a tocar violão. No depoimento, o ator também foi elogiado pela profissional, por ser “calmo e relativamente tímido”.

Amber Heard leva cachorros ilegalmente para Austrália

Em um comunicado, Kate James também revelou detalhes de um episódio quando Amber enfrentou processos criminais após tentar entrar na Austrália com seus cachorros ilegalmente. A então funcionária alegou ter tentado explicar a situação a Heard, dizendo que houve uma discrepância no tempo necessário para tratar do processo de imigração dos cachorros, mas que “os olhos dela ficaram arregalados e ela saiu andando”.

Amber Heard teria deliberadamente levado seus cachorros ilegalmente pra Austrália. (Foto: Getty)

Heard teria “escolhido ignorar” os alertas de James e Kevin Murphy, gerente de propriedades de Depp. “Ela deliberadamente contrabandeou os cachorros pra Austrália… Assim como em diversas circunstâncias que eu observei, era como se ela sentisse que estivesse acima da lei”, acrescentou.

De acordo com Kate, Amber supostamente queria que sua assistente assinasse uma declaração apoiando que “ela [senhora Heard] não sabia que os cachorros não estavam regularizados para serem levados para a Austrália”. “O fato de ela ter desejado me pedir para assinar uma declaração dessas sob juramento… é um reflexo de sua abordagem comigo… em geral. Ela não se importava em jogar ninguém embaixo do ônibus, se isso significasse salvar sua própria pele”, continuou ela.

Amber Heard teria mentido para a imigração dos EUA

Kate James alegou que Amber Heard teria pedido que ela enviasse uma carta ao Departamento de Segurança Interna (Homeland Security) dos Estados Unidos, em 2014, referente a uma mulher chamada Savannah McMillan – que teria sido assistente de produção da atriz. “Savannah, uma cidadã britânica, foi mantida pela imigração e questionada sobre a frequência que ia e voltava dos Estados Unidos… Na carta de Amber, ela chamava isso de fraudulento, essa suposição de que Savannah estava trabalhando para Amber ilegalmente”, contou.

“Ela disse que, como ‘amiga’ de Savannah, ela poderia ‘dizer honestamente e inequivocamente que essa alegação é completamente falsa… Eu queria falar oficialmente que Savannah McMillan é uma amiga pessoal, e pelo meu conhecimento, nunca trabalhou ilegalmente, ou de outra maneira, nos Estados Unidos. Nem pra mim'”, citou James, pontuando trechos da carta de Amber.

Amber Heard teria mentido para o Departamento de Imigração dos Estados Unidos no caso envolvendo uma funcionária. (Foto: Presley Ann/Getty Images)

Segundo Kate defendeu em sua declaração, ela supostamente “sabia que isso não era verdade”, e que “Amber estava deliberadamente mentindo para o departamento de imigração dos Estados Unidos”. A ex-assistente contou que teria tirado uma foto dessa carta e de um cheque feito por Heard para Savannah.

Relembre o caso

Depp está processando o tabloide britânico The Sun, após o jornal ter se referido a ele como “espancador de esposas” em uma matéria de 2018. Durante dias de depoimentos, o ator admitiu ter escrito uma mensagem de sangue com seu dedo mutilado após briga com a ex, chamou James Franco de “estuprador”, e também confessou ter dado cabeçadas “acidentalmente” em Amber Heard.

As acusações de Amber Heard e Johnny Depp após o divórcio têm vindo à tona durante o processo do astro contra o The Sun. (Fotos: Getty)

A atriz, por sua vez, deu mais relatos sobre o comportamento agressivo dele. Conversas antigas entre Johnny e Paul Bettany, o intérprete do Visão em “Vingadores”, também denunciaram que eles comentavam sobre modos de matar Amber Heard.

Já na última sexta-feira (10), em um áudio exposto no julgamento, Johnny Depp fazia um pedido sórdido a Amber Heard. Além disso, supostas mensagens expuseram ameaça bizarra do ator a Elon Musk. Na segunda-feira (14), um trecho do diário da artista veio à tona, assim como uma foto “humilhante” do ator.

Pelo visto, essa briga parece estar longe de chegar ao fim…